ConexãoIn

Projeto de estudante baiana recebe prêmio Global Citizens Award da AMISA

Espalhar o bem e o amor!  Esse é o lema do projeto Colorindo Vidas, que tem a missão de distribuir amor e alegria para a vida de crianças e adolescentes com deficiências e despertá-los para uma vida de arte. O projeto da estudante Maria Clara Britto, da Pan American School of Bahia (PASB), recebeu o prêmio Global Citizens Award da AMISA, premiação que reconhece um aluno ou grupo de alunos que tenham feito contribuições exemplares por meio de um projeto de serviço escolar e/ou comunitário. O prêmio de US $1.500 será destinado para a continuidade das ações na organização de caridade que foi citada em sua inscrição do trabalho.

Desenvolvido e coordenado pela estudante Maria Clara Britto, sob a supervisão da professora Camila Lisboa, o projeto foi criado em 2018. Para Camila, este prêmio é mais um exemplo de como a escola dá compasso para todo aluno que busca transcender academicamente. “A escola possui seus projetos que permitem que os alunos aprendam, desenvolvam uma experiência educacional e experiências completas, com a formação de cidadãos que pensam fora da caixa e encontram na escola um solo produtivo para que transformem seus sonhos em realidade”, afirma.

É o caso de Maria Clara, que teve a iniciativa de criar o projeto quando tinha apenas 14 anos de idade. Camila conta que é muito gratificante ver que por iniciativa própria, uma estudante busca uma professora para orientá-la na criação de um projeto como o Colorindo Vidas. “É uma honra poder testemunhar uma aluna querendo colocar na prática valores humanitários e também servir de exemplo virtuoso para toda uma comunidade. São inúmeras as habilidades treinadas em planejamento em um projeto com esta envergadura: organização, liderança, iniciativa, empatia, perseverança”, revela a professora Camila Lisboa.

Diversas ações já foram desenvolvidas no âmbito do projeto, as principais são as visitas que levam arte, música, teatro, educação física para os moradores do Lar Vida, uma Organização da Sociedade Civil (OSC), sem fins lucrativos, que abriga e cuida de forma integral de crianças, adolescentes e adultos com deficiência. Maria Clara, que se tornou uma líder do projeto, conta como tem cuidado do Colorindo Vidas. “Fazemos campanhas de arrecadação de alimentos, roupas, remédios, fraldas, leite em pó. Também fazemos palestras motivacionais para pais e alunos para despertar o interesse no voluntariado social para auxílio aos necessitados e excluídos”, explica.

Quem também comemora a premiação é Daniela Davis, coordenadora do Service Learning da PASB. O Programa de Service Learning incentiva os estudantes a propor e executar projetos que beneficiem a comunidade, de modo a mobilizar outros alunos e gerar aprendizagem por meio da colaboração efetiva com a sociedade. Trata-se de formação de caráter aliada à competência acadêmica, na qual os alunos se tornam mais empáticos, responsáveis e aprimoram a mentalidade de cidadão global que pode e deve contribuir com a melhoria da sociedade.

Para Davis, o prêmio traz o reconhecimento externo daquilo que já se sabia internamente. “Nossos alunos são pessoas incríveis! É muito gratificante ver Maria Clara sendo aplaudida pelas escolas internacionais das Américas após mais de quatro anos de dedicação intensa e ininterrupta ao bem-estar daqueles que são ordinariamente esquecidos pela sociedade.”, comemora. Ela afirma que a premiação é também um estímulo para que mais membros da comunidade escolar se inspirem no exemplo de Maria Clara, aumentando o alcance das ações que já realizam ou iniciando novos projetos que tornarão o mundo um lugar melhor e mais justo para todos.

 

POR: Rita Moraes
Publicado em 08/04/2022