ConexãoIn

Primeira compostadora de PVC da Zona Franca de Manaus pretende atingir faturamento anual de R$288 milhões

Foto: Freepik

 

Ao trabalhar com resinas termoplásticas, a Vida Polímeros do Amazonas, que tem uma tradição familiar no segmento há mais de 40 anos, agora pretende atingir o faturamento anual de R$ 288 milhões. De acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), a produção brasileira de plásticos somou, no ano passado, 6,7 milhões de toneladas.
A empresa pretende iniciar a compostagem de PVC com estrutura para 2 mil toneladas por mês, com objetivo de se tornar a primeira na Zona Franca. Essa estratégia visa fazer com que seus clientes se tornem mais competitivos e rentáveis obtendo todos os incentivos fiscais que ultrapassam 25%. No ano de 2022, a valoração da empresa atingiu R$ 62 milhões.

 

As resinas termoplásticas nada mais são do que materiais poliméricos que, quando aquecidos, podem ser moldados. Elas desempenham um papel em diversas indústrias, desde produção de embalagens, até componentes automotivos e produtos de consumo.
“Fazemos parte da história do Amazonas ao contribuir para o desenvolvimento sustentável da região e para a indústria nacional. Nossa dedicação ao aperfeiçoamento e à inovação do segmento nos permitiu crescer e evoluir, mas sempre mantendo nossos valores familiares”, destaca Fábio Azevedo, CEO da Vida.
A empresa também tem se destacado no mercado por buscar soluções sustentáveis e ecologicamente corretas. A Vida Polímeros do Amazonas trabalha para reduzir seu impacto ambiental, oferecendo produtos ecológicos e sustentáveis, alinhados com as demandas atuais dessas práticas ao redor do Brasil e do mundo. Também conta com a divisão de compostagem de Polietileno para extrusão , injeção e sopro.

 

“Investimos em pesquisas constantes para incorporar tecnologias inovadoras que promovem a reciclagem e reutilização de materiais plásticos. A nossa linha de produtos inclui opções biodegradáveis e compostáveis, alinhando-se às tendências globais de redução do impacto ambiental”, finaliza Azevedo.
Com o mercado pressionado em relação às práticas ambientais, a empresa pretende seguir com os objetivos sustentáveis para conseguir atingir a valoração desejada. É proposto internamente que, no fechamento do ano, a Vida Polímeros tenha produzido cerca de 24 mil toneladas.

POR: Rita Moraes
Publicado em 30/01/2024