ConexãoIn

Morre um dos nomes do jornalismo nacional, Cristiana Lobo

 Morreu hoje, 11 de novembro, umas das mais renomadas e sérias jornalista e colunista de política Cristiana Lôbo. Ela lutava contra um câncer e contraiu uma pneimonia.

 Comentarista da GloboNews e colunista do G1, sempre com análises claras, objetivas e parciais.

 Cris deixa o marido Murilo, os filhos Bárbara e Gustavo e os netos Antônio e Miguel. A notícia pegou a todos de surpresa e deixou fãs e famosos comovidos pela perda da profissional.

A apresentadora Ana Maria Braga, prestou homenagem em seu programa. “Pra mim, além de uma jornalista, colunista de política, era uma das mulheres mais íntegras, amiga, era gostoso de conversar com ela, ela tinha um carinho… Sinto muito, mesmo, por essa perda. Você vai fazer muita falta nos nossos corações”, disse Ana Maria Braga.

“Vou falar de uma colega de trabalho que foi também uma amiga, uma pessoa que eu admirava demais. Todo o nosso carinho para a família, para os amigos da Cris, e também para os nossos colegas e amigos do G1 e da GloboNews”, comentou Patrícia Poeta.

“Ela fez com que política ficasse mais fácil pra gente”, comentou Marcelo Serrado, que foi um dos convidados do Encontro.

Cristiana Lobo deixa uma lacuna no jornalismo nacional e político.

Sobre Cristiana Lobo

Cristiana estudou Comunicação Social, na UFG e ingressou na profissão escrevendo esporadicamente para a Folha de Goiás, jornal local de Goiãnia. Em 1978, foi contratada como estagiária para a editoria de política. Um ano depois, seguiu para a sucursal de O Globo, em Brasília.

Ainda na capital do país, Cristiana foi repórter setorista de vários ministérios por dois anos. A experiência valeu uma visão detalhada de cada pasta. O desafio seguinte foi cobrir o Palácio do Planalto

Em 1984, novo rumo na carreira: o Congresso Nacional.  A jornalista aproveitou para conhecer de perto e a fundo o trabalho de cada deputado.

Em 1986, Cristiana passou a ser assistente de Tereza Cruvinel na coluna Panorama Político, do jornal O Globo.

Em 1992, foi a vez de trabalhar com Ricardoi Boechart. No mesmo ano, assumiu uma coluna no O Estado de S. Paulo, no qual ficou até  1998. De lá, passou a ser âncora do programa Fatos e Versões da  Globo News.

Seu último trabalho foi como comentarista do Jornal da Dez,  da Globo News e do Hora Um da Notícia, da Tv Globo.

#conexaoin

#conectadocomanoticia

#mortedeCristianaLobo

 
POR: Rita Moraes
Publicado em 11/11/2021