ConexãoIn

Podcast sobre literatura brasileira “Palavra Alada”, com apresentação de Drica Moraes, estreia nas principais plataformas de áudio em 13 de fevereiro

Celebrando o seu centenário em fevereiro deste ano, a Semana de Arte Moderna de 1922, movimento artístico e literário que inaugurou o modernismo brasileiro, é o tema de estreia do podcast “Palavra Alada”. Idealizado pela diretora, roteirista e produtora Flávia Guayer, o programa será lançado em 13 de fevereiro nas principais plataformas de áudio e no canal do “Palavra Alada” no YouTube. O podcast tem apresentação da atriz Drica Moraes e curadoria do escritor, poeta e acadêmico Antônio Carlos Secchin. Pensado para o público em geral e oportuno para aqueles que farão as provas do ENEM, o projeto é uma extensão da série audiovisual homônima lançada em 2021, na TV Escola (os episódios estão disponíveis na íntegra no canal da TV Escola no YouTube e na plataforma Tamanduá Edu). “Palavra Alada” tem patrocínio da BIC. 

A ideia do “Palavra Alada” surgiu de um desejo da diretora Flávia Guayer de criar um projeto multiplataforma sobre literatura brasileira. “É enriquecedor voltar no tempo e rever dinâmicas e conexões com o agora. Escrita, literatura e história caminham juntas. Estamos escrevendo o futuro”, diz. O episódio de estreia se debruça sobre a primeira fase do modernismo, de 1922 a 1930. A previsão é que sejam lançados mais dois episódios, que correspondem às duas fases seguintes do movimento (entre 1930 e 1960), ainda neste ano. 

Informações relevantes expostas com a maior leveza possível, eventualmente até com humor, estão no roteiro dividido em duas partes. Na primeira, Drica apresenta um panorama geral de como surgiu o modernismo no Brasil, tendo como marco inaugural a Semana de Arte Moderna de 1922, em São Paulo. Na segunda, a apresentadora convida Antônio Carlos Secchin para um bate-papo informal aprofundando fatos e curiosidades do período. 

“O modernismo dessacralizou a linguagem, incorporou temas do cotidiano, mergulhou muito numa realidade brasileira que não é apenas a urbana. Abrir todos esses ‘Brasis’ que existem dentro do Brasil foi uma tarefa muito meritória do modernismo”, diz Secchin. “Foi bacana desbravar o mundo da literatura brasileira com mais detalhes. Mergulhei nesse universo e a sensação de voltar a estudar foi muito gostosa”, conta Drica Moraes, que faz sua estreia no universo dos podcasts com “Palavra Alada”. 

 Para a BIC, que tem a educação como um de seus principais pilares, o incentivo ao projeto é uma grande oportunidade de promover o acesso a um conteúdo educativo de qualidade. “Desde o princípio nos identificamos muito com a iniciativa e estamos honrados em apoiar o ‘Palavra Alada’. A ideia de um podcast que valoriza a escrita, assim como a BIC, e traz conhecimento sobre a literatura, história, arte e cultura faz nossos olhos brilharem”, destaca Rodrigo Iasi, diretor de marketing da marca.  

Flávia Guayer – Diretora, roteirista e produtora. Coproduziu e coreografou espetáculos no Brasil e Europa, entre eles, “Danses du Quotidien”, documentado pela ARTE Belgique. Seu primeiro filme documentário, “Movimentos do Invisível”, participou do Festival do Rio 2019 e estreou no Canal Curta!. Seu percurso vem sendo traçado pelo interesse em linguagens artísticas híbridas em conexão com a sociedade e a educação. 

Ficha técnica 

Apresentação:Drica Moraes 

Entrevistado e curador de conteúdo: Antônio Carlos Secchin 

Roteiro e direção:Flávia Guayer 

Dramaturgia sonora: Susana Ribeiro 

Captação de áudio, edição e mixagem: Ernesto Senna 

Trilha original: Pedro Bernardes e Rodrigo Marçal 

Identidade visual:Estúdio Cru  

Realização: Fonte Lab 

 Lançamento do podcast “Palavra Alada”  Dia 13 de fevereiro de 2022  
Onde ouvir: Spotify, Apple Podcasts, Amazon Music,  Deezer e Google Podcasts 
YouTube: Palavra Alada Modernismo  

 #Conexaoin 

#Conectadocomanoticia 

POR: Rita Moraes
Publicado em 08/02/2022