ConexãoIn

Artigo: Especialista em comércio exterior analisa os impactos do Ano Novo Chinês na importação e elenca estratégias para mitigá-los

 

O ano novo chinês destaca-se como uma das celebrações mais significativas no calendário lunar da China, um país de extrema importância nas relações de comércio exterior com o Brasil e com o mundo. Para se ter ideia, as importações de produtos chineses totalizaram US$ 53,18 bilhões em 2023, mantendo o país como principal fornecedor para o mercado brasileiro, responsável por 22,1% das importações, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex). Em vista da aproximação da comemoração da data neste ano, que acontece entre os dias 10 e 17 de fevereiro, é necessário que as empresas estejam atentas aos possíveis impactos nas operações comerciais durante esse período.

“Muitos executivos da IDB já coordenaram diversas missões empresariais à China e puderam conferir in loco como funciona o país nos aspectos culturais e nas relações de negócios. Então, com a nossa expertise sobre o andamento das transações durante a comemoração, compreendemos como imprescindível adotar estratégias de antecipação para este momento, para assegurar o bom andamento das operações”, comenta Erick Isoppo, CEO da IDB do Brasil Trading, empresa especializada em importações e uma das dez maiores tradings de Santa Catarina.

Durante essa festividade, denominada de “Semana Dourada”, as atividades comerciais e produtivas são interrompidas na China, podendo interferir no fluxo regular da cadeia de suprimentos, já que geralmente as empresas não aceitam novas demandas. Por isso, negócios que demandam produtos e serviços do país devem atentar-se ao fluxo dos estoques. Uma das principais recomendações, no caso de empresas que importam produtos da China, é que os empresários antecipem suas operações, privilegiando estratégias eficientes de redução de custos.

Além da antecipação de compras, outras estratégias, como: a otimização de rotas de transporte, consolidação de cargas e negociação de contratos com fornecedores podem contribuir significativamente para a eficiência operacional.

“Implementar medidas como estas ajudará a reduzir os impactos causados pelo Ano Novo Chinês e assegurará a continuidade fluida das atividades econômicas dos importadores. Portanto, qualquer estratégia que privilegie a eficiência e antecipe os processos para lidar com a demanda durante as celebrações deve ser considerada, evitando assim possíveis dores de cabeça, atrasos e problemas que poderiam afetar negativamente a empresa”, completa Isoppo.

A IDB do Brasil é especializada em importações de ponta a ponta, com agilidade, segurança e economia e atende clientes de todo o país com diversas soluções em comércio exterior. A empresa coordena todos os serviços relacionados ao processo, podendo auxiliar a traçar estratégias personalizadas para melhor eficiência e reduzir os impactos diante desse cenário.

O CEO da IDB do Brasil Trading, Erick Isoppo, está disponível para entrevistas sobre o assunto.

 

 

Erick Isoppo, CEO da IDB do Brasil Trading | Créditos: Divulgação/ IDB do Brasil Trading

Sobre a IDB do Brasil Trading
Fundada em 2006, a IDB do Brasil Trading é uma das maiores empresas de importação do sul do Brasil. Está localizada estrategicamente em Santa Catarina, num dos principais polos de importação do país. O Estado oferece benefícios fiscais convalidados, além de excelente estrutura portuária e retroportuária. A IDB do Brasil Trading assessora seus clientes de ponta a ponta, sob o propósito de crescer com qualidade e com respeito às legislações. Com cerca de 100 clientes ativos, a empresa é uma parceira estratégica para grandes marcas do mundo, nacionais e internacionais, e está em constante expansão.

 

 

POR: Rita Moraes
Publicado em 11/02/2024