ConexãoIn

Baixa dos Sapateiros ganha contornos modernos com a requalificação do Mercado de São Miguel

A prefeitura de Salvador finalizou as obras de requalificação do tradicional Mercado de São Miguel, localizado na Baixa dos Sapateiros, dando a área que já foi nobre em Salvador, contorno de modernidade. 

A nova estrutura ganhou rampa, que leva aos boxes dos feirantes, e em baixo, do lado esquerdo foi criado um santuário para São Miguel e mais adiante um espaço para a Capoeira. Um piso de madeira leva ao pavimento dos fundos, onde ficam a maioria dos 40 boxes, oito bancadas de hortifruti, e seis restaurantes. Além disso, há sanitários masculino, feminino e para pessoas com problemas de locomoção, e estacionamento com vagas para até 30 veículos. O equipamento vai funcionar inicialmente de segunda a sábado, sempre das 10h às 16h.

“Esse é um mercado histórico para a cultura de Salvador, de tradição muito forte. Na década de 1970, era um comércio pulsante na cidade, mas que veio perdendo espaço ao longo dos anos. Nada mais justo do que requalificar um mercado importante para a cultura e para o comércio local. Ele resgata o antigo e traz novos equipamentos”, disse o prefeito ACM Neto, ao entregar o Mercado de São Miguel totalmente requalificado. 

Com investimento  de R$ 5,1 milhões, as obras ficaram sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra). O titular da pasta, Luciano Sandes, contou que foram 11 meses de trabalho, e frisou a importância econômica e cultural do espaço.

O novo equipamento tem uma área de 4.460 m², sendo 1.671 m² de espaço construído. A estrutura original foi jogada no chão e a nova começou do zero. O projeto é da Fundação Mário Leal Ferreira. A presidente do órgão, Tânia Scofield, contou que as mudanças foram discutidas com os permissionários e que a intenção era oferecer uma área de lazer, além dos boxes.

“A ideia do projeto era recuar um pouco o mercado para que tivéssemos uma área com vegetação e passeio, uma área para o lazer, e a gente conseguiu seguir o projeto na íntegra. Ele foi discutido com os comerciantes do mercado, que eram 12 ou 15 na época, e com os comerciantes da área, porque o mercado vai valorizar e fomentar também o comércio da Baixa dos Sapateiros”, disse.

História do local

Antes dos anos 1960 – O local de terra batida servia para montagens de circo e como depósito para os carros alegóricos do antigo bloco carnavalesco Cavaleiros de Bagdá. Depois, vendedores ambulantes ocuparam o espaço.

Em 1965 – Prefeito Nelson Oliveira resolveu construir um mercado com oferta de produtos variados, como carnes, peixes, frutos do mar, galinha caipira viva, cereais, frutas, verduras etc.

Entre 1960 e 1980 – Período áureo do mercado que era frequentado por famosos como os sambistas Batatinha, Riachão e Bezerra da Silva, e o escritor Jorge Amado. Havia até uma loja de joias no local.

Anos 1990 – Início da época de degradação e abandono. O local perde público e permissionários deixam a região, até que um incêndio destrói parte da estrutura em setembro de 2017.

#conexaoin99

#conectadocomanoticia 

POR: Rita Moraes
Publicado em 06/11/2020