ConexãoIn

Estudos comprovam que ter um cão ajuda na saúde física e emocional. E mais, cães podem detectar câncer

Viver com um cão contribui com inúmeros benefícios para a nossa saúde emocional e física. Tanto é assim que se provou que as crianças que crescem com cães são mais felizes e têm menor risco de adoecer. Estudos mostram que independentemente de serem crianças, mulheres ou homens conviver com um cão trás inúmeras vantagens. Os felinos nos ajudam a sermos mais humanos. 

Enumeramos alguns dos benefícios que os caninos oferecem a quem se dedica a tê-los por pert

1- Diminui a solidão. Para aqueles que vivem sozinhos, ter um cão é a melhor solução. Nunca mais você chegará em sua casa e ela estará vazia, você sempre terá um ser de bom humor a sua espera e que te receberá com carinho e “um sorriso”

2- Previne doenças. Os cães saem à rua e com isso transportam bactérias e outros germes, de modo que, pouco a pouco, vamos nos tornando imunes quando vivemos com um cão. Ter um cão como animal de estimação pode melhorar a asma. Também, devido ao exercício que iremos fazer ao levá-lo para passear, podemos prevenir doenças cardíacas.

3- Melhora a nossa saúde física. Ter um cão é uma responsabilidade a mais e isso nos mantém em atividade. Ter um programa de exercício nos ajuda a estarmos saudáveis por dentro e por fora.

4- Reduz o estresse. Provou-se que a presença de um animal reduz o estresse, tal e como nos ensinou uma conhecida marca de ração para animais.

Cães detectam câncer de próstata

Uma pesquisa, onde colaboraram várias entidades de saúde e de pesquisa científica, o clube de adestramento canino Madocan e a associação de cães de terapia e assistência Mr. Dogs ajudaram o Serviço de Urologia do Hospital Santa Luzia de Cartagena e a área II de Saúde do Serviço Murciano, na Espanha.

Ficou comprovado que os cães são os melhores detectores do câncer de próstata, um tipo de câncer muito comum que apenas afeta os homens e que pode terminar em morte. Como eles fazem isso? Através de seu olfato. Todos conhecemos a complexidade que o sistema olfativo tem nos cães, pois eles são capazes de armazenar cheiros em sua mente e recordá-los mesmo que se passem vários anos. Neste caso se adestrou um grupo de cães para que estes pudessem diferenciar o cheiro que estavam procurando. Ofereceram amostras  de urina de diferentes tipos de pessoas, tanto de pacientes saudáveis quanto de pacientes doentes. O grupo de cães acertou o diagnóstico em 87% dos casos.

Este pode ser um grande avanço científico para prevenir ou poder tratar a tempo essa doença que tanto sofrimento causa. Os profissionais envolvidos continuam trabalhando para obter resultados e algumas estatísticas ainda mais precisas. Os cientistas querem adestrar diferentes grupos de cães para diferentes enfermidades, câncer ou outras e, assim, poderem continuar avançando e salvando vidas.

Este não é o primeiro experimento deste tipo a ser realizado. Já foram feitos muitos outros que provaram que os cães podem detectar o câncer sem a necessidade de grandes exames, embora este tenha sido o primeiro a alcançar um índice de acerto tão alto.

 

POR: Rita Moraes
Publicado em 29/05/2018