ConexãoIn

Os 4 pilares para uma liderança de sucesso

 

 

À medida que o mercado de trabalho evolui e se adapta a um cenário de mudanças constantes, as pessoas em cargos de liderança precisam se adequar às novas tendências que moldarão o futuro do trabalho. Para enfrentar desafios relacionados à saúde mental, ao engajamento dos colaboradores e à transformação organizacional, é fundamental que líderes adotem novas abordagens mais humanas e conscientes.

No que tange ao engajamento das pessoas, estima-se que o custo à economia com dias de trabalho perdidos devido a problemas de saúde mental e desengajamento dos colaboradores seja na ordem de US$8,8 trilhões – cerca de 9% do PIB global. “É indiscutível que a falta de engajamento dos colaboradores custa caro à saúde mundial e às organizações, e só tem um jeito de resolver isso: através de uma abordagem de liderança consciente e humana, além de uma mudança nas práticas de gestão, que impactam diretamente nas culturas organizacionais. Este modelo de negócio precisa ser revisto urgentemente”, explica o especialista em RH e autor do livro “A Potência da Liderança Consciente”, Daniel Spinelli.

Negligenciar as consequências de uma cultura organizacional exclusivamente focada em resultados, sem se atentar com o componente fundamental humano pode comprometer drasticamente a longevidade e os próprios resultados dos projetos no médio e no longo prazo.

 

 

Daniel Spinelli explica que os líderes que não se atualizarem com práticas mais modernas para trazer um tom mais humano à sua liderança contribuirão não só para que haja pessoas e ambientes de trabalho de menor qualidade, mas também estarão ajudando a cavar, paulatinamente, a cova da própria empresa. “Quando olhamos para o ser humano que está exercendo a liderança, é possível notar também que não é raro encontrar tais profissionais enfrentando problemas psicoemocionais graves”, afirma.

O autor destaca quatro pilares fundamentais para essa mudança de mentalidade:

Autoliderança: antes de liderar outras pessoas, é essencial liderar a si mesmo. Isso requer investir em autoconhecimento e habilidades de gerenciamento emocional. A capacidade de transmitir qualidades humanas, como empatia, compaixão e paz mental é necessária para construir uma nova cultura organizacional. Líderes conscientes não apenas se conhecem melhor, mas também se esforçam para cultivar bons relacionamentos e integridade em suas ações;

Liderar pessoas: a liderança consciente envolve a aplicação da escuta ativa e o foco na construção de uma cultura de aprendizagem, baseada na segurança psicológica. Isso implica criar espaços onde as pessoas possam transcender seus limites e explorar seu potencial máximo. Um ambiente de despertar humano é essencial para o desenvolvimento individual e coletivo, estimulando o crescimento contínuo dos colaboradores;

Interdependência: líderes conscientes promovem relacionamentos de qualidade e empatia dentro das equipes. Pessoas em cargos de gestão precisam reconhecer a importância da interdependência para o bom funcionamento da organização e buscar criar laços de confiança e cooperação. Por meio de uma visão mais sistêmica, as equipes se tornam mais eficazes na resolução de problemas e na busca de objetivos comuns;

Construir um legado: a liderança pautada na constante evolução é formada por pessoas que entendem que suas ações no ambiente de trabalho têm um impacto significativo na organização, nas outras pessoas que integram o time e na sociedade em geral. Elas assumem a responsabilidade de construir um legado positivo, inspirando aqueles sob sua liderança e contribuindo para um mundo melhor. Essa consciência do impacto de suas ações os orienta na tomada de decisões éticas e na promoção de valores que transcendem o sucesso individual.

Para Spinelli, uma liderança consciente não apenas engaja as pessoas e fortalece os ambientes corporativos, como também é uma resposta direta à necessidade de aprimorar e humanizar a cultura organizacional e o impacto das práticas de liderança em um mundo em constante evolução.

* Daniel Spinelli – Há mais de duas décadas, Daniel Spinelli tem se dedicado ao desenvolvimento humano nas organizações. Empreendedor, palestrante e mentor, já coordenou programas para mais de 50 mil participantes e em mais de 200 organizações. Tem se dedicado ao estudo da mente humana realizando muitos retiros de aprofundamento. Certificou-se como professor de Inteligência Emocional na região do Vale do Silício e, recentemente, passou 6 meses na Ásia, na região dos Himalaias da Índia, estudando com grandes mestres das tradições contemplativas. Desde seu retorno, tem como missão trazer o movimento de ampliação da consciência no ambiente organizacional por meio do trabalho com líderes.

POR: Rita Moraes
Publicado em 28/11/2023