ConexãoIn

Gestão de Terceiros: Uma Aliada na Busca pela Sustentabilidade Ambiental

 

À medida que as empresas intensificam seus esforços na promoção da transparência e divulgação de informações relacionadas a ESG (Ambiental, Social e Governança), a Gestão de Terceiros se destaca como uma ferramenta estratégica na busca pela sustentabilidade e responsabilidade corporativa. Empresas como a Bernhoeft, especializada em consultoria na área, oferecem um caminho sólido para que organizações alcancem práticas mais sustentáveis.

 

A Gestão de Terceiros desempenha um papel fundamental na seleção de fornecedores alinhados com práticas ambientais responsáveis, avaliação das ações dos terceiros, realização de auditorias ambientais e colaboração para promover a inovação sustentável.
Bruno Santos, sócio e responsável pela Gestão de Terceiros da Bernhoeft, enfatiza que “por meio da Gestão de Terceiros, as empresas podem escolher parceiros que compartilham seus objetivos ESG e incluir auditorias e monitoramento ambiental para garantir que os terceiros cumpram os padrões sustentáveis, influenciando a implementação de melhores práticas em toda a cadeia de suprimentos”.

 

Além de promover a sustentabilidade, a Gestão de Terceiros também contribui para a reputação e a aceitação da marca, gerando eficiências operacionais e econômicas. No entanto, cumprir os princípios ESG pode apresentar desafios, como mudanças culturais e estruturais, coleta de dados confiáveis, falta de métricas e padrões uniformes, custos iniciais e complexidades na divulgação transparente do desempenho ESG.

 

Medindo o Impacto da Gestão de Terceiros no ESG

 

As métricas-chave para avaliar o impacto da Gestão de Terceiros no âmbito ESG incluem a solicitação e comprovação de requisitos legais, modelos de negócios e práticas sustentáveis de gestão dos fornecedores e de suas operações. Especificamente na dimensão ambiental, podemos citar questões como o impacto do descarte de resíduos, o consumo de água em áreas com escassez, a poluição e o consumo de água, além da divulgação de informações ambientais por meio de relatórios de sustentabilidade

 

Além disso, as empresas podem solicitar certificações ambientais, avaliar as emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), promover a circularidade de recursos e implementar o “Task Force Climate Financial Disclosures (TCFD)”.

 

Para efetivamente implementar práticas de Gestão de Terceiros voltadas para a sustentabilidade ambiental, é crucial definir métricas prioritárias para os fornecedores. Isso envolve estabelecer critérios claros de seleção, incorporar cláusulas de sustentabilidade em contratos e acordos com terceiros e buscar parceiros que auxiliem na implementação de auditorias e monitoramento ambiental regulares.

 

Principais Tendências na Gestão de Terceiros e Sustentabilidade Ambiental

 

As tendências em destaque na Gestão de Terceiros incluem a coleta de documentação e o uso de tecnologias avançadas, como análise de dados e inteligência artificial, por meio de programas de automação para avaliar o desempenho dos terceiros. A Auditoria ESG se destaca como uma solução para identificar o compromisso dos fornecedores com questões ambientais, sociais e de governança desde a seleção inicial.

 

Além disso, as consultorias especializadas estão ganhando destaque na Gestão de Terceiros, auxiliando na identificação e monitoramento de riscos em diversas áreas, indo além das preocupações ambientais e incluindo métricas de segurança, financeiras, reputacionais e operacionais.

 

Sobre a Bernhoeft

Fundada em 1996, a Bernhoeft é uma empresa nacional que presta serviços diversos nas áreas de BPO, Cálculos Judiciais, Gestão de Terceiros e Consultoria Tributária. Foi a primeira empresa no Brasil a realizar serviços de Gestão de Terceiros. Atua com companhias nacionais e internacionais de diferentes portes e segmentos e conta com uma equipe de mais de 550 profissionais capacitados e com expertise na gestão dos processos de seus clientes. Atualmente, a empresa é gerenciada pelo sócio Luiz Carlos Bernhoeft Jr. e mais nove sócios que se dividem nas áreas de negócios da empresa

POR: Rita Moraes
Publicado em 29/11/2023