ConexãoIn

Iniciativa Negra promove Conferência Internacional com nomes de peso para discutir política de drogas, reparação e justiça em Salvador

 

 

Na primeira quinzena de dezembro, entre os dias 5 e 7, Salvador irá receber aConferência Internacional: Iniciativa Negra por Direitos, Reparação e Justiça, uma agenda promovida pela Iniciativa Negra e toda a rede de organizações e movimentos atuantes nesse campo para ampliar o diálogo sobre o tema da reparação racial — pauta histórica do movimento negro, e para construir caminhos possíveis de reparação nas Américas, medida que contribuirá para uma sociedade racialmente justa e equânime.
As discussões promovidas pela Conferência colocam o racismo no cerne de problemas sociais vivenciados pela comunidade global, principalmente nas Américas, como a violência, a desigualdade, o cenário de injustiças penais e o encarceramento em massa da juventude negra, atribuindo responsabilidades e reforçando o conceito de memória e verdade para impedir a repetição de atos que provocam danos irreversíveis para gerações de pessoas e suas famílias.

 

“Nós nos articulamos para promover essa reunião para que possamos reconhecer os mecanismos globais de genocídio do povo negro, e assim, pensar juntos, enquanto nação, em estratégias de enfrentamento à barbárie”, afirma a cofundadora e diretora executiva da Iniciativa Negra, Nathália Oliveira.

 

O encontro realizado na Biblioteca Central do Estado da Bahia está dividido em eixos temáticos para a discussão e a troca de experiências entre o Brasil e países vizinhos sobre segurança pública, saúde, política sobre drogas e enfrentamento ao racismo.

 

No primeiro dia de Conferência, 5 de dezembro, as discussões reunirão integrantes do poder público e de movimentos e organizações parceiras para aprofundar consensos sobre os temas do debate, inclusive no âmbito interamericano.

 

Nesse dia, também serão divulgados dados de pesquisas produzidas pela Iniciativa Negra ao longo de seus sete anos de atuação, que podem servir de embasamento a medidas legítimas de combate ao racismo, por meio de uma nova política de drogas.
Para as 18 horas, está prevista a abertura oficial da Conferência, com a promoção de rodas de conversa, ou talkings, sobre os seguintes temas: Justiça e Segurança Pública, Comunicação de Causas e Saúde Pública.

 

Haverá ainda a apresentação musical de Nutt MC (vencedora da batalha de rima do Festival Pega a Visão, realizado em maio de 2023), com intervenção artística do poeta, músico, diretor e educador Akins Kintê.

 

Estão confirmados para participar das rodas de conversa o historiador, cofundador e diretor executivo da Iniciativa Negra e, também, coordenador da Rede de Observatórios da Segurança na Bahia Dudu Ribeiro, a socióloga, cofundadora e diretora executiva de IN Nathalia Oliveira, a coordenadora do Movimento Mães de Maio do Nordeste Rute Fiuza, a diretora de programas da Anistia Internacional no Brasil Alexandra Montgomery, a jornalista e gestora do Instituto Mãe Hilda Valéria Lima, a primeira cacique mulher da Bahia Cacique Valdelice, o escritor Geovani Martins. Do exterior, virão Andrea Aguirre do coletivo Mujeres de Frente do Equador e Dayana Blanco da Ilex – Acción Jurídica, organização de equidade racial atuante na Colômbia e na América Latina.
No dia 6 de dezembro, às 9h30, iniciam-se os Tabuleiros Discursivos, grupos mediados por integrantes da Iniciativa Negra com a participação de especialistas nas áreas destacadas pelos eixos temáticos, e com espaço para fala do público participante. As conversas vão resultar na produção de relatórios com as considerações gerais de cada grupo.
Para o debate do tema Justiça e Segurança Pública serão feitas análises sobre Outros modelos de Segurança Pública, a cargo de Dayana Blanco da Ilex -Acción Jurídica, Tamires Sampaio, coordenadora Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), Luiz Paulo Bastos, coordenador geral de Combate e Superação do Racismo do Ministério da Igualdade Racial e Debora Silva, integrante do Movimento de Mães Vítimas do estado de São Paulo. A mediação será feita pela pesquisadora e articuladora política da Iniciativa Negra, Larissa Neves.
Análises sobre o tema Reconciliação e Reparação serão abordadas por Sérgio Rocha do ADWA Cannabis, Thayná Alves do projeto Drogas Quanto Custa Proibir realizado pelo Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (Cesec), Ana Paula e Patrícia Oliveira, representantes do Movimento de Mães de Manguinhos, sob a condução da assessora de projetos da Iniciativa Negra, Dandara Rudsan.
No mesmo dia, outro grupo discutirá o eixo da Comunicação de Causas. Para esta roda de conversa estão confirmadas as presenças dos jornalistas Solon Ribeiro, cofundador do Alma Preta Jornalismo, Catarina Duarte da Ponte Jornalismo, José Cícero da Agência A Pública, Alane Reis, coordenadora de Comunicação do Instituto Odara da Mulher Negra, Midiã Noelle, diretora-geral do Instituto Commbne e da organização PerifaConnection e Cecília Oliveira, diretora do Instituto Fogo Cruzado. A coordenadora de comunicação da Iniciativa Negra, Tatiana Diniz, irá conduzir o diálogo.
Sobre o tema Saúde Pública, terceiro eixo temático em pauta na Conferência, haverá dois grupos de diálogo: um tratará de Justiça Reprodutiva e o segundo, de Autocuidado Radical.
Na roda de conversa sobre Justiça Reprodutiva participam a coordenadora do projeto Minha Mãe Não Dorme Enquanto Não Chegar, que trabalha com mães e familiares vítimas do estado da Bahia no Instituto Odara, Gabriela Ashanti, Verônica Santos, do Observatório Justiça Reprodutiva e a doutora em Ciências Sociais e docente na Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, Rutte Faizah. A pesquisadora da Iniciativa Negra, Belle Damasceno realiza a mediação.

 

No grupo sobre Autocuidado Radical estarão Matuzza Sankofa, presidenta do Centro de Convivência É de Lei, Luana Malheiro, da Rede Nacional de Feministas Antiproibicionistas (Renfa) e Gabriela Silva, psicóloga e pesquisadora do tema e mediação da coordenadora de advocacy de IN, Juliana Borges.
O dia termina com a apresentação musical do grupo de samba de roda, Matriarcas do Samba, de Salvador.

 

E no último dia do evento, 7 de dezembro, para as 8h30 está previsto o Painel Internacional – Caminhos e descaminhos da Segurança Pública e Política sobre Drogas na atualidade, momento de debate sobre o status da pauta nas Américas e no mundo. Participam axmed maxamed (Somália/ Holanda), Andrea Aguirre(Equador), Dayana Blanco (Colômbia), Andrea James (EUA), Dudu Ribeiro (Brasil) e representantes da Fundação Friedrich Ebert – Brasil (FES). A Organização dos Estados Americanos deverá participar do painel virtual.
Às 12h30, haverá o pré-lançamento do livro Periferias no Plural, resultado de uma parceria entre o Projeto Reconexão Periferias, da Fundação Perseu Abramo, e a Friedrich-Ebert-Stiftung Brasil, para ampliar o debate em torno da ideia de periferia. A publicação reúne artigos de 43 autores e autoras convidados. Participam da abertura da mesa, Paulo Ramos, coordenador do projeto Reconexão Periferias da Fundação Perseu Abramo (FPA), Willian Habermann, diretor de projetos na Fundação Friedrich Ebert – Brasil (FES), Felipe Freitas, secretário de Justiça e Direitos Humanos da Bahia e Ângela Guimarães, secretária de Promoção da Igualdade Racial do Governo do Estado da Bahia.

Comentam a publicação, Jaqueline Lima, diretora de projetos na Fundação Friedrich Ebert – Brasil (FES) e Victoria Braga, consultora de pesquisa e articulação no projeto Reconexão Periferias (FPA).

 

Para a mesa também está prevista uma roda de conversa com Joana Porto, indígena do povo Tabajara Tapuio e doutoranda em Antropologia Social, Roberta Teixeira, mestra e doutoranda em Letras: Linguagens e Representações UESC, Tiaraju D’Andrea, coordenador do Centro de Estudos Periféricos (CEP), Renato Freitas, deputado estadual do Paraná e Guilherme Simões, Secretário Nacional de Políticas para os Territórios Periféricos.

 

Às 19h, serão apresentados os resultados e análises da pesquisa que dá nome à Conferência Internacional, o boletim Iniciativa Negra por Direitos, Reparação e Justiça lançado em junho deste ano, sendo a primeira publicação nacional de IN delineando o panorama das medidas de reparação e justiça do país, e as análises sobre como a atual política de drogas contribui para um cenário de injustiças criminais e de aprisionamento em massa da população negra, resultando em violações de direitos e em mortes.

 

Para encerrar o evento, haverá a 2ª edição do Festival de Rima e Rap com leitura de uma carta final com as resoluções e considerações coletadas ao longos dos três dias de Conferência, seguidas por exibições musicais de artistas locais como o Cronista do Morro, Virus, Cabokaji, DJ DMT. Como mestre de cerimônias está confirmada a comunicadora Myriam Santana.
O encerramento será na Biblioteca Central do Estado da Bahia, em evento gratuito aberto ao público. Os ingressos precisam ser retirados via Sympla, sujeito a lotação.
Os participantes da Conferência poderão usufruir da Tenda do Autocuidado Radical, com massagens, distribuição de escalda-pés e orientações e kits sobre redução de danos, feitos em parceria com o programa Corra pro Abraço, do Governo do Estado da Bahia. Haverá também uma Feira de Empreendedorismo, com produtos de empreendedoras e empreendedores locais.

 

A Iniciativa Negra também vai oferecer ao público o espaço infantil Ciranda dos Erês, que ficará localizado na área infantil da Biblioteca. Destinado a crianças de todas as idades, o espaço terá recreação, monitores e vai funcionar todos os dias do evento.

 

É possível saber mais sobre a agenda de eventos da Iniciativa Negra no site da organização e no perfil oficial no Instagram.

 

A Conferência Internacional da Iniciativa Negra tem o apoio do Fundo Baobá, Instituto Ibirapitanga, Open Society Foundations, Oak Foundation, Fundação Friedrich Ebert – Brasil, Fundação Pedro Calmon e Governo do Estado da Bahia.

 

Sobre Iniciativa Negra:

A Iniciativa Negra por uma Nova Política sobre Drogas é uma organização da sociedade civil que atua, desde 2015, pela construção de uma agenda de justiça racial e econômica promovendo ações de advocacy em Direitos Humanos e propondo reformas na atual política de combate às drogas.
SERVIÇO

Conferência Internacional: Iniciativa Negra por Direitos, Reparação e Justiça

Data: Dias 5, 6 e 7 de dezembro

Local: Biblioteca Central do Estado Bahia

Endereço: Rua General Labatut, 27 – Barris, Salvador – BA

Ingressos para o 2º Festival de Rima e Rap – Via Sympla – Sujeito à lotação.
Dia 5/12

 

18h: Apresentação cultural – abertura com Nutt MC (vencedora da batalha do Pega a visão) e intervenção de Akins Kintê

18h40: Talking com 3 blocos

Apresentação: Lucas de Matos e Luana Souza

 

Bloco 1 – Justiça e Segurança Pública

Bloco 2 – Comunicação de Causas

Bloco 3- Saúde Pública

 

Dia 6/12
Tabuleiros discursivos

9h30 às 16h
Mesas simultâneas

Eixo 1- Justiça e Segurança Pública

Eixo 2 – Comunicação de Causas

Eixo 3 – Saúde Pública

 

16h: Matriarcas do Samba
Dia 7/12
8h30 – 11h30: Painel interamericano – Caminhos e descaminhos da Segurança Pública e Política sobre Drogas na atualidade

 

12h30 -14h30: Pré-Lançamento Livro “Periferias no Plural” – FES-Brasil e FPA
17h: Lançamento nacional da pesquisa “Iniciativa Negra por Direitos, Reparação e Justiça”

 

17h40: Festival de Rima e Rap – Fechamento da Conferência

POR: Rita Moraes
Publicado em 02/12/2023