ConexãoIn

Vídeos produzidos por crianças mostram importância do Natal como celebração, reencontro e união

Nas salas de aula, metodologia De Criança Para Criança incentiva alunos a criar e narrar histórias sobre o espírito natalino

Enquanto vão crescendo, as crianças aprendem em casa – e na escola – que o Natal é muito mais do que uma data de presentes e festividades. Com uma metodologia educacional infantil inovadora, o projeto De Criança Para Criança (DCPC) possibilita aos pequenos expressarem, em vídeos animados, suas opiniões. “Sobre o Natal, a produção dos vídeos ressalta aprendizados sobre amor ao próximo, solidariedade e união”, explica Giba Barroso, sócio e cofundador do DCPC.

“Como tema pedagógico, o Natal é um tema rico para se trabalhar a colaboração e união entre os alunos em sala de aula. Em uma data que celebra o reencontro, o perdão e a renovação, é importante que os alunos, juntos, decidam que tema abordar”, completa Giba.

Na metodologia Criando Juntos, do DCPC, os alunos do ensino fundamental 1 (de 6 a 12 anos) das escolas parceiras aprendem conteúdos programáticos de forma ativa. Mediado por um professor, as crianças escolhem o tema e criam uma história com roteiro, desenhos e narração. Na plataforma do DCPC, o conteúdo se transforma em vídeo. As animações sobem para o canal do DCPC no YouTube, que conta com quase 56 mil inscritos. Ao todo, cerca de 2.500 animações já foram produzidas.

Vídeos de Natal

Na animação “O Natal de João (Link)”, o personagem João manifesta o desejo de passar um Natal diferente e compreende que a festa vai além de ganhar presentes. Já no episódio “Salvando o Natal (Link)”, Pedro e sua irmã Luíza pedem ajuda a seus pais para socorrer o Papai Noel, que estava com dificuldades de atender aos pedidos das crianças.

Em “Um Presente de Natal (Link”, uma senhora solitária e mal-humorada ganha um presente inesperado que muda a sua vida. E o vídeo “Véspera de Natal (Link)” conta a história de uma bruxa que sequestra o Papai Noel, mas repensa sua decisão depois de conversar com o bom velhinho.

Para Vitor Azambuja, também sócio e cofundador do DCPC, o envolvimento dos alunos é grande, porque as histórias são construídas a partir da criatividade e experiências próprias. “Cada aluno tem uma história real de vida, que viveu dentro de casa. Com a ajuda do professor, eles contam um pouco e discutem, como grupo, qual delas vai virar a animação. A partir de uma ideia, as crianças escrevem aquela história juntas. Estamos falando de celebrar uma vivência ou algo que foi importante para aquela criança”, assinala.

Data universal

Independente da origem cristã do Natal, a data já é universal e gera várias opções de aprendizado, comenta o professor e pesquisador José Francisco Aparecido, conhecido como Professor Chiquinho, professor colaborador doDCPC.

“Ao trabalhar a solidariedade, o olhar para o próximo, a generosidade e, principalmente o cuidado e a empatia, os alunos tendem a perceber o outro. A consequência desse exercício é desenvolverem um dos valores mais importantes do ser humano, que é a gratidão”.

Outras animações sobre Natal

Canal do DCPC no YouTube – Link

Cordel Natalino – Link

Christmas Dream (em inglês) – Link

Sobre o De Criança para Criança

O programa De Criança para Criança (DCPC) oferece um leque de metodologias de educação híbrida para escolas de todo o mundo. Do futuro para a escola, a proposta é oferecer às crianças a oportunidade de serem protagonistas, colocando-as no centro da aprendizagem. Através de uma plataforma simples, os professores são orientados a serem mediadores, fazendo com que os próprios alunos desenvolvam conhecimento sobre temáticas diversas. A partir de discussões, constroem coletivamente histórias, fazem desenhos e gravam locuções relativas às narrativas criadas, que posteriormente serão transformadas em animações feitas pelo DCPC, expandindo os horizontes educacionais.

Link

Link

Link

Link


Sobre os fundadores do De Criança Para Criança (DCPC)

Giba Barroso é especialista em educação e gamificação, um dos responsáveis pelo projeto Criando Juntos, do De Criança Para Criança, que tem como um dos objetivos a autonomia das crianças em sala de aula quando falamos de aprender por meio de games, vídeos, histórias e o digital. É brasileiro nascido em São Paulo. Formado em Administração, trabalhou em diversos segmentos, mas se especializou no segmento de Pay Tv, atuando desde seu início no Brasil, distribuindo HBO até ser diretor da Sony Pictures. Lançou vários canais como AXN, Warner, Sony, Cinemax, HBO, E!, History Channel e E!. Em 2015 largou o segmento de Pay Tv para lançar o programa De Criança para Criança. Gilberto é o presidente da empresa e tem como propósito fazer com que crianças do mundo todo aprendam e compartilhem conhecimento de forma criativa e democrática.

Vitor Azambuja é especialista em criação, diretor de arte e artista plástico. Formado em publicidade e piano clássico, trabalhou em diversas agências de propaganda, criando filmes e anúncios para grandes anunciantes. Um dos criadores do programa De Criança Para Criança, é sócio e diretor criativo da empresa. Foi premiado em festivais de propaganda no Brasil e no exterior. Realizou exposições de pinturas em São Paulo, Rio de Janeiro, Nova Iorque, Miami e Paris. Seu propósito é fazer com que as crianças do mundo inteiro aprendam desenvolvendo a sua criatividade.

 

Sobre o Professor Chiquinho

José Francisco Aparecido, conhecido como “Professor Chiquinho”, é educador desde 1995 e pedagogo do DCPC. Nos últimos 12 anos foi diretor escolar e atualmente é Pesquisador junto a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) Portugal, doutorando em Ciências da Educação pela Universidade de Évora, investigador do CEIS 20 na área de Estudos Contemporâneos – Universidade de Coimbra. Membro do Centro de Investigação em Estudos da Criança – CIEC da Universidade do Minho. Mestre em Educação, Arte e História da Cultura e Especialista em Literatura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Graduado em Pedagogia pela Universidade Paulista, formado em Artes Cênicas e Mímica pela YWAM – EUA. Ator, diretor, cenógrafo, aderecista, escritor de literatura infanto-juvenil, professor de História da Arte e professor nos cursos de pós-graduação no IBFE- Campinas. Dedica-se na divulgação da Arte e suas linguagens e em projetos que visam a valorização da Língua Portuguesa nos países Lusófonos.

POR: Rita Moraes
Publicado em 21/12/2023