ConexãoIn


Morre ícone do vôlei brasileiro Isabel Salgado

Morreu nesta quarta-feira,16, a ex-jogadora de vôlei e vôlei de praia Isabel Salgado, a Isabel do Vôlei, aos 62 anos. Na segunda-feira, ela havia sido incluída no grupo de transição do esporte. Naquele dia, já não estava bem. Ontem foi diagnosticada com uma bactéria no pulmão, e hoje faleceu de madrugada.

A morte foi confirmada pela produtora de cinema Paula Barreto, em mensagem no grupo Esporte Pela Democracia. “Fiz um call com ela na segunda-feira. Ela estava super gripada. Falei para ela ir a um hospital, ela me disse que já tinha ido e testado negativo para Covid.

Na segunda a noite foi dormir passou mal. Deixou para ir para o hospital Sírio na terça de manhã. Quando acordou na terça já estava bem pior. Internou no Sírio já no CTI. Detectaram uma bactéria que já tinha tomado todo o pulmão. Foi entubada e teve uma parada cardíaca às 4h da manhã de hoje”, escreveu Paula. À coluna, a produtora informou que recebeu a informação da irmã da Isabel, Inês, que é figurinista de um filme que ela está rodando.

Isabel fez parte da seleção feminina de vôlei que abriu as portas para a modalidade, nos anos 1980, ao lado de Vera Mossa e Jaqueline. Embora não tenha ganho medalha nas Olimpíadas que disputou, em Moscou 1980 e Los Angeles 1984, aquela equipe foi a primeira da história do país a disputar grandes competições.

Medalha de bronze em 1979

Foi medalhista de bronze nos Jogos Pan-Americanos de 1979, em San Juan, Porto Rico. Foi, também, a primeira jogadora brasileira de vôlei a atuar numa liga estrangeira, na Itália, em 1980, no Modena, quando viajou para a Europa com sua filha Pilar, recém-nascida.

Ação politica

Depois de aposentado do vôlei, se dedicou a projetos profissionais e sempre se posicionava políticamente. Fazia parte do grupo de transição do governo Lula, no tocante a políticas para o esporte.

Isabel deixa uma filha, Carol Solberg, que também é jogadora de vôlei e viralizou em 2020 ao criticar o presidente Jair Bolsonaro ao vivo na televisão.

Durante uma partida do Circuito Brasileiro de Volêi de Praia, Carol gritou um “fora Bolsonaro”. Na ocasião, por conta da atitude, Solberg chegou a ser denunciada pelo subprocurador do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) do vôlei, Wagner Dantas. A atleta foi punida com uma advertência em primeira instância, mas recorreu. Assim, por 5 votos a 4, o pleno do tribunal optou por rever a decisão anterior e a absolveu.

 

 

 

POR: Rita Moraes
Publicado em 16/11/2022