ConexãoIn

Lula é elegível e Bolsonaro reage com desdém, afirmando que o povo não votará no petista

O mundo politico brasileiro foi sacudido com a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin de anular os processos contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na 13ª Vara Federal de Curitiba tornou o petista elegível novamente. Com isso, ele poderá se candidatar inclusive nas próximas eleições presidenciais, em outubro de 2022.

Na decisão monocrática ocorrida na segunda, 8,  Fachin reconheceu que a vara de Curitiba não tem competência para julgar os casos da Lava Jato envolvendo o ex-presidente porque os atos julgados não aconteceram no Paraná. À época, Lula era presidente e estava em Brasília — assim, a competência para julgar o caso seria do Distrito Federal.

Segundo a decisão, a 13ª Vara de Curitiba, onde o ex-juiz Sergio Moro atuava até 2018, poderia julgar apenas casos da Lava Jato que envolvesse desvio de dinheiro da Petrobras — o que não é o caso das acusações contra Lula.

Lula estava impedido de concorrer a qualquer cargo público por ter sido condenado nos casos do triplex do Guarujá e do sítio de Atibaia. As condenações anuladas, enquadraram Lula na Lei da Ficha Limpa, legislação sancionada por ele próprio, em 2010, quando ainda ocupava a cadeira de presidente da República.

Em meio a mensagens de apoio ao ex-presidente, o presidente da Câmara Federal, Deputado Arthur Lira, postou no seu twitter a seguinte mensagem: “Minha duvida maior é se a decisão monocrática foi para absorver Lula ou Moro. Lula pode até merecer. Moro, jamais!”. Apoiadores do presidente Bolsonaro chegaram a chamá-lo de traidor.

Reação do Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro reagiu à decisão do ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que anulou os processos contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticando a possibilidade de o petista ser candidato à presidência em 2022. Além disso, Bolsonaro afirmou que Fachin não deveria ter decidido sobre a anulação monocraticamente.

“Eu acredito que o povo brasileiro não queira sequer ter um candidato como esse em 22, muito menos pensar numa possível eleição dele”, afirmou Bolsonaro em entrevista no Palácio da Alvorada. “Você pode ver, a Bolsa já foi lá pra baixo, o dólar foi lá pra cima. Todos nós sofremos com uma decisão como essa daí, agora a gente espera que a turma do supremo restabeleça aí os julgados.”

POR: Rita Moraes
Publicado em 09/03/2021