ConexãoIn

19 capitais brasileiras já exigem comprovação de vacina em eventos e entre visitantes

Belém, Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Florianópolis, Fortaleza, João Pessoa, Macapá, Maceió, Manaus, Natal, Palmas, Porto Velho, Recife, Rio Branco, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e Teresina já exigem com comprovante de vacina (duas doses, ao menos) em eventos e no uso do transporte rodoviário.

Na Bahia, o governador Rui Costa, um dos mais atuante no combate a Covid-19, exige também de todos os funcionários públicos e terceirizados que trabalham nos orgãos estaduais. 

A partir do dia 17, Aracaju exigirá a comprovação da vacinação ou teste negativo de Covid para eventos abertos com até 5 mil pessoas e fechados com até 3 mil. Essa exigência será válida até 9 de janeiro. Em |Goiânia, uma nota técnica recomenda a exigência do comprovante de vacinação para entrada em estabelecimentos como cinema, estádios e feiras comerciais, desde sexta-feira, 3.

Boa Vista, Campo Grande, Curitiba, Porto Alegre, São Luís e Vitória não possuem obrigatoriedade de apresentação de comprovantes de vacinação.

As regras variam de um lugar para outro. Em geral, o comprovante de vacinação é exigido em eventos com grande número de pessoas, como shows. Mas há também exigência para entrada em restaurantes – casos de Fortaleza e Manaus, por exemplo – e hotéis e pousadas, como estabeleceu a Prefeitura do Rio de Janeiro na semana passada.

Em algumas cidades, o comprovante de vacinação pode ser substituído por um teste negativo de Covid feito pouco tempo antes. É o caso, por exemplo, de Belo Horizonte, onde a regra existe apenas para eventos com mais de 2 mil pessoas, como jogos de futebol.

Enquanto governadores e prefeitos seguem agindo independente do Governo Federal, o presidente Jair Messias Bolsonaro, tenta trazer o tema para sua esfera. Uma reunião acontece em Brasilia, envolvendo a Casa Civil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e os ministérios da Justiça e Segurança Pública, da Saúde, da Infraestrutura e das Relações Exteriores. Em pauta, serão tratados temas sobre fronteiras e possíveis mudanças no decreto que disciplina o combate ao Coronavírus. 

#conexaoin

#conectadocomanoticia 

POR: Rita Moraes
Publicado em 06/12/2021