ConexãoIn

Greve dos motoristas continua e país sofre com falta de gasolina nos postos

O governo cedeu à pressão dos caminhoneiros e decidiu fechar acordo, que prevê reajustes mensais e não semanais, que são passados para as refinarias, como estava acontecendo. O acordo custará R$ 5 bilhões aos cofres públicos. A proposta inicial era apenas zerar a Cide – Contribuição de Intervenção no Domínio de Intervenção no Domínio Econômico sobre o diesel, mas não foi aceito pelos grevistas.

Os protestos comprometeram a distribuição e combustíveis no país e em muitas cidades cerca de 90% dos postos estão desabastecidos. Os caminhoneiros exigem a previsibilidade dos reajustes nos preços. Após o governo de Temer ceder e garantir o desconto de 10% por mais 15 dias e assumiu subsidiar a Petrobrás, o acordo foi aceito por 90% da categoria.

 

Apesar do acordo, motoristas continuam parados e interditando principais rodovias do país. A população do acordou hoje, sexta-feira, 26, apreensiva, pois a falta de combustível já atinge 90% dos postos de gasolina.

POR: Rita Moraes
Publicado em 25/05/2018