ConexãoIn

Papa Francisco reconhece em carta o importante trabalho social de padre brasileiro com população de rua

O padre brasileiro Julio Lancellotti publicou em suas redes sociais na última terça-feira, 3, uma carta que recebeu do assessor da Secretaria de Estado do Vaticano, Luigi Roberto Cona, em nome do papa Francisco, elogiando o trabalho do religioso com a população de rua.

O trabalho do pároco vem ganhando destaque na mídia e na sociedade internacional, pelas posturas e atitudes de Lancelotti, na defesa da população oprimida que vive nas ruas e viadutos de São Paulo. 

O documento cita a carta enviada por Lancellotti em agosto, com a qual “um grupo de fiéis da Paróquia São Miguel Arcanjo partilhava com o Sucessor de Pedro o testemunho de sua atenção caritativa para com os moradores de rua, ao mesmo tempo que suplicava benções para todas as pessoas comprometidas com as obras de misericórdia”.

“O papa Francisco, alegre com esta demonstração de bons propósitos da vida cristã, anima-os a perseverarem nestas ações em favor dos mais pobres e, como penhor de graças celestes, concede de bom grado a Benção Apostólica ao Padre Júlio e a todos os que trabalham nesta missão, pedindo que, por favor, não se esqueçam de rezar por ele”, diz ainda o texto.

Lancellotti usou o post nas redes sociais para demonstrar sua “alegria de receber mais um sinal de proximidade do papa Francisco com a carta que hoje chegou as minhas mãos”.

Em 10 de outubro, o Pontífice informou que tinha ligado para um “padre idoso, missionário da juventude no Brasil” e que o religioso vivia a velhice “em paz: consumiu a sua vida com os pobres”.

Lancellotti tem um amplo trabalho com os mais desfavorecidos da sociedade e é vigário episcopal para a Pastoral do Povo da Rua da Arquidiocese de São Paulo. Durante a pandemia do coronavírus Sars-CoV-2, mesmo sendo do grupo de mais risco da doença, o padre reforçou sua atuação com as pessoas sem-teto. 

POR: Rita Moraes
Publicado em 06/11/2020