ConexãoIn

Mídia mostra avanço e retrocesso no caso Lula. Artigo do jornalista Alex Ferraz.

Quem, como eu, acompanhou ininterruptamente a cobertura jornalística da TV nos momentos cruciais do desfecho da prisão do ex-presidente Lula deve ter notado o impecável trabalho que proporcionou testemunharmos TODOS os momentos, em todos os locais envolvidos.
De São Bernardo do Campo a Curitiba, todos os passos de Lula escoltado puderam ser vistos.

Uma demonstração inequívoca do potencial técnico e tecnológico da nossa mídia televisiva. Helicópteros, câmeras em motos e, claro, repórteres intrépidos enfrentando a bestialidade de alguns manifestantes.

Porém, e já que falamos na parte humana, é aí que está o elo mais fraco. Sem generalizar, devemos notar que a extensa cobertura, farta em imagens impressionantes, foi muitas vezes legendada por abobrinhas, incorreções e muito encher de linguiça.

A repetição de informações chegou mesmo a irritar, assim como a desinformação. Por exemplo, na chegada de Lula para exame de corpo de delito, na sede da PF em São Paulo, cada emissora dava uma informação diferente  sobre a presença ou não de um helicóptero  (que já estava lá), para dizer o mínimo.
Entende-se que a amplitude da cobertura e estratégias secretas da PF dificultaram as coisas.

Porém, tudo foi um assustador exemplo de como os humanos estão sendo ultrapassados pelas máquinas. Por sorte, mesmo assim AINDA somos indispensáveis. Até quando?

POR: Rita Moraes
Publicado em 11/04/2018