ConexãoIn

Mulheres em meio ao conflito: um bate-papo sobre inclusão, acolhimento e sororidade incondicional

No dia 07 de outubro o mundo foi confrontado com a barbárie de um ataque terrorista que resultou no início de uma guerra sem prazo para acabar. No próximo 7 de dezembro, data em que a comunidade judaica inicia o Chanuká, a Festa das Luzes, e o conflito completa dois meses, um debate na Unibes Cultural, em São Paulo, liderado por mulheres, vai tratar justamente desse momento difícil, mas trazendo reflexões de esperança, união e resiliência.

 

O evento “Mulheres em meio ao conflito” é fruto de uma parceria entre o Grupo de Empoderamento Feminino e Liderança Feminina- ELF- Fisesp, a Unibes (União Brasileiro-Israelita do Bem-Estar Social e a Sky. O evento terá mediação da escritora Madeleine Lacsko e participação da jornalista Mariliz Pereira Jorge e da autora Ana Beatriz Prudente Alckmin, que falarão sobre as peculiaridades do momento, como a situação delicada de mulheres em meio ao conflito, mas sempre com mensagens de superação, intimamente ligadas às celebrações do Chanuká, marcadas pelo acender de uma vela por oito dias. As luzes representam o milagre, o que é também o desejo dos organizadores e participantes do debate.

 

O evento contará com a participação especial da jornalista espanhola, escritora, militante e política Pilar Rahola, que está no Brasil a convite da Beit Halochem Brasil, da StandWithUs Brasil e do CAM, Movimento de Combate ao Antissemitismo e foi convidada a acender a primeira vela de Chanuká.

Reconhecida pela sua atuação em prol dos direitos humanos e no combate ao antissemitismo e antissionismo, Pilar dará duas palestras em São Paulo: a primeira, no dia 5 (terça-feira), no auditório da Unibes Cultural destinada ao público geral, e a segunda, no dia 7, no auditório do C6 Bank, voltada para jovens. De São Paulo a jornalista seguirá para o Rio de Janeiro, onde também terá uma agenda cheia. Depois do Rio de Janeiro a jornalista seguirá para Miami e Washington D.C., onde participará de um evento especial da Organização dos Estados Americanos (OEA).
“Abrimos as nossas portas para levar luz a um momento sombrio, fortalecer o debate construtivo e esperançoso e tratar do que realmente importa: a união em busca da superação. Nos unimos a instituições com esses mesmos anseios para dar nossas contribuições rumo a esses objetivos”, comenta Denise Antão, presidente da Unibes.

 

“Esse encontro será um momento de esperança para que a voz da mulher seja ouvida e ecoada. Será um não à violação e a violência sexual como arma de guerra. Não ao silencio ensurdecedor das organizações feministas e de direitos humanos com relação aos abusos e violências cometidas contra as mulheres, meninas e idosas nos ataques perpetrados pelo Hamas no dia 07/11”, concluiu a vice-presidente da Fisesp e diretora do Grupo ELF, Miriam Vasserman.

O encontro vai ocorrer na Unibes Cultural, que fica na Rua Oscar Freire, 2500 – Sumaré, São Paulo, a partir das 18h. Os interessados devem se inscrever previamente por meio do Sympla, gratuitamente. As vagas são limitadas.

POR: Rita Moraes
Publicado em 07/12/2023