ConexãoIn

Prefeitura de São Paulo lança política de empregabilidade para população em vulnerabilidade social

A sede da Prefeitura de São Paulo recebeu nesta quinta-feira, 30 de novembro, cerca de 80 empresas e autoridades para o lançamento do Cate Oportunidades, nova estratégia de impulsionamento de empregabilidade para pessoas em vulnerabilidade social. A política pública tem o objetivo de ampliar as oportunidades de inserção no mercado de trabalho, principalmente, para a população em situação de rua e jovens com baixa renda, em busca do primeiro emprego.

 

“Estamos apresentando hoje um desdobramento da atuação do Cate (Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo), que já presta importante serviço na cidade, há quase duas décadas, na intermediação de mão de obra. Vamos atuar fortemente para auxiliar as empresas a fim de que elas possam incluir em seus quadros o público que tem mais dificuldade para conseguir emprego”, salienta a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso. “Com a expertise do Cate e de nossas equipes técnicas desenvolvemos um conjunto de ações para ofertar mão de obra qualificada para o mercado. Já atuamos nesse segmento com média de 350 mil pessoas formadas por ano nos mais variados cursos, seja presencial ou em sistema EAD. O diferencial é a aproximação com o empregador para poder suprir as necessidades da empresa de forma mais completa e com acompanhamento de consultoria”, explica.

 

O Cate Oportunidades atua no tripé: administração pública, empresa e público vulnerável. A Prefeitura de São Paulo oferece apoio técnico, subsídio orçamentário para o andamento desta estratégia e acompanhamento da política pública. Por outro lado, os candidatos a vagas poderão contar com empresas parcerias com mais oportunidades, que terão acesso a trabalhadores com melhor formação técnica e mais aderente à atividade. “As empresas são ponto fundamental para essa efetivação, pois há indicadores que mostram o custo elevado que elas têm com treinamento e turnover, e o Cate Oportunidades conta com trilhas de formação em áreas como administração, gastronomia e logística para ofertar mão de obra qualificada. Podemos até mesmo customizar conteúdos de cursos, conforme a necessidade do empregador. Além disso, é uma forma de contribuirmos para as questões de ESG das companhias, que podem melhorar seus indicadores por meio do pilar social”, salienta a secretária Aline Cardoso.

Em complemento às ações do Cate Oportunidades foram anunciados, durante o evento, o Bolsa Trabalho 1º Emprego, parceria gratuita com empresas para admissão de jovens, entre 16 e 20 anos, em estágio de formação prática no ambiente de trabalho. A ação consiste em proporcionar ao jovem um estágio para sua primeira experiência profissional. A empresa que integrar a iniciativa contará com o apoio e acompanhamento da Prefeitura de São Paulo, além de ter uma bolsa do estudante, no valor de R$ 683,10, custeada pela administração municipal. Ainda para pessoas a partir dos 14 anos, outra oportunidade será por meio do programa Jovem Aprendiz. São 500 vagas em órgãos da administração municipal. O credenciamento de entidades parceiras para a formação deste público está previsto para dezembro deste ano.

 

Empresas

Durante o evento, os gestores de empresas como Mc Donald´s, Grupo Ultra, Guima e Teleperformance puderam acompanhar um workshop com a consultora de Recursos Humanos, Maria Eduarda Gordilho Lomano, que debateu com os presentes sobre os desafios do setor e como as empresas podem ampliar sua atuação com parcerias com a administração pública.

 

O lançamento do Cate Oportunidades também contou com depoimentos de ex-beneficiários de programas de qualificação profissional da Prefeitura de São Paulo, que conquistaram vagas de emprego. Um deles foi Valdeir Barbosa Teixeira, que está no Mc Donald’s desde 2017. Atualmente no cargo de gerente, o funcionário afirma que passou pela ‘jornada dourada”, processo de evolução profissional da empresa, que o levou a conquistar o lugar que ocupa hoje. “A pessoa tem que ser persistente, primeiramente. Ela tem que estudar muito e se empenhar – são as três principais coisas que se apreciam hoje em dia. Olhando para trás só tenho a agradecer. Estive na rua, em albergues, mas também contei com pessoas que me deram oportunidades”.

 

Entre as empresas participantes esteve o Grupo GR, do setor de segurança, vigilância e monitoramento. Com 30 anos no mercado e aproximadamente 3.000 funcionários, a GR, que já utilizou o Cate para contratações, avaliou as novas possibilidades apresentadas no evento. “Foi muito importante conhecer essas novas propostas. Vemos muito o Cate como um centro de solução de trabalho, agora com essas possibilidades, os campos se abrem. Acho muito importante a inclusão de pessoas diversas no mercado. É imprescindível que as empresas tenham essa visão que é necessário dar oportunidade para pessoas em situação de vulnerabilidade”, afirma.

POR: Rita Moraes
Publicado em 01/12/2023