ConexãoIn

Mostra CCBB- Rio de Janeiro celebra 80 anos da atriz Betty Faria

A Mostra Betty Faria – 80 anos apresenta 15 longas-metragens, sendo que dois títulos também estarão disponíveis online, de diferentes períodos da história do cinema, para homenagear uma das mais respeitadas e admiradas atrizes do Brasil. Com curadoria de Leandro Pardí, ex-coordenador da Cinemateca Brasileira, a mostra começa, no Rio de Janeiro, no dia 12 de outubro, aniversário do CCBB RJ. Antes do Rio, ela acontece no CCBB SP,  de 22 de setembro a 11 de outubro. O projeto é patrocinado pelo Banco do Brasil, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Entre os destaques da programação estão O Casal (1975) de Daniel Filho, que em seu lançamento fez mais de 1 milhão de espectadores nos cinemas; Jubiabá (1986), de Nelson Pereira dos Santos, baseado no livro homônimo de Jorge Amado, e Bens Confiscados (2004), de Carlos Reichenbach, prêmio de Melhor Atriz para Betty Faria no Cine Ceará.  

Ao longo de sua carreira, Betty fez parcerias com diretores como Cacá Diegues, com quem trabalhou em Bye Bye Brasil (1980), considerado um dos mais importantes filmes brasileiros de todos os tempos, e Um trem para as Estrelas (1987), que participou da seleção oficial do Festival de Cannes e foi o representante brasileiro ao Oscar em 1987.  Outra parceria de sucesso foi com Bruno Barreto – ela estrelou os longas A Estrela Sobe (1974), que será exibido na mostra em uma rara cópia em 35mm, e Romance da Empregada (1987), que terá uma sessão inclusiva (com LIBRAS, áudiodescrição e legenda descritiva) no dia 27 de outubro, às 17h20. 

Obras do início da carreira da atriz também estão na programação como O Beijo (1964), filme de Flávio Tambellini, sua estreia no cinema, e Os Monstros de Babaloo (1970), de Elyseu Visconti. 

Durante todo o período da mostra, dois filmes da programação ficarão disponíveis de forma online e gratuita para todo o Brasil através da plataforma Eventim: Perfume de Gardênia (1992), de Guilherme de Almeida Prado, no qual Betty contracena com nomes como Sérgio Mamberti, Christiane Torloni e Helena Ignez, e Marlene de Souza (2004), filme pouco conhecido da atriz no qual ela divide a cena com a atriz portuguesa Maria de Medeiros em locações em São Paulo, Rio de Janeiro, região de Piemonte e Paris.

No dia 14 de outubro, às 16h20, o Cinema do CCBB transmite um bate-papo sobre lembranças, bastidores e cinema brasileiro entre Betty Faria e Leandro Pardí, curador da mostra; e, no dia 18 de outubro, às 12h40, a palestra “Protagonismo feminino no Cinema Brasileiro”, com as diretoras Marina Person e Djin Sganzerla, sobre a realização cinematográfica do ponto de vista das mulheres.

A mostra ainda realiza uma ação formativa através da aula gratuita “Filmografia Básica do Cinema Brasileiro”, ministrada pelo cineasta e programador Sergio Silva, no dia do seu encerramento (1º de novembro), às 14h. Será uma aula online sobre memória audiovisual e cinema brasileiro, utilizando análise de filmes, destacando as experiências que definiram o perfil da produção cinematográfica no Brasil e traçando uma filmografia básica sobre memória audiovisual e cinema brasileiro. As inscrições podem ser feitas pelo e-mail mostrabettyfaria@gmail.com .

O catálogo, que traz a filmografia completa e uma entrevista inédita da atriz, será disponibilizado de forma online e gratuita nos sites dos CCBB RJ e SP.  

Sobre o CCBB RJ

O Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro funciona de quarta a segunda (fecha terça), das 9h às 19h aos domingos, segundas e quartas e das 9h às 20h às quintas, sextas e sábados. A entrada do público é permitida apenas com agendamento online (eventim.com.br), o que possibilita manter um controle rígido da quantidade de pessoas no prédio. Ainda conta com fluxo único de circulação, medição de temperatura, uso obrigatório de máscara, disponibilização de álcool gel e sinalizadores no piso para o distanciamento. Nos teatros e cinemas a lotação está reduzida para 40%.

A partir de 15 de setembro, em atenção ao decreto nº 49335, o acesso ao CCBB só será permitido ao público que apresentar na entrada da instituição a comprovação de vacinação contra a COVID-19.

Sobre Betty Faria

Nascida em 1941, no Rio de Janeiro, Betty foi bailarina profissional na juventude e, aos poucos, trocou a dança pela dramaturgia. Ela estreou na televisão em 1957, no programa Noite de Gala, da TV Rio. No cinema, seu primeiro papel foi em O Beijo, em 1964. Contratada pela Rede Globo como atriz, em 1969, para participar da novela A Última Valsa, de Glória Magadan, estourou como estrela de televisão nos anos 1970. Um de seus papéis mais marcantes foi a irreverente Tieta, na novela homônima, escrita por Agnaldo Silva e Ricardo Linhares, em 1989.

Ao longo de sua carreira, Betty participou de 26 filmes, mais de meia centena de novelas, séries e programas de televisão. No cinema, ela recebeu inúmeros prêmios como o de melhor atriz no Prêmio Air France de Cinema, em 1974; no Festival de Gramado em 1987, por Anjos do Arrabalde; foi quatro vezes premiada com Romance da empregada (1984) –  nos Festivais de Havana, de Sorrento e do Cine Iberoamericano e, mais uma vez, no Prêmio Air France de Cinema. Ganhou o prêmio de melhor atriz coadjuvante por Perfume de Gardênia, no Festival de Brasília, em 1982, e por Chega de Saudade (2009), no Festival Internacional de Cartagena das Índias. Betty foi nominada a melhor atriz no Prêmio Arte Qualidade Brasil, em 2008 e 2209; e foi homenageada com prêmios pelo conjunto da obra no Festival de Gramado (Troféu Oscarito), em 2012, e no CineEuphoria (Homenagem Especial), em 2019.

Programação CCBB RJ

12/10 – terça (o CCBB RJ estará excepcionalmente aberto para comemorar o seu aniversário)

15h10 – Chega de Saudade, de Laís Bodanzky. Brasil, 95 min, cor, 2007.12 anos. Com Leonardo Villar, Tonia Carrero, Cássia Kiss, Betty Faria, Elza Soares.

O filme se passa num baile em um clube de dança de São Paulo. Desde quando o salão abre suas portas, pela manhã, até seu fechamento, pouco após a meia-noite, diversos personagens rodeiam o local.

17h20 – O Bom Burguês, de Oswaldo Caldeira. Brasil, 99 min, cor, 1979. 18 anos.

Com José Wilker, Betty Faria, Jardel Filho, Christiane Torloni, Anselmo Vasconcellos.

Um bancário levava uma vida milionária para disfarçar suas ações clandestinas: ele desvia dinheiro da agência em que trabalha para fi- nanciar operações de organizações de esquerda. A certa altura, um dos grupos financiados é preso e forçado a identificar quem fornece dinheiro à guerrilha 

13/10 – quarta

sem programação

14/10 – quinta

14h10 – Marlene de Sousa, de Tonino de Bernardi. Itália, 95 min, cor, 2004. 14 anos. Com Betty Faria, Filippo Timi, Joana Curvo,Fernando Eiras, Giulietta De Bernardi, Maria de Medeiros.

Bety, uma popular atriz de novelas no Brasil, está na favela à procura de sua irmã gêmea, Marlene, que é prostituta e com a qual ela perdeu contato há muito tempo. Filippo, um italiano que está no Brasil, aventura-se com várias mulheres, entre elas Marlene, que usa o nome de guerra Kelly. A ação se passa nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, na região de Piemonte e em Paris.

16h20 – Bate papo com Betty Faria e o curador Leandro Pardí (transmissão no cinema)

18h – Um Trem para as Estrelas, de Carlos Diegues. Brasil, 103 min, cor, 1987. 14 anos.

Com Guilherme Fontes, Milton Gonçalves, Cazuza e participação especial de Betty Faria.

O jovem saxofonista Vinícius passa por diversas experiências pelas ruas do Rio de Janeiro enquanto procura por sua namorada desaparecida, após uma noite de amor. Durante essa busca, ele vivencia, pela cidade, violência, miséria e injustiças, sempre envolvido pela música 

15/10 – sexta

14h – O Casal, de Daniel Filho. Brasil, 105 min, cor, 1975. 16 anos. Com José Wilker, Sonia Braga e participação de Betty Faria.

Baseado em uma peça de Oduvaldo Vianna Filho.  A história de um casal lidando com as primeiras dificuldades conjugais, incluindo uma gravidez inesperada que irá atrapalhar os planos profissionais e o relacionamento entre os dois.

16h20 – Os Monstros de Babaloo, de Elyseu Visconti Cavallero. Brasil, 98 min, cor, 1970, Brasil. 16 anos. Com Helena Ignez, Wilza Carla, Zezé Macedo, Betty Faria.

Babaloo é uma pequena república das bananas comandado pelo milionário Badu, um industrial que tem poder sobre todo o comércio da região. As amantes do ricaço não o permitem passar tempo algum com sua família bizarra – coisa que ele realmente prefere não fazer.

18h40 – O Beijo, de Flávio Tambellini. Brasil, 78 min, cor, 1964. 14 anos. Com Reginaldo Farias, Fregolente, Jorge Dória, Glauce Rocha, Betty Faria.

Adaptação da peça teatral O Beijo no Asfalto, de Nelson Rodrigues. Homem é atropelado na rua e, agonizante, pede a um desconhecido que testemunhara o acidente para que realize seu último desejo – receber um beijo na boca. Arandir resolve atender o pedido do mo- ribundo mas seu ato de misericórdia é presenciado por um repórter sensacionalista e por um delegado corrupto, que fazem da cena um escândalo social. 

16/10 – sábado

15h10h – Bye Bye Brasil, de Carlos Diegues. Brasil, 105 min, cor, 1980. 18 anos. Com Betty Faria, José Wilker, Fábio Jr., Zaira Zambelli.

A bordo da Caravana Rolidei, uma trupe de artistas ambulantes viaja pelo Nordeste do Brasil apresentando espetáculos para tra- balhadores rurais e comunidades isoladas. Enquanto passam pe- los mais diferentes lugares e paisagens  do sertão nordestino à Rodovia Transamazônica  vivendo diversas aventuras, também procuram fugir da concorrência da televisão 

17/10 – domingo

15h10 – A Estrela Sobe, de Bruno Barreto. Brasil, 105 min, cor, 1974. 14 anos. Com Betty Faria, Odete Lara, Carlos Eduardo Dolabella, Paulo César Pereio.

Leniza foi uma famosa cantora do passado. Agora faz parte do júri de um programa de calouros da televisão. Ela relembra toda a sua trajetória artística, desde quando era uma humilde vendedora de um laboratório farmacêutico que sonhava com a fama aos tempos áureos do rádio.

18/10 – segunda

12h40 – Palestra “Protagonismo feminino no cinema brasileiro” (transmissão no cinema), com as diretoras Marina Person e Djin Sganzerla

14h50 – Os Monstros de Babaloo

17h – Bens Confiscados, de Carlos Reichenbach. Brasil, 108 min, cor, 2004. 16 anos. Com Betty Faria, Renan Augusto, Werner Schünemann, Marina Person.

O filme começa com o suicídio de uma mulher na cidade de São Paulo. O filho dessa mulher é bastardo de um político corrupto que sofre denúncias naquele momento. Esse garoto e uma enfermeira são levados a uma casa no interior do Rio Grande do Sul, sob a guarda de um caseiro e sua esposa. Começa então uma relação conflituosa entre essas pessoas praticamente desconhecidas entre si.

20/10 – quarta

15h – Jubiabá, de Nelson Pereira dos Santos. Brasil, 100 min, cor, 1986. 14 anos. Com Grande Otelo, Charles Baiano, Ruth de Souza, Betty Faria, Zezé Motta.

adaptação do romance de Jorge Amado. Antônio Balduíno era apenas uma criança quando deixou a casa de sua mãe para ajudar nas tarefas domésticas da mansão do Comendador Ferreira. Amélia, a empregada portuguesa, não tolera o menino e cisma com o convívio entre ele e a filha branca do patrão. Em momentos de percalço, Baldo, como passa a ser chamado pelo Comendador, recorre a seu padrinho e pai de santo, Jubiabá, interpretado por Grande Otelo. 

17h – O Bom Burguês

21/10 – quinta

14h – Marlene de Sousa 

16h20 – O Beijo

18h15 – As Sete faces de um Cafajeste, de Jece Valadão. Brasil, 90 min, 1968. 16 anos. Com Jece Valadão, Odete Lara, Adriana Prieto, Marisa Urban e participação especial de Betty Faria.

Alfredo é um ricaço que sempre cultivou o dom de conquistar a mulher do próximo. Isso nunca foi problema, até o momento em que os maridos enganados começaram a descobrir a verdade e a ameaçá-lo. As suas sete amantes começam a se acusar mutuamente da ameaças e atentados e Alfredo precisa dar um jeito de sair dessa confusão.

22/10 – sexta

14h40h – O Casal

16h40 – Bens Confiscados

23/10 – sábado

15h10h – Romance da Empregada, de Bruno Barreto. Brasil, 90 min, cor, 1987. 18 anos. 

Com Betty Faria, Daniel Filho, Brandão Filho, Neuza Borges, Cristina Pereira.

A história de Fausta, uma empregada doméstica fã de Tina Turner, que trabalha arduamente tendo que suportar as exigências da patroa e a rotina com o marido desempregado. 

24/10 – domingo

15h10h – Jubiabá

25/10 – segunda

14h30 – Um Trem para as Estrelas

17h – Bye Bye Brasil 

27/10 – quarta

12h30h – Perfume de Gardênia, de Guilherme de Almeida Prado. Brasil, 118 min, cor, 1992. 16 anos. Com Christiane Torloni, José Mayer, José Lewgoy, Betty Faria.

Motorista de táxi que trabalha de madrugada para pagar as prestações do carro, Daniel é casado com a dona de casa Adalgisa, com quem tem um filho. Por acaso, ela começa a fazer cinema, abandona a família e é proibida por Daniel de ver o filho, Joaquim. Durante onze anos, Daniel nutre um sentimento de vingança, que ganha força quando Joaquim, já adulto, reencontra a mãe, em plena decadência profissional. 

15h – O Bom Burguês 

17h20 – Romance da Empregada (sessão inclusiva: LIBRAS, audiodescrição e legenda descritiva)

28/10 – quinta

14h – O Beijo

16h – Um Trem Para as Estrelas

18h20 – Chega de Saudade

29/10 – sexta

13h25 – Jubiabá

15h45 – Bens Confiscados

 18h05 – A Lei do Cão, de Jece Valadão. Brasil, 100 min, p&b, 1967. 18 anos. Com Jece Valadão, Esther Mellinger, Betty Faria, Adriana Prieto.

O playboy Bebeto mata um amigo por ciúmes da noiva. Acuado, assassina outros quatro para não morrer. Em sua fuga, elimina um guarda na estrada e chega a uma cidade do interior, onde encontra Quinzinho, matador profissional, que passa a protegê-lo. Bebeto inicia então namoro com uma jovem professora, mas a população da cidade volta-se contra ele. 

30/10 – sábado

15h10 – Monstros de Babaloo

31/10 – domingo

15h10 – O Casal

01/11 – segunda

12h30 – Romance da Empregada

14h – Aula “Filmografia básica do cinema brasileiro” (online), com o cineasta e programador Sergio Silva. As inscrições: mostrabettyfaria@gmail.com

14h40h – Chega de Saudade

17h – Bye bye Brasil

22/09 a 01/11 – streamming Eventim (eventim.com.br)

Marlene de Sousa

Perfume de Gardênia

Betty Farias – 80 Anos

Patrocínio: Banco do Brasil

Curadoria: Leandro Pardi

Produção: Pinball Produções
Realização: Centro Cultural Banco do Brasil

www.bb.com.br/cultura

Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro

De 12 de outubro a 1º de novembro de 2021

Rua Primeiro de Março 66, Centro, tel (21) 3808-2020 

Salas de Cinema 1 (47 lugares) 

Ingresso: ENTRADA FRANCA 

www.twitter.com/ccbb_rj | www.facebook.com.br/ccbb.rj | www.instagran.com/ccbbrj

#conexaoin

#conectadocomanoticia 

 

POR: Rita Moraes
Publicado em 15/10/2021