ConexãoIn

Morre estilista paranaense Jefferson Kulig

O estilista Jefferson Kulig, um dos nomes mais importantes da moda no Paraná, morreu na última terça-feira,1, em casa.

A informação foi divulgada pela irmã do designer, Karina Kulig Wolff, na conta do Facebook:  “Hoje perdemos nosso querido Jefferson Kulig. Um criador e estilista incrível que colocou o Paraná em evidência na moda nacional nos anos 90 e 2000”. Ele tinha 54 anos.

A família não divulgou a causa da morte. Karina, que também é estilista, disse apenas que ele “não suportou mais as pressões e angústias da vida”.

Em suas criações, Jefferson Kulig explorava as possibilidades de tecidos tecnológicos (como os impermeáveis) e chegou a participar de eventos importantes de moda como a São Paulo Fashion Week. 

Carreira

Kulig foi um designer vanguardista, com coleções conceituais que faziam referência à arte, à música, à literatura e às ciências. Além de criador, dedicava-se também à pesquisa de materiais. Tinha uma marca própria há 20 anos e chegou a ter suas roupas em dezenas de lojas do país. Suas coleções, com tecidos tecnológicos, foram mostradas nos principais eventos de moda, como a São Paulo Fashion Week e em Curitiba no Paraná Business Collection.

Filho de um casal dono de uma fábrica de tricô no interior do Paraná, Jefferson Kulig começou a se interessar pela moda desde criança e chamava a atenção da equipe de tecelões com suas propostas diferentes.

“A criatividade paranaense perde um grande nome e a moda brasileira encerra um importante capítulo. O Jefferson tinha aquele jeito tímido, que pode ser relacionado ao temperamento do curitibano, mas ao mesmo tempo tinha uma mente cosmopolita, visionária. Antes de qualquer estilista pensar em sustentabilidade, ele já tinha essa preocupação e se empenhava genuinamente. Inclusive desenvolvendo materiais sustentáveis junto à indústria têxtil, como o TK Borracha. A questão da natureza estava sempre presente. Ele era um cara humilde, mas tenho certeza de que tinha vontade de ser reconhecido. Penso que na época o público não entendia muito as suas propostas, embora ele tenha tido clientes fiéis de extremo bom gosto. Mas arrisco dizer que se ele começasse hoje teria grande êxito e o sucesso que ele sempre mereceu”, diz a jornalista Danielle Brito, ex-editora de moda da Gazeta do Povo, que conviveu com Kulig de perto. Atualmente ele se dedicava a sua marca Use Natureza.

Siga o @usenatureza

#Conexaoin 

#conectadocomanoticia

POR: Rita Moraes
Publicado em 02/03/2022