ConexãoIn

DIRIGIDO POR DANIEL BANDEIRA, PROPRIEDADE RECEBE TRAILER E PÔSTERES OFICIAIS E NOVA DATA DE ESTREIA

 
Um dos filmes brasileiros mais comentados no último ano dentro do circuito de festivais, PROPRIEDADE teve o seu lançamento comercial adiado para 21 de dezembro. Com direção de Daniel Bandeira (o mesmo de “Amigos de Risco”), o thriller, realizado com recursos do Funcultura Audiovisual e do Edital de Longas de Baixo Orçamento do Ministério da Cultura e produzido pela Símio Filmes e Vilarejo Filmes, chegará às salas de cinema pelo projeto Sessão Vitrine Petrobras. Neste release, confira trailer e pôsteres oficiais.

 

 

Também autor do roteiro, Daniel Bandeira se relaciona há muito com o conceito que se transformaria em PROPRIEDADE. Apreciador do suspense, Daniel a princípio desenvolveu o argumento como um exercício formal sobre enclausuramento. No entanto, a ideia passou a receber contornos políticos ao perceber, a partir de 2010, um país mais polarizado do que nunca.

 

 

Havia aquele gráfico da apuração das eleições, do Norte Vermelho e do Sul Azul. Então, essa ideia original acabou sendo infiltrada por essa percepção de que o Brasil estava dividido. Ele sempre esteve dividido, na verdade, mas isso acabou me afetando de forma inédita. PROPRIEDADE acaba sendo um comentário também sobre como a violência que acontece na cidade tem suas raízes muito profundas, que retrocedem no espaço. No campo e no tempo, porque são questões muito antigas, muito históricas. Então, no final de contas, a gente acaba vendo somente o efeito imediato dessa opressão na cidade, muitas vezes não se dando conta de que a origem disso está no campo, está na história.

 

Rodado entre 11 de setembro e 7 de outubro de 2018, PROPRIEDADE imprime na tela a tensão que o país vivenciou, com a equipe recepcionando os resultados do primeiro turno eleitoral daquele ano no último dia de filmagens na Fazenda Morim, de São José da Coroa Grande, município de Pernambuco. Houve também uma camada adicional percebida, a posteriori, pela atmosfera claustrofóbica, quase uma alegoria do isolamento social que tomaria o mundo um ano depois. Com o protagonismo da narrativa muitas vezes concentrado em Tereza e Dona Antônia, personagens respectivamente interpretadas por Malu Galli e Zuleika Ferreira, Daniel encontrou uma forma de representar a incomunicabilidade de duas integrantes de diferentes esferas sociais. “Eu acho que a gente vive em um momento em que é muito difícil se colocar no lugar do outro, de entender as motivações do outro. E, com isso, a gente acaba perdendo as nuances, as motivações, coisas que a gente poderia usar para tentar resolver nossas diferenças.

 

A partir disso, PROPRIEDADE coloca o espectador no lugar de testemunha dupla das motivações de cada lado. “Eu acho que é nisso que reside a grande tragédia, não só da história do filme, mas da história dos nossos tempos. E que só quando rompemos essa blindagem, ou quando abrimos a porta, ou quando descemos o vidro para poder falar com o outro, que nós temos uma condição de iniciar um diálogo, de estabelecer um clima de resolução de diferenças, resolução de problemas. Até lá, a incomunicabilidade é o motor da nossa tragédia”, reflete Daniel.

No Brasil, PROPRIEDADE esteve na programação do Festival do Rio (com a montagem de Matheus Farias sendo premiada), da 46ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, do 17º Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro, da 26ª Mostra de Cinema de Tiradentes, da 17ª CineBH – Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte, Rio Fantastik Festival 2023 (eleito, entre demais prêmios e menções, Melhor Longa-Metragem e Melhor Diretor de Longa-Metragem pelo Júri Oficial), entre outros.

 

 

No circuito internacional, passou por renomados festivais do calendário anual, como o Festival de Berlim, o Edimburg International Film Fest, o MotelX (de Lisboa, Portugal), o espanhol Sitges, os americanos Brooklyn Horror Fest e Fantastic Fest (vencedor de Melhor Filme em ambos), o holandês Leiden International Film Festival, entre outros. Está também agendada uma exibição em 20 de dezembro no MoMA, o Museu de Arte Moderna de Nova York, dentro do programa The Contenders 2023, um recorte com as obras mais influentes e importantes dos últimos 12 meses.

 

 

Segundo o diretor e roteirista, “PROPRIEDADE tem conseguido se comunicar com plateias estrangeiras, tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, não somente em termos de impacto ou linguagem. Eles conseguem fazer essa relação entre a nossa história recente e a tensão que acontece no filme. Pensado numa realidade específica, eu acho que ele também ativa alguns botões, também puxa algumas cordinhas nos conflitos de classe da forma como existem nos países onde ele é exibido”.

 

Agora, Daniel Bandeira se mostra ansioso com a exibição comercial de PROPRIEDADE no Brasil a partir de dezembro e com o selo da Sessão Vitrine Petrobras. “O projeto apresenta essa característica de ter uma penetração muito grande nos cinemas do Brasil, alcançando diversas realidades e camadas da sociedade brasileira. Interessa-me muito saber como cada camada vai interpretar, o que cada camada vai trazer de si, vai ver refletida de si própria no filme. É uma oportunidade excelente que aproxima tanto o público mais abastado, que tem mais acesso ao cinema, quanto o público cuja proximidade com o cinema ainda precisa ser uma realidade.

 

 


PROPRIEDADE
já tem exibição confirmada nas seguintes cidades: Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, João Pessoa, Maceió, Manaus, Niterói, Palmas, Porto Alegre, Recife, Rio Branco, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e Vitória.

Siga PROPRIEDADE no Instagram:
https://www.instagram.com/propriedade.filme/

 

Sinopse
Para se proteger de uma revolta dos trabalhadores da fazenda de sua família, uma reclusa estilista se enclausura em seu carro blindado. Separados por uma camada impenetrável de vidro, dois universos estão prestes a colidir.

 

Ficha Técnica
Direção: Daniel Bandeira
Roteiro: Daniel Bandeira
Produção: Kika Latache, Livia de Melo
Direção de Produção: Juliana Calles e Tiago Melo
Elenco: Malu Galli, Zuleika Ferreira, Tavinho Teixeira, Sandro Guerra, Roberta Lúcia, Amara Rita Magalhães, Marcílio Moraes, Nivaldo Nascimento, Clebia Sousa, Marília Souto, Chris Veras, Carlos Amorim, Anderson Cleber, Aruandhê Pereira, Andala Quituche, Natureza Rodrigues, Maria José Sales, Ângelo Fàbio, Ane Oliva, Samuel Santos, Edilson Silva, Erick Silva
Direção de Fotografia: Pedro Sotero
Direção de Arte: Maira Mesquita
Figurino: Andréa Monteiro
Montagem: Matheus Farias
Maquiagem e Caracterização: Tayce Vale
Trilha Sonora: Caio Domingues, Nicolau Domingues
Som Direto: Lucas Caminha
Desenho de Som: Nicolau Domingues
Colorista: Pablo Nóbrega
Produtora: Símio Filmes, Vilarejo Filmes
Ano de Produção: 2022
Duração: 100 minutos
Sobre Daniel Bandeira
Daniel Bandeira começou no audiovisual em 2001. Como montador, colaborou com vários realizadores do cinema pernambucano, como Kleber Mendonça Filho, Camilo Cavalcanti e Gabriel Mascaro. Em 2007, estreou como roteirista e diretor em longa-metragem com “Amigos de Risco”. Desde então, colaborou com a direção dos curtas “Sob a Pele” (2011), com Pedro Sotero, e de “Soledad” (2015), com Joana Gatis e Flávia Vilela. Como montador, assinou a edição dos longas “O Nó do Diabo” (2017), produção coletiva da produtora Vermelho Profundo, e de “Brasil S/A”, de Marcelo Pedroso, pelo qual conquistou o prêmio de Melhor Montagem no Festival de Brasília de 2014. PROPRIEDADE é seu segundo longa-metragem.

 

Sobre a Símio Filmes
A Símio Filmes atua em Recife desde 2001. É dela que vêm “Um Lugar ao Sol”, de Gabriel Mascaro, e “Pacific” e “Balsa”, de Marcelo Pedroso. Em 2007, “Amigos de Risco”, primeiro longa de ficção de Daniel Bandeira, foi selecionado para o Festival de Brasília, enquanto “Brasil S/A”, de Marcelo Pedroso, levaria os prêmios de Melhor Direção, Roteiro, Som e Montagem. Em 2019, em coprodução com a Cinemascópio, a Símio Filmes chega a Cannes com “Bacurau”, codirigido por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. Em 2023, a Símio lançou o documentário “Por Trás da Linha de Escudos”, de Marcelo Pedroso. PROPRIEDADE, segundo longa de Daniel Bandeira, é seu próximo lançamento.

 

Sobre a Vilarejo Filmes
A Vilarejo Filmes é uma produtora pernambucana fundada em 2013 por Livia de Melo e Kika Latache, que munidas pelo desejo de produzir conteúdo audiovisual – principalmente de diretoras(es) estreantes –, produziram mais de 15 projetos entre longas, curtas, séries e festivais para públicos diversos. Destacam-se entre suas obras de ficção e documental os longas PROPRIEDADE, de Daniel Bandeira, 73º Berlinale; “Brasil S/A”, de Marcelo Pedroso, 65º Berlinale e mais 20 festivais; “O Bem Virá”, de Uilma Queiroz, Olhar de Cinema e mais 80 festivais; e os curtas “Guaxuma”, de Nara Normande, exibido em mais de 80 festivais e qualificado para o Oscar; e “Rosário”, de Igor Travassos, Festival do Rio.

Sobre a Sessão Vitrine Petrobras
A Sessão Vitrine é um projeto inovador de distribuição coletiva de filmes brasileiros. Com um lançamento mensal, seu principal objetivo é a formação de público, promovendo a democratização do cinema nacional. Com ingressos a preços reduzidos, a Sessão Vitrine já alcançou 250 mil espectadores nos cinemas e conquistou diversos prêmios no Brasil. Possui uma rede de cinemas parceiros com mais de 30 salas em, pelo menos, 15 estados e, através das plataformas digitais. A curadoria da Sessão Vitrine Petrobras é feita pela criadora do projeto e da Vitrine Filmes, Silvia Cruz, em parceria com a curadora Talita Arruda e Débora Butruce, esta responsável pelos filmes de patrimônio. A proposta curatorial do projeto é feita priorizando filmes brasileiros e coproduções internacionais que despertem interesse no público, seja pela inovação do seu processo criativo, pelo seu viés autoral ou pela sua qualidade e originalidade ao se posicionar propositadamente diante de aspectos da nossa cultura. A escolha dos filmes visa também abraçar temáticas, gêneros e propostas estéticas diferentes e produções de diversos estados brasileiros, proporcionando uma programação diversificada para o público em geral. Segundo Silvia Cruz, “depois de seis anos, a Petrobras volta a adotar a Sessão Vitrine. Isso representa a retomada do olhar das políticas públicas para a cultura brasileira. É um indício de um novo capítulo do cinema brasileiro representado pela Sessão Vitrine, um catalizador da diversidade formal e temática do cinema feito no Brasil”.

 

Sobre o Patrocínio
A Petrobras é uma empresa que tem como parte de sua história o apoio contínuo à Cultura, iniciado há mais de 40 anos. O Programa Petrobras Cultural contribui ativamente para o desenvolvimento do setor, por meio de seleções públicas e projetos convidados, mantendo presença e diálogo com sociedade. Nessa trajetória, a retomada da parceria com o projeto Sessão Vitrine Petrobras marca uma nova fase do Programa, de apoio a grandes projetos. Além do Sessão Vitrine, a empresa está também presente no segmento audiovisual em projetos como a Mostra Internacional de Cinema de SP, na Mostra de Cinema de Gostoso no Rio Grande do Norte e Festival de Cinema de Vitória. O Programa Petrobras Cultural se encontra em reformulação e irá divulgar mais novidades em breve.

 

Sobre a Vitrine Filmes
A Vitrine Filmes, desde 2010, já distribuiu mais de 200 filmes e alcançou milhares de espectadores apenas nos cinemas do Brasil. Entre seus maiores sucessos estão “Bacurau”, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, Prêmio do Júri no Festival de Cannes 2019; “O Processo”, de Maria Augusta Ramos, que entrou para a lista dos 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional; e “Druk: Mais Uma Rodada”, de Thomas Vinterberg, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2021. Em 2020, a Vitrine Filmes iniciou um novo ciclo de expansão e renovação. Entre as iniciativas, o lançamento da Vitrine España, que produz e distribui longas-metragens na Europa; o Vitrine Lab, curso online sobre distribuição cinematográfica, vencedor do prêmio de distribuição inovadora do Gotebörg Film Fund 2021; a Vitrine Produções, para o desenvolvimento e produção de títulos brasileiros; e, em 2022, a criação do selo Manequim, focado na distribuição de filmes com apelo a um público mais amplo. Na produção, o primeiro lançamento, “Amigo Secreto” (DocLisboa 2022), de Maria Augusta Ramos, teve mais de 15 mil espectadores no Brasil. Em 2023, a Vitrine Filmes apresenta ainda mais novidades para a produção e distribuição audiovisual. Entre as estreias do ano estão a animação “Perlimps”, de Alê Abreu, “Nosso Sonho”, de Eduardo Albergaria, do selo Manequim Filmes; o vencedor do Festival de Gramado, “Noites Alienígenas”, de Sérgio de Carvalho e a indicação brasileira para o Oscar “Retratos Fantasmas”, de Kléber Mendonça Filho, com coprodução Vitrine Filmes

POR: Rita Moraes
Publicado em 10/12/2023