ConexãoIn


Repórter da Globo segue na batalha contra o quinto câncer e tem alta do hospital

A repórter da TV Globo Susana Naspolini de 49 anos, recebeu alta do hospital aonde estava internada por causa de uma infecção e do quadro de imunidade baixa. Susana, que luta contra mais um câncer, foi às redes sociais para falar sobre seu estado de saúde e para pedir “orações, torcida e energia positiva”.

Em publicação no Instagram, ela aparece sentada sorridente em uma poltrona no hospital com um cobertor e um livro em mãos. O exemplar que Susana está lendo é Conquista das Virtudes, de Franscisco Faus.

A publicação, feita na noite de segunda-feira, 12, recebeu comentários positivos de diversos artistas e colegas da profissão.

O jornalista André Trigueiro comentou que está “firmão aqui por você aí!”, seguido de um emoji de mãos em oração. “Não precisa nem pedir. Estamos todos juntos com você, querida! Corrente de orações, energia positiva e amor vibrando aí!”, registrou a repórter Luiza Zveiter, da TV Globo.

A atriz, escritora e diretora Beth Goulart também deixou sua mensagem de carinho. “Continuamos orando firmes e fortes, vibrando por sua cura. Estamos com você. Te amamos”, escreveu.

Natural de Criciúma, Susana começou a carreira em emissoras de Santa Catarina. No Rio, foi repórter da GloboNews e dos telejornais locais da Globo, onde conduz o quadro de jornalismo comunitário ‘RJ Móvel’, do ‘RJ1’.

Conhecida no Rio de Janeiro por denunciar de forma espontânea, bem-humorada e assertiva o descaso do poder público em áreas carentes, a jornalista diz que a vida é feita de perdas e percalços. Cabe a cada um escolher como encarar suas lutas – e ela sabe como enfrentar as dela, o faz com muito otimismo e bom humor. No Grupo Globo desde 2002, quando se tornou repórter temporária da GloboNews, Naspolini passou pelo TV Futura, produção da Editoria Rio da Globo e reportagem nos telejornais ‘Bom Dia Rio’ e ‘RJTV’. Em 2011, sua carreira mudou completamente ao assumir o quadro ‘RJ Móvel’, que vai ao ar no ‘RJ1’. Com um calendário de cobrança em mãos, Susana se coloca no lugar do outro para entender suas queixas. É costume testar o asfalto das ruas pedalando bicicletas infantis e andando de skate; bem como expor problemas de saneamento básico navegando de barco em valas de esgoto. Seu jeito divertido mobiliza pessoas onde quer que esteja.

“O jornalismo local é minha paixão. É sobre a cidade em que a gente mora, é onde a gente cumpre nossa missão de jornalista, que é fazer o mundo melhor, ajudar as pessoas, contribuir de alguma forma. Só que daí tem de tudo, matérias alegres, tristes, violência saúde”, afirma.

A descoberta do câncer
Susana tinha apenas 18 anos e descobriu que estava com um câncer nas células do sistema linfático. Tudo mudou. Fez o tratamento da doença em São Paulo. Era a primeira entre cinco batalhas contra o câncer que teria pela frente.
Ela enfrenta a doença pela quinta vez, devido à metástase nos ossos da bacia. Agora, a repórter luta novamente contra um câncer de metástase nos ossos da bacia e faz quimioterapia venosa desde março deste ano.
Livro “Eu Escolho Ser Feliz”
Em junho de 2019, Susana Naspolini lançou o livro Eu Escolho Ser Feliz, uma autobiografia que enfatiza sua luta contra o câncer e o otimismo que diz ser seu motor de superação para seguir em frente. A força que a repórter tem em lidar com os próprios percalços da vida, transparece em seu dia a dia, na hora de ajudar os outros a enfrentarem seus problemas. É, como ela diz, uma escolha. “Vivemos em um mundo dinâmico”, escreve, “mudanças acontecem com ou sem a nossa participação. Cabe a nós, só a nós, escolhermos como vamos nos comportar”.
POR: Rita Moraes
Publicado em 14/09/2022