ConexãoIn

Padre russo é condenado a 21 anos por abuso sexual de menor

O que parecia um padre caridoso, pois chegou a adotar 70 filhos, era apenas uma cortina para esconder abusos aos menores. O caso chocou a Rússia. 

Nikolai Stremsky formou lar adotivo e foi condenado a 21 anos de prisão; homem já foi conhecido por ter “a maior família da Rússia”

O padre de uma igreja ortodoxa na  Rússia foi condenado na sexta-feira,24,  a 21 anos de prisão por abusar de crianças.

Nikolai Stremsky e a mulher adotaram 70 menores desde os anos 1990, quando formaram um lar no distrito rural de Saraktash, na região de Orenburg. Ele ficou conhecido por ter “a maior família da Rússia” e chegou a ser condecorado com uma Ordem da Glória nacional.

Stremsky estava preso desde 2019 e é investigado por estuprar e cometer outros atos violentos contra pelo menos sete menores. Ele sempre defendeu que as acusações eram “caluniosas”. Na época, um filha adotiva do religioso e o marido dela também tiveram a prisão preventida decretada.

#Conexaoin 

#conectadocomanoticia

POR: Rita Moraes
Publicado em 25/12/2021