ConexãoIn

Em livro, Demi Moore, aborda estupro aos 15 anos

Sob os holofotes desde a década de 1980, a atriz americana Demi Moore famosa pelos filmes Proposta Indecente ( 1993), A Jurada (1996), Ghost (1990) e As Panteras Detonando (2003), parece ainda ter muito que falar —e revelar.= de sua vida. Aos 56 anos, Demi lançou dia 24 de outubro, seu tão polêmico livro de memórias, intitulado “Inside Out”. O evento aconteceu em Los Angeles e foi prestigiado pelas atrizes Gwyneth Paltrow, Rachel Zoe, Erin Foster, Liv Tyler e pelo seu ex marido, Bruce Willis. Liz Tyler postou em sua conta de Instagram “tão animada por começar a ler as memórias dos meus amigos @demimoore”.

Antes do lançamento, a atriz  compartilhou em redes sociais e na imprensa, diversas revelações chocantes sobre sua vida, falando sobre assuntos íntimos e delicados como estupro, abuso de drogas, aborto e problemas nos relacionamentos com seus ex maridos. 

Ao jornal The New York Times, Demi falou um pouco sobre sua infância e adolescência, destacando a descoberta de que seu pai não era mesmo seu pai biológico, as tentativas de suicídio da mãe, um estupro sofrido aos 15 anos e a saída de casa um ano depois para morar com um guitarrista. 

“É emocionante, e ainda assim me sinto muito vulnerável”, disse a atriz à publicação sobre a expectativa para o lançamento, que acontecerá no próximo dia 24. “Não há cobertura de um personagem. Não é a interpretação de outra pessoa sobre mim”, completou ela, que definiu o processo como uma redescoberta. 

O Livro

Em Inside Out, Demi Moore abre o jogo em relação a várias “fases pesadas” do passado da artista, e parece ter trago a tona mágoas que envolvem outros famosos. Uma das confusões está ligada ao ator Ashton Kutcher, que teve um relacionamento matrimonial entre 2005 e 2013 com Demi. Segundo a atriz, uma “brincadeira” de Kutcher lhe projetou a um sentimento de humilhação, quando em 2009, o ator publicou uma foto de Demi só de calcinha.

“Quando fui longe demais, ele (Kutcher) fez questão que eu soubesse como ele se sentia ao me mostrar uma foto em que apareço com a cabeça apoiada na privada do banheiro. Na época parecida um piadinha sem más intenções, mas na verdade foi humilhante”, disse Demi, que ainda afirmou que teria sido traída por Kutcher duas vezes.

Ao programa Ellen DeGeneres Show, Demi comentou sobre o caso e disse que a intenção não era magoar ninguém e sim abrir o passado em relação ao fãs. Pelo Twitter, Kutcher fez uma espécie de referência ao assunto de forma irônica: “Eu estava prestes a publicar um tuíte sujo e sarcástico. Mas então eu vi minha esposa, meus filhos e decidi deletá-lo”. Atualmente, o artista é casado com a atriz Mila Kunis.

Outro que também foi arrastado para as polêmicas do livro foi o ator Jon Cryer, famoso pela série Two and a half man. Segundo Demi, Cryer teria perdido a virgindade para ela em um ato “sem sentimentos ou afeição”. Entretanto, o ator usou a conta oficial no Twitter para deixar claro que não havia perdido a virgindade para Demi, e que mesmo tendo encontrado a atriz em um “momento difícil”, ele não sente nada além de “afeição” por ela até hoje.

Estupro aos 15 anos

A identidade do homem que a estuprou, quando ela tinha apenas 15 anos, foi também revelada. As informações foram divulgadas pelo jornal The Sun. Basil Doumas é o nome do criminoso, que ainda pagou U$ 500,00 (quinhentos dólares) para sua mãe. Na publicação, ela menciona o homem como Val Dumas. O jornal descobriu que esse era o apelido de Basil. Ele era amigo da família da atriz, além de se proprietário da boate La Cage Aux Folles, que fez grande sucesso nos anos 70.

Após conhecer Demi em um almoço, ele passou a persegui-la, indo até a escola da garota. Um dia ela chegou em casa e Dumas já estava lá. Havia dado o dinheiro à sua mãe e cometeu a violência sexual.

#conexaoin99#conectadocomanoticia

POR: Rita Moraes
Publicado em 07/10/2019