ConexãoIn

Governo lançará nova cédula de 200 reais e fato não significa alta da inflação

Com uma tiragem inicial de R$ 450 de unidade, o que equivale a R$ 90 bilhões, o Banco Central do Brasil vai lançar um novo tipo de cédula, a nota de R$ 200. A nova cédula entra em circulação dia 29 de agosto.

Segundo a diretora de administração do Banco Central, Carolina de Assis Barros, o lançamento da nova nota é uma forma de a instituição agir preventivamente para a possibilidade de aumento da demanda da população por papel moeda.

A cédula terá como personagem o lobo-guará, espécie que ficou em terceiro lugar em uma pesquisa realizada pelo BC sobre quais animais em extinção deveriam ser representadas em novas cédulas. O anúncio foi feito pelo Banco Central, em entrevista coletiva para apresentar a nova nota. “Estamos vivendo neste momento um período de entesouramento, efeito derivado da pandemia. O Banco Central nesse momento não consegue precisar por quanto tempo os efeitos do entesouramento devem perdurar”, disse a diretora.

Segundo o orgão, entre março e julho deste ano, um dos efeitos econômicos da pandemia de covid-19 foi o aumento de R$ 61 bilhões no entesouramento de moeda, ou seja, notas que deixaram de circular porque a população deixou o dinheiro em casa. Este é um fenômeno típico dos momentos de incerteza econômica, marcados pelo temor do desemprego e da queda de renda, bem como pela dificuldade ou hesitação em consumir e colocar o dinheiro para circular. Outro motivo para o aumento do dinheiro em espécie nas residências foi que, o pagamento do auxílio emergencial, feito em grande parte em espécie, não retornou à circulação na velocidade esperada. O Banco Central alega, ainda, que não sabe por quanto tempo esse entesouramento pode perdurar.

O BC elencou, entre as possíveis causas do entesouramento no Brasil, os saques para a formação de reservas por pessoas e empresas e a diminuição no volume de compras no comércio em geral após o início do período de isolamento social – ou seja, os recursos passaram a circular menos.

Assim que a notícia foi divulgada na imprensa apareceram vários “memes”, com montagens do possível visual da nota, capivaras, vira-latas caramelos e emas, até com personalidades como Neymar e Zeca Pagodinho.

Inflação?

Em entrevista ao site www.seudinheiro.com.br, o economista Fernando Ribeiro Leite, professor do INSPE – Ensino Superior em Negócios, Direito e Engenharia, “a inflação que tivemos até agora está dentro da normalidade para uma economia como a nossa. O lançamento de uma nota de R$ 200 é só uma conveniência, não significa que estamos vivendo um processo inflacionário agudo, ou mesmo crônico. Ao contrário, teremos, neste ano, uma das menores inflações da era do Real”, explicou Leite.

“Não há inflação preocupante no horizonte relevante. O fato de que o lançamento de uma cédula de valor mais alto chama tanto a atenção das pessoas é sintoma disso. Se fosse nos anos 1980, não ia chamar atenção, porque ia ter nota nova toda semana”, brincou o professor.

A queda de demanda causada pela crise do coronavírus, a inflação esperada para este ano é de apenas 1,67%, subindo para 2,99% no ano que vem, de acordo com o último Boletim Focus do Banco Central. Na época da hiperinflação, Brasil tinha inflações mensais de dois dígitos.

Curiosidade
A série de animação “Os Simpsons” anteviu, que em 2014, ou seja há seis anos, a nota de R$ 200 circularia no mercado brasileiro. O episódio exibido em 2000, por exemplo, colocou Donald Trump na presidência dos Estados Unidos. Oferecem ao patriarca Simpson uma pasta cheia de notas de R$ 200, mas Homer nega. As cédulas aparecem em diversos outros momentos.
#conexaoin99
#conectadocomanoticia

 

 

POR: Rita Moraes
Publicado em 31/07/2020