ConexãoIn

Fim do cheque? Tecnologia promete substituir o velho talão de vez

 

Quem nasceu no final dos anos de 1990 provavelmente nunca usou um cheque como forma de pagamento, ou mesmo teve um talão de cheques em mãos. Antes disso, porém, as folhas eram um meio de pagamento muito popular no Brasil. Com a maior digitalização dos meios de pagamento, com ferramentas como o mobile banking e o pix, a sua utilização caiu 95%. Ainda assim, de acordo com dados do Serviço de Compensação de Cheques (Compe), divulgados pela Febraban, foram compensados mais 168 milhões de cheques, movimentando ainda R$ 610,2 bilhões. Isso se dá, entre outros fatores, pela possibilidade no pagamento de altos valores, diante dos limites transacionais do Pix, e pelo fato destas novas tecnologias desenvolvidas não possuírem o mesmo peso Jurídico que o recibo de um cheque emitido, e por esta razão e peso jurídico muitas transações ainda solicitam o cheque como ordem de pagamento. Essa realidade, no entanto, está para mudar com mais um passo importante para o avanço tecnológico do setor: o e-Check.

O e-Check é uma tecnologia que alia conveniência, versatilidade, rapidez na liquidação e principalmente em sua segurança. Apresenta mais vantagem ao consumidor e às empresas com toda garantia para poder escolher a data de liquidação do pagamento. Para os lojistas, o benefício é que não há necessidade de pagar as taxas cobradas pela operadora do cartão para efetivar a transação. A ferramenta é desenvolvida pela fintech X-Pay Innovation Payment, criada pelo brasileiro Anderson Macena nos Estados Unidos

– O cheque é um contrato de confiança de pagamento, válido também como uma ordem de pagamento. Por mais que tenha sido criado com o objetivo de pagamento à vista, com o passar dos anos, ele se tornou um instrumento essencial na vida de milhões de brasileiros, até mesmo para compras ou pagamento a prazo. O e-Check é um método eletrônico mais rápido e seguro que pode ser usado para parcelamento de compras sem comprometer limite de cartão de crédito, para pagamento de fornecedores, para facilitar a transação de uma compra de alto valor ou até mesmo para fornecer garantia na utilização de um serviço temporário. Diferentemente do depósito de um cheque de papel que pode levar a uma longa fila para sacá-lo, o e-Check é pago instantaneamente após a confirmação dos dados do beneficiário – explica Macena.

Mais segurança e controle de gastos

Na era das fraudes online e das ameaças à segurança cibernética, Macena conta que os pagamentos com e-Check oferecem uma camada extra de proteção, pois ele não pode ser interceptado ou redirecionado para uma parte não autorizada, como o dinheiro colocado em uma conta bancária pode ser. Outra vantagem é que as transações com e-Check são mais fáceis de rastrear e documentar do que pagamentos em dinheiro.

O e-Check ajuda a proteger o dinheiro e manter um melhor controle das finanças – completa o empreendedor.

Além disso, ao preencher os dados do beneficiário, torna-se impossível o e-Check ser extraviado. Mesmo que uma terceira pessoa o tenha, outros não poderão descontá-lo, pois ele só permite ser liquidado na conta do beneficiário indicado na geração e preenchimento do e-Check. Desta forma, os ladrões e fraudadores não terão como sacar o valor, devido às normas de segurança aplicadas. Para garantir que o dinheiro seja recebido exclusivamente pelo beneficiário ou entidade destinatária do e-Check, a ação é muito simples e rápida, podendo ser emitido inclusive utilizando o próprio smartphone.

O e-Check também permite aos usuários monitorar seus gastos mais facilmente. Com cada cheque, vem um registro da transação que pode ser usado para verificar se os fundos foram retirados nos valores desejados a qualquer momento.

Movimentação de grandes quantias

O e-Check permite que grandes somas de dinheiro sejam pagas de forma segura e prática, como a compra de um carro ou um imóvel, ou até mesmo uma transferência bancária que antes não poderia ser utilizada juridicamente sem o tradicional papel. Nestas transações, o e-Check torna-se como uma garantia de ordem de pagamento.

Ausência de taxas

Apesar da adesão das pessoas físicas aos modelos de pagamento digital, o e-Check desponta como opção de pagamento, principalmente por empresas e microempresários, por funcionar como moeda e garantir a liquidez, e, ao contrário dos cartões de crédito e débito, não cobrar nenhuma taxa.

– O e-Check também permite o parcelamento sem utilização dos limites do cartão de crédito. Não há necessidade de ter um limite alto para compras de alto valor, como costuma ser limitado àquelas com alto score no banco – destaca.

Brasileiro inovando nos Estados Unidos

Ganhadora do prêmio “Melhor Fintech” de 2023, realizado pela Fincatch com apoio da ABFintechs, a X-Pay é uma fintech que se dedica a criar soluções inovadoras para impulsionar negócios. Fundada nos Estados Unidos em 2019 pelo empreendedor brasileiro Anderson Macena, a empresa oferece métodos de pagamento personalizados para atender às necessidades específicas de cada cliente com plataforma própria que permite 100% de customização.

Com cobertura nacional no Brasil e nos Estados Unidos, a X-Pay continua expandindo sua presença por meio de parcerias estratégicas e do lançamento constante de novos produtos de última geração, que proporcionam experiências de qualidade e usabilidade intuitiva.

Mais informações em https://x-pay.app/

POR: Rita Moraes
Publicado em 08/02/2024