ConexãoIn

Aos 66 anos a atriz Vera Fisher se mostra madura, feliz e retorna a Tv

A musa da tv brasileira Vera Fisher chega aos 66 anos esbanjando beleza e feliz. Ela afirmou em recente entrevista ao jornal O Globo, diz ter aprendido com os erros do passado. 

O novo personagem da atriz na nova novela do horário das seis na Tv Globo, Espelho da Vida, é Carmo, uma diva do cinema, que após um período na geladeira por conta de um gênio difícil, volta a brilhar como protagonista de um filme. Mera coincidência? 

A Miss Brasil 1969, concorrendo pelo estado de Santa Catarina encantou o Brasil e teve seu nome projetado nacional e internacionalmente. Nascida em Blumenau Santa Catarina, em 27 de setembro de 1951, Vera iniciou sua carreira de atriz fazendo pornochochadas, depois passou a fazer telenovelas e outros filmes. No cinema, interpretou personagens de Rubem Fonseca, Plínio Marcos e Nelson Rodrigues.  Em 1982, ganhou dois prêmios de melhor atriz por “Amor Estranho Amor”, de Walter Hugo Khouri. A partir daí foram 33 papéis em novelas e séries, 21 filmes e 10 peças de teatro. 

Fama e exposição da vida pessoal

Ser figura pública não é nada fácil, ainda mais se o famoso tem uma forte personalidade e se mostra transparente em sua vida pessoal. Esse é o caso de Vera Fischer, que nem sempre enfrentou situações agradáveis em sua vida pessoal. Em paralelo ao sucesso, a atriz viveu momentos quase tão dramáticos quanto algumas histórias das personagens que interpretou nas novelas. Passou por clínicas de reabilitação, por decisão própria, casou, separou e protagonizou cenas de violência doméstica e desentendimentos durante filmagens. Entretanto, seguiu encantando fãs e colecionando sucessos em sua carreira.

Talento reconhecido

A permanência de Vera Fisher no cenário da teledramaturgia brasileira se deve a papéis memoráveis, em especial na tv, o que deu a atriz popularidade e fama nacional. Suas personagens, a exemplo de Ana de Assis, na série Desejo; Jocasta, em Mandala; Helena, em Laços de Família; Luiza Sampaio, em Brilhante e Ivete, em O Clone encantaram o telespectador. A verdade incontestável é que Vera Fisher ao aparecer  tv, preenche a tela com sua beleza esplendorosa, enormes olhos azuis, rosto perfeitamente delineado, voz meio rouca e sensual, e principalmente com seu talento intrepretativo.

Resta agora, aguardar a nova novela de Elisabeth Rin e ver Vera Fisher desfilar sua Carmo, usando sua beleza madura e seu incontestável talento para personagens fortes e femininas. 

Prêmios

Em 1977 recebeu o Trofeu APCA de Melhor Atriz, pelo filme Intimidade
Em 1982 recebeu o Prêmio Candango de Melhor Atriz, pelo filme Amor Estranho Amor 

Em 1982, Fischer ganhou dois prêmios de melhor atriz por “Amor Estranho Amor”, de Walter Hugo Khouri.

Em 2000, ganhou o prêmio Melhores do Ano – Domingão do Faustão, na categoria Melhor Atriz, por sua atuação como a protagonista Helena, na novela Laços de Família, de Manoel Carlos.

Foi indicada quatro vezes ao Troféu Imprensa, na categoria Melhor Atriz como Luiza Sampaio em Brilhante em 1981, Jocasta Silveira em Mandala em 1987, Helena em Laços de Família em 2000 e Ivete em O Clone em 2001.

Em 2000 recebeu o Prêmio Globo de Melhores do Ano na categoria Atriz pela novela Laços de Família

Artigo por Rita Moraes

POR: Rita Moraes
Publicado em 09/05/2018