ConexãoIn

Extrato de própolis é também indicado para o Mal de Parkson, diz cientistas do Instituto D’or

Aquele extraída das colmeias das abelhas, onde exerce papel de escudo contra vírus e bactérias, a própolis é bastante estudada por suas propriedades medicinais. Agora, cientistas do Instituto D’Or (Idor) e de outros centros avaliaram seus efeitos no combate à Covid-19.

O trabalho, publicado no periódico acadêmico Biomedicine & Pharmacoterapy, comparou sua atuação em 124 pessoas hospitalizadas com a doença — um terço recebendo o tratamento-padrão, o restante recebendo a mais um extrato de própolis. “Quem estava nesse segundo grupo, ficou, em média, 50% menos tempo no hospital”, conta o nefrologista Marcelo Silveira, do Indor e da Apes Flora, fabricante do produto testado. 

Embora otimista, existe limitações na pesquisa, pois não havia um grupo tomando placebo para comparar, e os pacientes e os médicos sabiam quem recebia o adicional de própolis, o que aumenta o risco de vieses.

Mal de Parkson 

Em outro estudo, as descoberta foram mais supreendentes, o Extrato de Própolis, foi administrado por pesquisadores da UNIFSP – Universidade Estadual de São Paulo, em ratinhos, com Mal de Parkson, por 40 dias. Ao fim do período, os animais que receberam o extrato saíram com uma frequência cardíaca melhor — o coração costuma ficar abalado em portadores da doença. Outro efeito bacana ocorreu no cérebro. Os neurônios mais atingidos pela doença se mostraram resguardados pela própolis.

A ideia é que ela possa atuar como um complemento barato e seguro ao tratamento tradicional, que envolve remédios, cirurgias e outras medidas. E claro: o achado precisa ser confirmado em seres humanos em qualquer uso em escala. 

Tipos de Própolis

Existem muitas categorias mundo afora. No Brasil, são três principais:

Verde: É a mais estudada. Já foram descobertas ações anti-inflamatórias e de controle da glicemia no diabetes …

Marrom: A variedade, rica em flavonoides (compostos vantajosos à saúde), foi capaz de eliminar bactérias em testes com células isoladas.

Vermelha: Foi identificada pela primeira vez em 2006 em locais do litoral nordestino. Possui moléculas diferentes das outras e ainda não foi estudada. 

O que é o Própolis?

Própolis é uma substância resinosa obtida pelas abelhas através da colheita de resinas da flora (pasto apícola) da região, e alteradas pela ação das enzimas contidas em sua saliva. A cor, sabor e o aroma da própolis variam de acordo com sua origem botânica.

A palavra “própolis” é, na língua portuguesa um substantivo de dois géneros e vem do grego: [“pro”=em favor de] + [“polis”=cidade], isto é, para o bem, em defesa da cidade, no caso, a colmeia.

Os gregos chamavam própolis às portas de uma cidade, voz tomada pelo prefixo ‘pro-’ e por ‘polis’ (cidade). Tempos depois, Plínio empregou esta palavra em latim para dar nome à cera – extraída da polpa das árvores – com a qual as abelhas recobrem a entrada de suas colmeias a fim de protegê-las contra fungos e bactérias.

As propriedades antibióticas e fungicidas desta substância, que em nossa língua se chama própole, eram conhecidas desde a mais remota antiguidade pelos sacerdotes egípcios e pelos médicos gregos e romanos, assim como por algumas culturas sul americanas.

A palavra “própolis”, ou própole, está vinculada através de ‘polis’ com muitas outras palavras da nossa língua, tais como “político” (originalmente, “relativo à cidade”) e metrópole (originalmente, “cidade principal”).‘Polis’ provém do sânscrito ‘pur’ (cidade fortificada), que se encontra no nome de Singapura (cidade dos leões).

Fonte: Revista Veja 

#conexaoin

#conectadocomanoticia

#propolis

#beneficios 

POR: Rita Moraes
Publicado em 08/11/2021