ConexãoIn



Conheça os mais ricos do Brasil na lista da Forbes

O número de brasileiros com mais de US$ 1 bilhão aumentou de 42 em 2018 para 58 em 2019, de acordo com o ranking mundial da revista Forbes, indo na contramão do planeta que diminuiu de 2.208 bilionários contra 2.153 neste ano. Em comum a todos eles apenas o fato de dedicarem muito mais tempo ao trabalho que a maioria de nós. As duas primeiras da lista são mulheres, uma herdou do pai Amador Aguiar fundador do Bradesco e a outra é exemplo de empreendedorismo feminino, de origem humilde e exemplo de sucesso no ramo varejista. São 16 destaques a conferir:

1.Lia Maria Aguiar Góis – US$ 1,4 bilhões
Lia Maria Aguiar Góis é uma das acionistas do Banco Bradesco e da holding Bradespar. É conhecida pelo carisma e pela generosidade, já que em 2015 colocou em testamento que, quando morrer, seu patrimônio pessoal deve ser destinado à caridade. Filha de Amador Aguiar, fundador do Bradesco, Lia Maria Aguiar Góis tem mais duas irmãs: Lina Maria Aguiar e Maria Angela Aguiar Bellizia. As três foram adotadas por Amador. A instituição que receberá o montante é a Fundação Lia Maria Aguiar, criada em 2008, com sede em Campos do Jordão, interior de São Paulo..

2. Luiza Helena Trajano – US$ 1,6 bilhões
Segundo a revista Forbes, Luiza Helena Trajano é uma das mulheres mais poderosas do Brasil. O título se deve à atuação da empresária à frente da holding Magazine Luiza, uma das maiores redes de varejo do Brasil. Sob a gestão de Luiza Helena Trajano estão cerca de 800 lojas do Magazine Luiza, distribuídas em 16 estados do Brasil, o e-commerce e um quadro com mais ou menos 23 mil funcionários. Coube a Luiza transformar a empresa familiar na gigante do varejo.

3.Ricardo Villela Marino – US$ 1,7 bilhões
Ricardo Villela Marino é CEO da Operação do Itaú na América Latina e membro do Conselho da holding Itaúsa, que comporta o banco. O Itaú é a maior instituição financeira privada do Brasil, com valor de mercado acima de R$ 300 bilhões. Ricardo Villela ainda é acionista do grupo. Também é presidente do Instituto PDR, organização fundada em 2014 e que tem como objetivo investir e preparar novos empreendedores com viés voltado para transformação social. Formado em engenharia e administração de empresas, o executivo tem a maior parte de sua carreira voltada para instituições financeiras.

4.Carlos Sanchez – US$ 1,8 bilhões
Carlos Sanchez é dono e presidente do Grupo NC. O Conglomerado tem como sua área de atuação principal o setor farmacêutico e é o empreendimento brasileiro de maior sucesso no ramo, estando na terceira posição no ranking de maiores corporações farmacêuticas da América Latina. A holding é fruto de um investimento de longo prazo, que se iniciou graças ao seu pai, Emiliano Sanchez, como uma pequena farmácia fundada na cidade de Santo André, região do ABC paulista.

5.Alexandre Grendene Bartelle – US$ 1,8 bilhões
Alexandre Grendene Bartelle é cofundador e presidente da empresa de calçados Grendene, mas tem investimentos em outros setores como no setor moveleiro, com as marcas Unicasa, Dell Anno e TOG; setor siderúrgico, com a Sitrel; e hoteleiro, com a Conrad. Todo o império de Alexandre Grendene Bertelle começou com a inauguração de uma fábrica fundada na cidade de Farroupilha, interior do estado do Rio Grande do Sul, empreendimento que teve a participação de seu irmão gêmeo, Pedro Grendene Bertelle, para iniciar em 1971.

6.Júlio Bozano – US$ 1,8 bilhões
Júlio Rafael de Aragão Bozano foi o fundador, ao lado do ex-ministro da fazenda Mário Henrique Simonsen, do banco Bozano, Simonsen. Atualmente, seus investimentos são destinados à plantação de café, shopping centers e participação em uma fábrica de motores a jato. O Bozano, Simonsen de Júlio Bozano surgiu em 1961, no Rio de Janeiro. As atividades da instituição foram encerradas em 2000, quando o banco foi incorporado ao banco Santander, mas quando se tornou uma holding, o Bozano, Simonsen chegou a ter sob seu guarda-chuva mais de 40 companhias, com faturamento bilionário.

7.Maria Helena Moraes Scripilliti – US$ 1,9 bilhões
Maria Helena Moraes é coproprietária da multinacional brasileira Votorantim S.A. Empresa com atuação em mais de 20 países e com capital fechado na Bolsa de Valores. Maria Helena é filha de José Emírio de Moraes, fundador da empresa, e viúva de Clóvis Scripilliti, com quem fez parceria na expansão da organização pela região Nordeste do país. Pelo fato da Votorantim ser um conglomerado de capital fechado, Maria Helena e seu irmão, Ermirio Pereira de Moraes, hoje, são os responsáveis da segunda geração dos Moraes no controle da empresa.

8.Dulce Pugliese de Godoy Bueno – US$ 1,9 bilhões
Dulce Pugliese é cofundadora da operadora de saúde Amil, empresa que formou em parceria com seu ex-marido, Edson Bueno, na década de 70. Em 2012 venderam 90% do capital da Amil para o grupo americano United Health, por 4,9 bilhões de dólares, investindo parte da margem líquida positiva obtida pela venda na aquisição da maior empresa nacional de medicina diagnóstica, a Dasa. Após o término do casamento de 17 anos, Dulce e Edson Bueno continuaram parceiros nos negócios. Sociedade que durou 47 anos, até a morte de Edson em 2017.

9.Nevaldo Rocha – US$ 2 bilhões (morto em 2020)
Nevaldo Rocha de Oliveira é tido como um dos melhores exemplos de empreendedorismo do Brasil. Fundador e dono da Riachuelo, gigante cadeia de lojas especializada em vestuário, ele nasceu em Caraúbas, no interior do Rio Grande do Norte. Viúvo e pai de três filhos, a história de Nevaldo Rocha de Oliveira é bem diferente da maior parte dos bilionários brasileiros. De família humilde, morador de uma cidade castigada pela seca no sertão e com pouca oportunidade de estudar, hoje, o Grupo Guararapes tem sob seu guarda-chuva a Riachuelo, transportadora própria, cartões de crédito, entre outros.

10.João Alves de Queiroz Filho – US$ 2 bilhões
João Alves de Queiroz Filho, que também é chamado de Júnior, é o maior acionista do Grupo Hypera Pharma. O conglomerado gerencia várias marcas comuns ao dia a dia do brasileiro, como os adoçantes Zero-Cal, Finn e Adocyl; os medicamentos Apracur, Atroveran, Maracugina e Merthiolate (que agora não arde mais) e os dermocosméticos da marca Episol. O império controlado por João Alves de Queiroz Filho começou a ser erguido por seu pai, em 1969, com a distribuidora Sal Cometa.

11.Antônio Luiz Seabra – US$ 2 bilhões
Antônio Luiz Seabra é o fundador da empresa Natura, empreendimento que atua na área de cosméticos e que é pioneiro em relação a diversas frentes, em especial as ligadas ao meio ambiente, política que está nos valores da empresa desde seu início. Antônio Luiz procurou voltar sua empresa para um modelo de vendas diretas. Prática inspirada na que é executada pela multinacional Avon. Uma ação que deu retorno, visto que a Natura está entre os 20 negócios do ramo de cosméticos de mais sucesso, na 17ª posição, segundo lista do site Brand Finance.

12.Jorge Moll Filho – US$ 2,1 bilhões
Jorge Moll Filho é o médico e empresário responsável pela presidência do Conselho de Administração da maior rede de hospitais privados do país, a Rede D’Or, um empreendimento avaliado em mais de 20 bilhões de reais e com uma rede com mais de 30 hospitais espalhados pelo Brasil. Com os valores da empresa definidos desde sua criação, na década de 90, o grupo de Jorge Moll Filho soube suprir a carência de hospitais particulares de excelência existente na cidade do Rio de Janeiro.

13.Aloysio de Andrade Faria – US$ 2,1 bilhões
Aloysio de Andrade Faria é fundador e dono do Grupo Alfa, conglomerado que atua nos segmentos financeiro, agronegócios, alimentos, materiais de construção, comunicação e cultura. No geral suas empresas frequentam o mercado primário da bolsa de valores. Aloysio também é conhecido por ser o fundador do Banco Real, instituição financeira que foi conhecida como uma das maiores do Brasil. Entre os bens, as fazendas de Aloysio de Andrade Faria periodicamente ganham notas na mídia pelos seus cavalos pura raça. Também ganhou notoriedade por ser o bilionário mais velho do Brasil, com quase um século de vida.


14.Alceu Elias Feldmann – US$ 2,2 bilhões
Alceu Elias Feldmann é o presidente e fundador da Fertipar, uma das principais empresas de fertilizantes do Brasil e do mundo, que surgiu em 1980. Nascido em Santa Catarina, Alceu Elias Feldmann começou a trajetória no ramo de fertilizantes, muito usados na zona rural, como vendedor. Atualmente, o Grupo Fertipar é uma holding composta por 12 empresas, distribuídas em diversas cidades brasileiras. A Fertipar tem se destacado nos últimos anos por crescer, mesmo diante das adversidades do agronegócio brasileiro.

15. Luís Frias – US$ 2,2 bilhões
Luiz Frias é presidente do Conselho de Administração do Universo Online-Uol, braço do Grupo Folha, o qual também preside. Luiz entrou no time dos bilionários no início de 2018 pelo rendimento que a PagSeguro teve ao abrir suas ações na bolsa de valores. Presidida por Luiz, a empresa de pagamentos brasileira PagSeguro Digital Ltda. arrecadou mais de 2 bilhões e meio durante o processo. O Uol é uma das frentes do Grupo Folha, empresa administrada pelos Frias há mais de quatro décadas. Conglomerado de mídia tem participação da família desde 1962, quando o patriarca Octavio Frias de Oliveira, em sociedade com Carlos Caldeira Filho, adquiriu a Folha. Luiz atua como presidente da organização desde 1992.

16.Luciano Hang – US$ 2,2 bilhões
O catarinense Luciano Hang, dono das Lojas Havan e apoiador fervoroso do presidente Jair Bolsonaro, é outra figura conhecida a entrar para o ranking. Sua fortuna está estimada em cerca de US$ 2,2 bilhões. Ele é filho de operários da indústria têxtil. Seus pais trabalharam na extinta Fábrica de Tecidos Carlos Renaux, onde ele mesmo atuou por sete anos, tendo sido admitido aos 17 anos. Mais um bom exemplo para quem não acredita no trabalho.

#conexaoin99

#conectadocomanoticia

POR: Rita Moraes
Publicado em 25/06/2020