ConexãoIn

Juiz é afastado por assédio moral e sexual no Rio de Janeiro

O Conselho Nacional de Justiça-CNJ, puniu o Juiz Glicério de Angiolis Silva, com a pena de disponibilidade com vencimentos proporcionais por tempo de serviço.

O Juiz gritava com a equipe humilhando os colaboradores. Com as estagiárias, o magistrado tocava nelas e fazia convites intempestivos, na presença de outras pessoas. Com uma das estagiárias, o juiz pediu uma foto de biquíni, é um “abraço bem gostoso”.

Glicério foi afastado do cargo por dois anos, não poderá ocupar outros cargos públicos, nem advogar.

O juiz só poderá retornar as suas atividades, caso solicite formalmente ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, e este acate seu retorno.

Como desculpa pelos atos, Glicerio afirmou que agia com liberdade por estar solteiro.

Glicerio de Angiolis Filho atuava nas Comarcas de Miracema, Lage de Muriaié e Piracambi.

Julgamento

Ao analisar o caso, o conselheiro Marcos Vinícius Jardim votou por aplicar a pena de disponibilidade. O conselheiro considerou o histórico do juiz “um profissional operoso, dedicado e que trouxe inúmeros efetivos àquelas comarcas”, porém, Marcos Vinícius Jardim entendeu que tais fatos não prescindem do comportamento adequado no seu oficiar.

Nao conseguimos fotos do autor dos assédios.

#Conectadocomanoticia 

#conecaoin

POR: Rita Moraes
Publicado em 24/06/2021