ConexãoIn

Irma Ferreira lançou EP “Cantos e Rezas” dia 14

O show “Cantos e Rezas” marca o lançamento do EP “Cantos e Rezas”, no último domingo,14,  às 17h. No palco, a cantora Irma Ferreira estará ao lado do maestro Fred Dantas e do alabê Luan Badaró, interpretando Itãs (histórias), àdúràs (cantigas) e oríkìs (orações) que reverenciam os orixás Omolu, Oxumaré, Ossanha, Nanã, e Ewa, pertencentes à família Unjí.

A apresentação incluiu os cinco cantos e rezas que compõem o EP e mais algumas releituras já apresentadas na série de vídeos denominada “Em Cantos de Orixás”. Seguindo a direção apontada desde o início da pesquisa que deu origem ao show, todos os cantos e rezas são apresentados na voz de forma integral, sem desenvolvimentos ou arranjos, assim como os toques originais são reproduzidos na percussão sem variações, embora resumidos a um instrumentista. Toda e qualquer variação ou introdução é feita eventualmente com os instrumentos de sopro.

O show “Cantos e Rezas” pretende aproximar mais uma vez o público do universo artístico relacionado ao culto do candomblé.  Essa realização, com uma interpretação atenciosa das melodias, palavras e intenções, resultou em uma maneira nova de apresentar a arte associada à afro-religiosidade, e tem – através do EP e da série “Em Cantos de Orixás” – colecionando elogios em várias partes do Brasil e do mundo. 

Ficha técnica

Irma Ferreira, voz

Fred Dantas, oficleide e bombardino

Luan Badaró, percussão.

Técnico de som:

Técnico e luz:

Título oficial:

Cantos e rezas

 Contatos para entrevistas:

Irma Ferreira (71) 99190.9601

Fred Dantas (71) 99977.2722

Links e vídeos informativos

Instagram: @irmaferreirasoprano

                        @maestrofreddantas

Irma Ferreira

Natural de Salvador-Bahia, Irma Ferreira é graduada em Canto Lírico, Mestra em Performance musical pela UFBA e pós-graduanda em História e cultura Afro-brasileira, pelo Instituto Nacional de Ensino. Atuou como protagonista da “Ópera dos Terreiros” de Aldo Brizzi e Jorge Portugal, e da ópera “Lídia de Oxum”, de Lindembergue Cardoso e Ildazio Tavares. É solista do Laboratório de Ópera da UFBA, do Núcleo de Ópera da Bahia, da Orquestra Fred Dantas e da Orquestra São Salvador.

Vêm atuando no ramo de produção cultural desde 2010, estando a frente da produção como Ópera no museu, ópera na Bahia, Gafieira na Bahia, encontro de filarmônica do dois de julho, axé orquestrado, entre outros eventos particulares dentro e fora do município. Em 2021 realizou o show Àjòdún, no Teatro Gamboa nova e no Teatro do Sesc Pelourinho, lançou a serie de vídeos Em Cantos de Orisà, o EP Cantos e rezas, o recital Espírito Negro no Sesc Virtualidades, a show Líricas Negras no projeto Sonora Brasil, participou do show Do Camarim do Coração de Jarbas Bitencout, além de lives-shows.

Fred Dantas

Fred Dantas nasceu em Salvador, a 12 de novembro de 1959. É Doutor em Música pela Universidade Federal da Bahia (2015). Mestre em música, Etnomusicologia (1993), graduado em Instrumento, trombone (1998) e Composição e Regência (1984), pela mesma universidade. É integrante da Orquestra Sinfônica da UFBA, como trombonista. Fundou em 1982 a Oficina de Frevos e Dobrados, filarmônica de notáveis contribuições para a cultura musical de Salvador e da Bahia. É criador e organizador do Encontro de Filarmônicas no 2 de Julho. Fundou a Orquestra Fred Dantas e a Escola Ambiental, no Litoral Norte da Bahia.  Fred Dantas escreveu um artigo, por solicitação do site Amazon, sobre o primeiro festival de Alabês, Xicarangomas e Runtós – Alaiandê Xirê, que foi tão bem acolhido que o maestro foi convidado a coordenar as três edições subsequentes do Festival, realizado no Ilê Axé Opó Afonjá, sob a supervisão da saudosa Mãe Stella de Oxossi.  Fred é um músico muito ativo no cenário do choro e samba em Salvador, atuando inclusive com nomes do cenário nacional, o que o levou a excursionar por vários países, realizando gravações que hoje fazem parte do acervo internacional sobre a cultura musical do Brasil.

Luan Badaró

 Percussionista iniciado musicalmente como Alagbê do Terreiro Ilê Asè Olo Omin, formado em técnico em instrumento musical pela Escola de Música e Tecnologias Pracatum Associação Pracatum Ação Social – APAS. Nascido em Salvador, iniciou-se  na  cultura de matriz africana muito jovem, com sua avó e sua mãe. Em 2001 aprimorou seus aprendizados nos toques aos Orixás no projeto Rum Alagbê no Terreiro do Gantois onde atualmente é instrutor de percussão. Formado pela Escola Olodum como aprendiz de Lideranças- Afrodescendentes e de aprendiz de Percussão Samba-Reeggae no ano de 2012 e 2013. Neste mesmo ano foi convidado pelo maestro Fred Dantas para atuar na música popular, assim dando inicio à sua carreira profissional em Salvador, realizando trabalhos com o Bloco Afro Olodum, Orquestra Fred Dantas e Orquestra Brasileira de São Salvador. Luan Badaró participou da percussão de palco na Ópera Lídia de Oxum, gravou o CD “Obatalá uma homenagem a Mãe Carmen”, do Festival da ONU no Qatar com a Banda Percussiva Pracatum. Participou na execução dos instrumentos para o Livro “Afro-Book”, Pracatum Tambô, África Beat, Banda Água Fresca, do Festival de Samba do Bloco Alerta Geral, atua como freelancer de shows e gravações e atualmente Professor de percussão no Espaço Cultural Pierre Verger.

Classificação etária

livre

#Conexaoin 

#conectadocomanoticia

POR: Rita Moraes
Publicado em 14/11/2021