ConexãoIn

A semelhança entre construir uma empresa e montar um Lego, por Alexandre Pajola

Para os empresários de pequeno e médio porte, construir uma empresa nos dias de hoje assemelha-se a montar uma estrutura de Lego, onde cada peça simboliza um fornecedor especialista em um serviço distinto. Esta analogia captura a essência do processo, enfatizando a importância de escolher as peças apropriadas para criar uma estrutura empresarial robusta e eficiente.
Cada fornecedor de serviços se encaixa de forma precisa na estrutura da empresa, permitindo que a mesma seja focada em seu negócio principal. A tendência atual é que os empresários se especializem cada vez mais em seu núcleo de atuação, ao invés de tentar abraçar todas as operações internamente. Existe uma tendência em se concentrar em seu principal produto e terceirizar demais funções para especialistas.

 

A prática de terceirização não é recente, mas com o avanço da tecnologia e a ampliação das interações remotas, especialmente após a pandemia, a velocidade e a amplitude do que é viável e benéfico terceirizar, em vez de contratar internamente, aumentaram significativamente. Ferramentas online possibilitam não apenas a interação com fornecedores externos, mas também a troca de documentos e processos com a mesma facilidade, como se fossem da mesma empresa.
As peças fundamentais deste jogo podem ser serviços pontuais ou recorrentes e software como serviço (SaaS). É importante identificar qual melhor serviço se enquadra dentro das necessidades. O processo de escolha do fornecedor tem papel fundamental e deve ser feito com muito critério, para que o encaixe seja preciso e perfeito.

 

Entre os serviços recorrentes mais procurados por empresas em fase de crescimento estão BPO financeiro, terceirização da folha de pagamento, terceirização de TI e suporte técnico. Todos estes serviços são altamente especializados e demandam conhecimento distinto para serem realizados de forma eficiente.

 

Atualmente, tornou-se consideravelmente mais fácil abrir um negócio. Virtualmente, todos os aspectos podem ser terceirizados. Além dos serviços tradicionais de contabilidade e marketing, é possível alugar espaços de trabalho em coworkings, e até mesmo a geração de oportunidades de negócios pode ser facilitada com o auxílio de plataformas especializadas.
A abordagem mais eficaz para encontrar fornecedores é através de indicações, porém, é crucial verificar se o perfil da empresa escolhida como fornecedor está alinhado com o da sua própria empresa. O que atende a um negócio pode não ser adequado para outro. É essencial avaliar se as metodologias de trabalho são compatíveis e se compartilham dos mesmos princípios corporativos.
Caso não seja viável encontrar fornecedores por meio de indicações, a alternativa é recorrer ao Google e a plataformas que facilitam a localização e cotação de fornecedores nas áreas de interesse. Em geral, essas plataformas oferecem uma variedade de opções e possibilitam a visualização de avaliações de outros usuários, auxiliando na tomada de decisão.
Nesse ambiente dinâmico e interconectado, as empresas que souberem adaptar-se e aproveitar as oportunidades oferecidas estarão mais preparadas para prosperar e inovar em um mercado em constante evolução. A capacidade de escolher os fornecedores especializados certos para desempenhar funções específicas tornou-se uma estratégia fundamental para o sucesso.
E assim como no Lego, é crucial ter uma visão clara do resultado final esperado para a empresa como um todo, a fim de selecionar as peças mais adequadas. A distinção reside no fato de que não há um manual específico, e cada empresa é montada de maneira única para ser competitiva e encontrar seu nicho de mercado.
Alexandre Pajola
Alexandre Pajola é fundador do oHub, plataforma que conecta pequenas e médias empresas que estão precisando de um fornecedor, com aquelas que buscam novos clientes. Tem experiência na área administrativa, possui graduação em Administração pela Fundação Armando Álvares Penteado (1996) e MBA Executivo no Instituto de Ensino e Pesquisa (INSPER). Atuou no varejo bancário durante 8 anos nas áreas de inteligência de mercado (Business Intelligence), NPS (Net Promoter Score) e pesquisa de mercado. Por volta do ano 2000, em sua produtora web, criou serviços inovadores como o BrazilBiz, Celular da Galera (Rede Social pioneira em SMS), Rodízio em São Paulo (para facilitar o encontro de caronas) e participou da criação da StockBrazil (primeiro banco de imagens royalty free brasileiro).

POR: Rita Moraes
Publicado em 07/12/2023