ConexãoIn

Maria Farinha Filmes chega à Câmara dos Deputados a partir de documentário que discute dilemas e oportunidades da longevidade no Brasil

 

Hoje, 13 de dezembro de 2023, na Câmara dos Deputados, será discutido o projeto de Lei 2460/2022, de autoria da Dep. Luísa Canziani PSD/PR, que pretende instituir o Programa Nacional de Cuidados Paliativos. O programa tem como foco melhorar a qualidade de vida e apoiar pacientes com doença em estágio avançado.
A discussão será realizada no Plenário da Câmara dos Deputados em uma Comissão Geral que foi requerida pela Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Cuidados Paliativos junto ao colégio de líderes. O texto que será discutido tem como princípio defender a vida e o valor de cada paciente. Além de integrar aspectos psicológicos, sociais e espirituais ao contexto clínico de cuidado, a partir de cuidados ativos promovidos por equipe multidisciplinar a pacientes de qualquer idade que enfrentam intenso sofrimento relacionado à saúde, estendendo os cuidados às suas famílias e cuidadores.
Cacau Rhoden, diretor do documentário “Quantos dias. Quantas noites”, participará da sessão com conhecimentos e dados sobre a importância e o impacto de olharmos para o tema com prioridade. “É muito especial que estejamos nos confrontando com nosso futuro com responsabilidade. Diante de tantas mudanças, com o envelhecimento acelerado e o aumento de doenças graves em todas as fases da vida, é crucial agir rapidamente. A criação urgente de uma cultura de cuidado abrangente torna-se essencial. Sem políticas públicas eficientes e acolhedoras em larga escala, os desafios sociais atuais podem se agravar. Não se trata de alarmismo, mas de uma realidade incontestável. Logo, uma comissão com esse propósito requer abordagem sensível e competente. Vejo com muita esperança e entusiasmo um movimento que pode seguir nesse sentido”, celebra Rhoden.
A programação do evento está definida da seguinte forma:

  • 10:00 às 12:00 – Comissão Geral para debater os Cuidados Paliativos no âmbito do sistema brasileiro de saúde.
    Local: Plenário da Câmara dos Deputados.
  • 12:00 às 12:15 – Transmissão “Medicina, Cuidado & Longevidade”, mini-documentário do filme “Quantos dias. Quantas noites”.
    Local: Salão Nobre
  • 12:15 às 12:45 – Primeira Roda de Conversa sobre Cuidados Paliativos do Congresso Nacional.
    Local: Salão Nobre

Toda a programação será transmitida pela TV Câmara.

O longa, produzido pela Maria Farinha Filmes, líder em entretenimento de impacto da América Latina, e idealizado por Marta Pipponzi, oferece uma visão revolucionária sobre a nossa longevidade, e o impacto das desigualdades sociais que a atravessam. “Quantos dias. Quantas noites” apresenta o depoimento de especialistas como Alexandre Kalache, Médico Gerontólogo, Presidente do Centro de Longevidade – Brasil; Sueli Carneiro, Filósofa, Doutora em Educação pela USP, Coordenadora Executiva do Geledés; Alexandre Silva, Líder da Comunidade Compassiva; Dra. Ana Claudia Quintana Arantes, Médica Geriátrica e Escritora; Tom Almeida, Fundador do movimento inFINITO; Mórris Litvak – Criador da Plataforma Maturi, e Dra. Nilda Sant’Anna, Médica pneumologista.
A participação do filme na comissão foi parte da campanha de impacto liderada por Mariana Mecchi, Diretora de Expansão do Alana e uma das produtoras executivas de “Quantos dias. Quantas noites”. “Este projeto nasceu para fomentar debates e despertar novos olhares sobre nossa existência e sobre como cuidamos daqueles que estão mais vulnerabilizados. E só conseguimos fazer isso se estivermos bem conectados com uma rede de pessoas e iniciativas que atuam pela causa. O dia de hoje é um exemplo de uma articulação que reúne ativistas, poder público e a Maria Farinha em busca de transformações que impactam diretamente nossas vidas”.
Mais sobre o projeto de Lei:

 

Direitos
Como direitos do paciente, o texto prevê o acesso a cuidados paliativos integrais adequados à complexidade da situação e às suas necessidades. Também assegura ao paciente informações sobre seu estado clínico, caso seja da sua vontade, e participação ativa nas tomadas de decisão sobre os cuidados que lhe serão prestados.

 

Aos familiares, o projeto assegura o direito a apoio adequado e a informações sobre o estado clínico do paciente, podendo participar das tomadas de decisão, desde que resguardada primordialmente a vontade do paciente.

 

Para garantir a assistência plena aos pacientes em cuidados paliativos, a proposta prevê a formação de profissionais com conhecimentos e habilidades específicas para lidar com os diferentes níveis da atenção à saúde.

Contexto

Menos de 10% dos hospitais têm equipes de cuidados paliativos no Brasil. Serviço essencial para que doentes graves e sem chances de cura tenham qualidade de vida até o fim, apenas 0.3% dos pacientes que precisam de cuidados paliativos têm acesso.

 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que a cada ano mais de 56 milhões de pessoas no mundo necessitam de cuidados paliativos. E a tendência é que esse número cresça ainda mais por causa do envelhecimento da população, aumento de doenças crônicas e de quadros de demências.

 

Sobre o filme

Estudos dizem que o humano que vai viver 150 anos já nasceu. Mas o que estamos de fato fazendo com essa oportunidade? “Quantos dias. Quantas noites”, novo documentário da Maria Farinha Filmes (“Aruanas”, “Começo da Vida”) dirigido por Cacau Rhoden (“Nunca Me Sonharam”, “Tarja Branca”), realiza um profundo mergulho nos propósitos da nossa existência no planeta. Especialistas e pensadores nos convidam a enxergar as oportunidades e as desigualdades nesse tema, além da nossa própria conexão com o tempo e com a idade. Com a participação de Alexandre Kalache, Sueli Carneiro, Ana Claudia Arantes, Mona Rikumbi, Ana Michelle Soares, Tom Almeida e Alexandre Silva, o filme traz à tona uma investigação essencial no nosso século: a revolução da longevidade já começou, e veio para transformar o futuro de todas as gerações.

 

Sobre Cacau Rhoden

O diretor Cacau Rhoden começou a carreira nos anos 90, trabalhando em produções de televisão, filmes publicitários e cinema. Dirigiu os curtas-metragens A Cega (1994), Infinitamente Maio (2001), Meninos de Areia (2005), Gotas (2005), Who? Walls and Bridges (2015) e Food, Funk and Favela (2023). Seu primeiro longa-metragem, Tarja Branca – A Revolução que Faltava (2014), produzido pela Maria Farinha Filmes, conquistou o prêmio de melhor documentário no Festival de Toronto. Entre os trabalhos mais recentes estão o longa Nunca Me Sonharam (2017), premiado como Melhor Documentário no festival de Los Angeles e exibido na sede da ONU, em Nova York; e a série documental “Corações & Mentes – escolas que transformam” (2020), exibida no canal GNT, ambos produzidos pela Maria Farinha Filmes.
Sobre a Maria Farinha Filmes

Há mais de 15 anos contando histórias com o objetivo de despertar grandes mudanças, a Maria Farinha Filmes já produziu mais de 60 filmes, séries e outros formatos que impactaram milhões de pessoas em todo planeta. A primeira produtora da América Latina a receber o certificado B Corp, desenvolveu projetos como O Som do Rio (2022), O Começo da Vida 2 (2020), Um Crime entre Nós (2020), Eleitas (2020), Aruanas (2019/2021), Nunca Me Sonharam (2017), O Começo da Vida 1 (2016), Jovens Inventores ( 2015), Tarja Branca (2014), Muito Além do Peso (2012), entre outros.

POR: Rita Moraes
Publicado em 14/12/2023