ConexãoIn


Premiado em Berlim, filme “Encontro”, de Hong Sang-Soo chega dia 01 de setembro nos cinemas

ENCONTROS“como tantos outros filmes de Hong Sang-soo, ocupa um lugar delicado entre a magia e a poesia, entre a inconsequência e a epifania. Há uma linguagem cinematográfica inquestionável e madura aqui: a da simplicidade e do charme”, escreve o crítico inglês Peter Bradshaw, no jornal The Guardian, sobre o novo longa do cineasta sul-coreano, que, depois de ganhar o prêmio de Melhor Roteiro, no Festival de Berlim de 2021, e chega aos cinemas brasileiros em 01 de setembro, com distribuição da Pandora Filmes.

Hong, que é conhecido pelos seus filmes intimistas e de humor peculiar, aborda novamente, um tema que lhe é caro: os relacionamentos humanos, em especial, os amorosos, com uma narrativa dividida em partes. No primeiro, Young-ho (Shin Seok-ho), um jovem de 20 e poucos anos, pede à sua namorada, Ju-won (Park Mi-so), que o espere num café, enquanto ele faz uma rápida visita a seu pai, um médico (Kim Young-ho). Este, por sua vez, está ocupado, atendendo a ator famoso (Ki Joo-bong).

Na segunda parte, Ju-won está  morando em Berlim, onde estuda moda, e lá, conhece uma artista plástica (Kim Min-hee, musa e parceira de Hong), amiga da mãe da jovem que a hospedará enquanto ela procura um lugar para morar. A pintora, diz a mãe, não tem muitos amigos, será bom ela ter alguém para conversar. Tempos depois, a jovem é surpreendida por uma visita de seu namorado.

Na última parte, ele volta à Coreia, Young-ho encontra sua mãe (Yun-hee Cho) almoçando com o ator do primeiro segmento. Entre uma dose e outra de soju, uma bebida tipicamente coreana e sempre presente nos filmes do diretor, a conversa toma caminhos estranhos abordando, entre outras coisas, a arte de atuar e as paixões humanas.

O premiado roteiro de ENCONTROS também é assinado por Hong, assim como a bela fotografia em preto-e-branco. Para o diretor, sua principal preocupação, no seu método de filmar, é que o elenco se mantenha fiel aos diálogos. Eles são livres para interpretar como quiserem. o mínimo necessário de instruções, deixando-os fazer o como quiserem.

David Ehrlich, em sua crítica do filme na IndieWire, aponta que Hong “é um diretor que encontra prazer no processo.” E o processo aqui resulta num longa que, ao mesmo tempo, é próximo a todos o diretor, mas também único em sua especificidade dos dramas de seus personagens. Jessica Kiang, na Variety, afirma que “por baixo da superfície agradável e plácida, há uma recompensa rica.”

“Em ENCONTROS, Hong eleva sua assinatura de minimalismo narrativo a um ponto de ruptura. Em cada novo filme, ele revela novos contornos emocionais, na medida em que o diretor afia sua estética – e esse filme não é exceção”, comenta Chuck Bowen, na revista Slant.

ENCONTROS será lançado no Brasil pela Pandora.

Sinopse

Três histórias interconectadas por apresentações e encontros. Young-ho vai visitar seu pai, um médico, mas este não o recebe, pois está atendendo a um ator famoso. A namorada dele, Ju-won, se muda para Berlim, onde se hospeda na casa de uma pintora. Por fim, o rapaz encontra sua mãe almoçando com o ator, paciente de seu pai.

Ficha Técnica

Direção: Hong Sang-soo

Roteiro: Hong Sang-soo

Produção:  Hong Sang-soo

Elenco: Shin Seok-ho, Park Mi-so, Kim Young-ho, Ki Joo-bong, Seo Young-hwa, Kim Min-hee, Cho Yun-hee, Ye Jiw-on, Ha Seong-guk

Direção de Fotografia: Hong Sang-soo

Trilha Sonora: Hong Sang-soo

Montagem: Hong Sang-soo

Gênero: drama

País: Coréia do Sul

Ano: 2021

Duração: 66 min.

SOBRE A PANDORA FILMES

A Pandora é uma distribuidora de filmes independentes que há 30 anos busca ampliar os horizontes da distribuição de filmes no Brasil revelando nomes outrora desconhecidos no país, como Krzysztof Kieślowski, Theo Angelopoulos e Wong Kar-Wai, e relançando clássicos memoráveis em cópias restauradas, de diretores como Federico Fellini, Ingmar Bergman e Billy Wilder. Sempre acompanhando as novas tendências do cinema mundial, os lançamentos recentes incluem “O Apartamento”, de Asghar Farhadi, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro; e os vencedores da Palma de Ouro de Cannes: “The Square – A Arte da Discórdia”, de Ruben Östlund e “Parasita”, de Bong Joon Ho.

Paralelamente aos filmes internacionais, a Pandora atua com o cinema brasileiro, lançando obras de diretores renomados e também de novos talentos, como Ruy Guerra, Edgard Navarro, Sérgio Bianchi, Beto Brant, Fernando Meirelles, Gustavo Galvão, Armando Praça, Helena Ignez, Tata Amaral, Anna Muylaert, Petra Costa, Pedro Serrano e Gabriela Amaral Almeida.

POR: Rita Moraes
Publicado em 17/08/2022