ConexãoIn

Morre aos 88 anos, o ator Milton Gonçalves, deixando sua marca na Cultura brasileira

Segundo a familiares, o ator e diretor faleceu oje,30,às 12, em sua residencia, por sequelas de um problemas de saúde, desde 2020, quando sofreu um AVC isquemico e ficou internado durante tres meses.

Viúvo, ele deixa três filhos: Maurício, Catarina e Alda, dois netos e um legado que se confunde com a história da própria TV brasileira.

Carreira

Nascido em 9 de dezembro de 1933, em Minas Gerais, foi contratado antes mesmo da inauguração da Globo, em 1965, ajudando a formar o primeiro elenco de atores da emissora. Também atuou na direção e, na função, esteve à frente de sucessos como “Irmãos Coragem” (1970).

Atuando, fez mais de 40 novelas na Globo, entre elas “Sinhá Moça” (2006), pela qual foi indicado ao Emmy Internacional como melhor ator. Foi ainda o primeiro brasileiro a apresentar o evento, no mesmo ano: o prêmio de Melhor Programa Infantojuvenil, ao lado da atriz americana Susan Sarandon.

Na juventude, chegou a ser aprendiz de sapateiro, de alfaiate e de gráfico. Fez teatro infantil e amador até estrear profissionalmente em 1957. Desde então, não parou mais, emocionando o Brasil em papeis marcantes que nunca serão esquecidos.

Se destacou como ator em obras muito marcantes na história da televisão, como “Gabriela” (1975); “Roque Santeiro” (1985), “Sinhá Moça” (as duas versões) e “A Favorita” (2008). Em 2012, foi Afonso Nascimento em “Lado a Lado”, que ganhou o prêmio Emmy Internacional.

Sua última novela foi “O Tempo Não Para”, em 2018. Depois, ainda participou das séries Carceireiros (2018) e “Se eu Fechar os Olhos Agora” (2019) e “Malhação Toda Forma de Amar” (2019), como o juiz Douglas, além de ter sido Papai Noel no especial de Natal “Juntos a Magia Acontece”, no fim de 2019.

 
POR: Rita Moraes
Publicado em 30/05/2022