ConexãoIn

Juiza é encontrada morta em carro em Belém do Pará

A juíza Mônica Maria Andrade Figueiredo de Oliveira foi encontrada morta dentro do carro do marido, na manhã desta terça-feira,  no estacionamento de um prédio, em Belém (PA). O corpo tinha um ferimento por arma de fogo. A polícia investiga o caso. 

A mulher era prima da vereadora de Campina Grande (PB), Ivonete Ludgério. Natural de Barra de Santana, na Paraíba, Mônica atuava na cidade de Martins, no Rio Grande do Norte, mas visitava Belém frequentemente, de acordo com familiares. A magistrada era casada com João Augusto Figueiredo de Oliveira Júnior, também juiz, no  Pará.

Ela deixou dois filhos, um adulto e uma adolescente, do primeiro casamento do primeiro casamento. Monica se formou no curso de direito na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), sendo aprovada como juíza nos estados do Ceará e, em seguida, no Rio Grande do Norte, onde atuava na 38ª Zona Eleitoral de Martins. 

Ela casou-se em julho de 2021, com o também juiz João Augusto Figueiredo de Oliveira Júnior, da 1ª Vara da Infância e da Juventude de Belém. Segundo um familiar da vítima, a magistrada era uma “talentosa juíza, cheia de vida”, seus parentes estão abalados com a notícia de seu falecimento.

Cena do crime

O caso chamou atenção nas redes sociais. Isso porque o cadáver foi encontrado pelo marido, o juiz João Augusto Figueiredo de Oliveira Júnior, no início da manhã, que ao em vez de acionar a polícia, levou o corpo até a sede da Divisão de Homicídios da Polícia Civil, no bairro do São Brás.

Agora, a polícia investiga o motivo de o homem ter levado o corpo à delegacia ao invés de chamar a polícia, alterando a cena do crime.

POR: Rita Moraes
Publicado em 17/05/2022