ConexãoIn

Primeira lombada eletrônica do mundo agora está na Escola Pública de Trânsito de Curitiba

Após mais de três décadas de sua invenção a lombada eletrônica é sabidamente parte importante da segurança e regulamentação do trânsito. Esse reconhecimento também marcou a retirada da primeira unidade instalada em Curitiba (PR), substituída no fim do ano passado por um modelo de tecnologia mais avançada. Aproveitando as celebrações dos 330 anos da capital paranaense,  a mais antiga lombada eletrônica do mundo foi “transplantada” para a EPTran – Escola Pública de Trânsito de Curitiba, e será utilizada na promoção de educação para o trânsito.

O equipamento surgiu a partir de uma história curiosa. No início dos anos 90, engenheiros da Perkons, empresa paranaense, sofreram um incidente ao passar por uma lombada física, e começaram a pensar em uma forma mais eficiente e menos abrupta de se reduzir a velocidade das vias. Até então, não existia no mundo qualquer equipamento similar.

Esse foi o marco para, depois de muito estudo, trabalho e persistência, em 20 de agosto de 1.992 ser instalado o primeiro modelo da solução em uma das ruas mais movimentadas da capital, por meio de uma parceria com o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC). E a chamada 001 funcionou, ininterruptamente, até sua retirada em 3 de setembro de 2.022, ajudando a salvar milhares de vidas e servindo de exemplo para tantas outras lombadas eletrônicas instaladas na cidade, no Brasil e no mundo.

História, celebração e futuro

Para homenagear a invenção que salva vidas, um encontro reuniu os fundadores da empresa e inventores da tecnologia Donald e Samuel Schause e o prefeito Rafael Greca. Eles repetiram a foto feita 30 anos atrás, quando foi inaugurada a 001.

“Agradecemos ao prefeito Greca, que há 30 anos teve a coragem e a visão de implantar uma novidade, que veio a ser útil para salvar vidas, reduzir acidentes e ordenar o tráfego. Quero abraçar a equipe que participou do desenvolvimento, meus irmãos e sócios, Samuel e Walter, e a todas as pessoas que dão continuidade àquele sonho até hoje. Uma ideia só vale quando se torna realidade!”, comentou Donald Schause.

Também participaram do encontro o secretário municipal de Defesa Social e Trânsito, Péricles de Matos; Marilza do Carmo Oliveira Dias, secretária municipal do Meio Ambiente;  superintendente de Trânsito de Curitiba, Rosangela Battistella; o diretor da Escola Pública de Trânsito, Claudionor Agibert; o superintendente executivo de Defesa Social e Trânsito, José Semmer Neto; e o superintendente de Obras e Serviços, Jean Brasil.

Adotada em larga escala ao longo das décadas – e extrapolando as fronteiras brasileiras -, a lombada eletrônica e outros equipamentos de gestão de trânsito criados após a sua invenção já salvaram milhares de vidas. Hoje a Perkons está presente em mais de 490 municípios e 26 estados brasileiros. “Fico feliz em saber que a história da segurança de trânsito no Brasil será preservada e que a lombada eletrônica pioneira seguirá educando as próximas gerações de motoristas e pedestres em um lugar tão especial como o Bosque da Fazendinha, que abriga a EPTran”, completa Régis Nishimoto, diretor da Perkons.

Fotos:

Legenda 1: Prefeito Rafael Grega e os irmão Schause repetem a foto na primeira lombada eletrônica do mundo, 30 anos depois.

Legenda 2: 001 agora está na Escola Pública de Trânsito de Curitiba

Crédito: Divulgação/Perkons

POR: Rita Moraes
Publicado em 14/04/2023