ConexãoIn

Sonia Braga completa 70 anos com vitalidade e talento marcantes

Sonia Braga é uma daquelas pessoas que marca presença aonde vai e angaria críticas positivas e aplausos em suas atuações. Paraense, de Maringá, a atriz completa 70 anos nessa segunda-feira, 9 de junho, com a mesma vivacidade, engajamento social e demonstra um talento amplo e amadurecido. Sua   presença em filmes nacionais chamam atenção do mundo para a produção brasileira, angariando destaques e prêmios em festivais. Não é à toa, Sonia se entrega de corpo e alma a cada personagem e sua identificação com o roteiro extrapola a tela do cinema. A atriz brasileira e norte-americana é um orgulho nacional, como o futebol, a caipirinha, Jorge Amado, Fernando Meirelles, João Gilberto e Tom Jobim.

Seu papel mais recente foi na sexta temporada da série de TV  Royal Pains  (canal USA Network) e a Marvel confirmou seu nome no elenco de Marvel´s Luke Cage,  primeiro super herói negro em revista, série que estreou em 2016 na Netiflix. Sonia emprestou em Bacurau, filme de 2019, sua força e personalidade a personagem Domingas, uma médica em um micro povoado do Nordeste brasileiro. Em poucas cenas, toma o centro, arrebata o espectador com a desenvoltura digna das grandes damas da dramaturgia.

Carreira

A atriz levou o nome do Brasil para fora do país e protagonizou sucessos de bilheteria aqui divulgando a Bahia, suas belezas naturais, a malemolência e a malícia brejeira das personagens Gabriela (1976 na tv), Dona Flor (1976), Tiêta (1985) e Gabriela (1996 versão para o cinema), todos baseados em livros do consagrado escritor baiano Jorge Amado. Na tv, protagonizou papéis excepcionais nas novelas brilhando na pele de Júlia Matos em “Dancin’ Days” (1978), “Irmãos Coragem”, “Selva de Pedra”, “Vila Sésamo” e “Fogo Sobre Terra”. Mas, foi no cinema que construiu uma carreira sólida, que a ela  visibilidade internacional, reconhecimento, e muitos prêmios.

Tudo começou quando o diretor de novelas Vicente Sesso para fazer teleteatros e programas infanto-juvenis no programa Jardim Encantado. Ela tinha apenas 14 anos.  Depois disso, ela se integrou num grupo teatral que se apresentava no ABC paulista. Aos 17 anos, estreou na peça O Marido Confundido – George Dandin em Santo André.  Em 1978, aos 18 anos, participou da montagem brasileira de Hair, onde causou escândalo ao aparecer em cena nua. Além disso, ela também atuou no teatro infantil, como na peça de 1979No País dos Prequetés.

Ainda em 1968, Braga participaria do filme O Bandido da Luz Vermelha e no inicio dos anos 70, apareceu em papéis coadjuvantes em filmes como A Morenhina (1970) e Cleó e Daniel (1970). No ano seguinte, foi escalada para atuar em A Menina do Veleiro Azul (1969), de Ivani Ribeiro, na tv Excelsior,   mas a emissora fechou antes de a novela ir ao ar. Foi convidada, então, para fazer Irmãos Coragem (1970), de Janete Clear na tv Globo. Nos anos seguintes, trabalhou em outras duas novelas da autora: em Selva de Pedra (1972), no papel de Flávia, e em Fogo Sobre Terra  (1974), como Brisa. Braga ainda participou da versão brasileira de Sesame Streat chamada Vila Sézamo no início da década de 1970.

Carreira Internacional

O filme “O Beijo da Mulher Aranha” é um divisor de águas na carreira de Sonia. Dirigido por Hector Babenco (in memorian), adaptado por Leonard Schrader através de um romance homônimo escrito por Manuel Puig, que a morena latina causa furor fora do país.  O elenco recheado de grandes talentos a exemplo de Raul Julia (in memorian) e Wiliam Hurt é um divisor de águas em sua carreira. Sonia Braga, apesar de pouca participação dá um banho na tela, preenchendo os olhos do espectador de sensualidade, mistério e talento. Mostrou que veio para ocupar um lugar na história do cinema mundial e colocar o Brasil definitivamente no cenário internacional.

Já conhecida na classe artística de Hollywood, Sonia Braga foi a primeira brasileira a apresentar uma categoria no Oscar parecer em mais dois grandes papéis em Hollywood, ambos lançados em 1988: Rebelião em Milagro, dirigido por Robert Redford e na comédia, Luar sobre Parador, no qual foi indicada ao Globo de Ouro de Melhor Atriz Coadjuvante em 1989.

 

Indicação a vários prêmios

Ela assumiu os personagens coadjuvantes em The Rockie ao lado de Clint Easwood  e Charlie Sheen , e em inúmeros telefilmes e minisséries. No entanto, mesmo como coadjuvante Braga conseguiu ser nomeada a dois prêmios  Globo de Ouro e um Emmy Awards este último por seu papel em Amazônia em Chamas um telefilme produzido pela HBO em 1994, que conta a história de vida do seringueiro acriano Chico Mendes. Também foi indicada ao um prêmio Bravo do  NAtional Council of La Raza em 1995, por seu papel na minissérie Streete Of Loredo, exibida pela rede CBS. Nesse mesmo ano, o renomado diretor Nicolas Roeg a convidou para o papel principal no filme Two Deaths.

O peso de Sonia Braga em filmes nacionais

A simples presença de Sonia Braga em filmes nacionais chama a atenção da mídia internacional e é oportunidade para premiações. Em 2016, estrelou Aquarius do diretor Kleber Mendonça Filho. Por sua performance no filme, Braga venceu os prêmios de atuação feminina em diversos festivais de cinema do mundo, entre eles o Festival Biarritz Amérique Latine, na França e Festival de Cinema de Lima, no Peru.  Além disso, ela foi eleita a melhor atriz pelos críticos de San Diego, desbancando atrizes como Emma StoneAnnette Bening e Natalie Portman.

Em 2017, Braga foi anunciada como integrante do júri da 33ª edição do Sundance Film Festival, que aconteceu em Park CityUtahEstados Unidos. No mesmo ano, foi homenageada no festival La Orquídea, o maior do Equador.

Em 2017, ela desempenhou o papel de mãe de Julia Roberts na adaptação cinematográfica do livro Extraordinário, e foi homenageada no festival Cinélatino 2018, de Toulouse, no sudoeste da França.

 

Braga repetiu a parceira com o cineasta Kleber Mendonça Filho em Bacurau, vencedor do prêmio do Júri do Festival de Cannes de 2019. No filme, ela interpreta Domingas uma médica de um pequeno povoado do Nordeste.  Bem recebido pelo público e crítica, e foi premiado como melhor longa-metragem internacional no Festival de Cinema de Munique.

Indicação a vários prêmios

British Academy Awards

Golden Globe Awards

Primetine Emmy Award

American Latino media Arts Award

Imagem Awards

Prêmio Contigo! de Cienema Nacional

Prêmio Arte Qualidade Brasil 

Festival de Gramado 

Festvial de Biarritz Amérique Latine

Festival Internacional de Cine Mar del Plata 

Festival de LIma, Encuentro Latinoamericando de Cine

Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano de La Habana

Festival Sesc Melhores Filmes

San Diego Film Critcs Society Awards

Prêmio Quem 

ICS Award e ICS Cannes Award

Chlotrudis Awards

Premio Iberamericano de Cine Fénix

Premios Platino del Cina Iberoamericano

Prêmio faz Diferença

Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

Confira cenas dos personagens marcantes de Sonia Braga

#conexaoin99

#conectadocomanoticia

 

POR: Rita Moraes
Publicado em 08/06/2020