ConexãoIn

Brina Costa e Samba de Bando estreiam na Casa da Mãe

Uma diversidade de ritmos, estilos, sempre tocados com muito talento. É o que se pode encontrar todas as semanas na programação da Casa da Mãe nos shows dos artistas que brilham na cena cultural baiana. Esta semana tem o show intimista de Brina Costa, o samba do Siri Catado, a roda do Samba de Bando e a  música latina do Sonora Amaralina. Confira!

Na quinta-feira, 9 de junho, às 21h, tem a estreia na Casa da Mãe, com o show de Brina Costa, que será acompanhada de Paulo Mutti, que fez a direção musical e tocará violões, Lorena Martins, na bateria e Alexandre Vieira no baixo acústico. O show conta ainda com as participações especiais de Aiace e Fabio Sacramento.   A promessa é de um show intimista e acolhedor conduzido pela voz de Brina Costa, onde as canções comunicam e emocionam. “Um mergulho em temas do eu, do ser, do existir, nesse tempo espaço que nos esmaga”, diz a artista. Assim, no momento presente onde o silêncio, a pausa e o ócio são vistos como luxo na sociedade da performance e do consumo, um exercício dialético se apresenta entre as várias personas evocadas nas letras das canções de Brina Costa.

Na sexta-feira, dia 10 de junho, tem Enio Bernardes e o Grupo Siri CatadoLiderado pelo sambista, cantor, compositor, produtor e pesquisador de samba tradicional e do samba de roda do Recôncavo Baiano, o paulista Enio Bernardes, o Grupo Siri Catado tem realizado um longo trabalho de apresentações e divulgação do samba em diversos espaços de Salvador. Ênio Bernardes é também professor e fundador do Núcleo de Samba do Cupinzeiro em Barão Geraldo na cidade de Campinas/SP e do Bloco de Samba De Hoje a Oito, no bairro do Santo Antônio em Salvador/BA, no qual atuou durante anos como mestre de bateria. Durante sua trajetória, tem sempre valorizado e fomentado a tradição de homenagear os grandes mestres do samba e suas obras, como Cartola, Paulinho da Viola e Batatinha. O grupo Siri Catado, fundado em 2013, e em seu repertório busca sempre incluir sucessos que falam e mexem com a memória do grande público.

No sábado, dia 11 de junho, tem a estreia na Casa da Mãe do Samba de Bando, um movimento de cultura popular que surgiu em Salvador no ano de 2015 com a realização do evento Sambangola. Esse projeto foi idealizado pelo mestre Guaxini do Mar, de Barra Grande, Itaparica, e está diretamente conectado ao fundamento do Bando Maré de Março de capoeira angola, que através da forte influência da cultura do Recôncavo baiano, busca dar continuidade às cantigas, o sotaque e a pegada presente nesse incrível berço do samba de roda.

No domingo, dia 12 de junho, a Casa da Mãe recebe a partir das 19h, o Sonora Amaralina, que é uma orquestra de Cumbia formada por Daniela Natali (clarinete), Matias Traut (trombone), Fernando Isaia (trompete), Felipe Guedes (baixo e guira) Marcel Moron (congas), Mauricio Muñoz (percussão), Celival (sax barítono), Gleison Coelho (sax tenor) e Bruno Aranha (piano). No repertório, muita música instrumental latino-americana. Nascida na Colômbia, onde sua raiz são os tambores e os instrumentos ocidentais, a partir da mistura das culturas de origem africana, indígena e europeia, a cumbia foi se espalhando por todo o continente americano e ganhou o mundo. O Sonora Amaralina traz releituras do repertório de orquestras da música popular latino-americana e músicas autorais com sotaque soteropolitano.

Serviço:

Quinta-feira – Show de Brina Costa, dia 09.06, às 21h – couvert R$ 20,00

Sexta-feira – Show do Grupo Siri Catado, dia 10.06, às 21h – couvert R$ 15,00

Sábado – Show do Samba de Bando, dia 11.06, às 21h – couvert R$ 20,00

Domingo – Show do Sonora Amaralina, dia 12.06, às 19h – couvert R$ 15,00

A abertura da Casa da Mãe, que fica na  Rua Guedes Cabral, 81, no Rio Vermelho, é às 19h. É prudente preciso fazer reserva pelo telefone 71 98732-5803. O bar e restaurante segue todas as normas e diretrizes dos órgãos de saúde com o uso obrigatório de máscara, apresentação de comprovante de vacinação e distanciamento entre mesas, entre outros. 

*Pagode de Velho faz temporada especial na Casa da Mãe*

O grupo Pagode de Velho está fazendo o maior sucesso por onde passa, tanto que já está nos planos a gravação do primeiro EP. Para celebrar tudo isso o Pagode de Velho faz uma temporada especial de shows na Casa da Mãe e se apresenta nos dias 14, 21 e 28 de maio, que são sábados, a partir das 22h. O couvert é R$ 20.

O grupo Pagode de Velho nasceu meio que por acaso num domingo ensolarado de um encontro inusitado entre músicos que se conheciam, tinham o mesmo gosto musical, nunca haviam tocado juntos, mas ali na hora formaram uma roda de samba. Foram tirando os instrumentos musicais de dentro do carro – banjos, cuica, candeiro, tantan e a roda de samba que começou tímida fez com que o ambiente todo se transformasse numa verdadeira apoteose, com o público se reunindo em volta, acompanhando com a palma da mão e cantando os refrões dos sambas clássicos de grandes compositores brasileiros.

Pois aí nasceu o grupo de samba Pagode de Velho que com esse nome já deixa claro a linha de repertório que prioriza as canções clássicas. Os integrantes são músicos que também acompanham outros artistas tendo assim larga experiência com apresentações de música em todos os níveis. Tem Betho Wilson (banjo e voz), Jonilson Pantera (cavaco e voz), Leonardo Kibe (surdo e tantan) e Rafael Costa (pandeiro e cuíca). Como convidados músicos que estarão à frente do violão 7 cordas, reco-reco e percussão.

 

Serviço

Temporada do grupo Pagode de Velho

Data e horário: dias 14,21 e 28 de maio, às 22h

Local: Casa da Mãe – Rua Guedes Cabral, 81 – Rio Vermelho

Couvert: R$ 20

A abertura da Casa da Mãe, que fica na  Rua Guedes Cabral, 81, no Rio Vermelho, é às 19h. É prudente preciso fazer reserva pelo telefone 71 98732-5803. O bar e restaurante segue todas as normas e diretrizes dos órgãos de saúde com o uso obrigatório de máscara, apresentação de comprovante de vacinação e distanciamento entre mesas, entre outros. 

POR: Rita Moraes
Publicado em 09/06/2022