ConexãoIn


Governo institui Plano Estadual para a Economia do Hidrogênio Verde

Foi publicado na edição do Diário Oficial do Estado, desta quinta-feira, 3, o decreto nº 21.200, que institui o Plano para a Economia do Hidrogênio Verde na Bahia. O Plano objetiva promover, fortalecer e consolidar a produção e o uso do hidrogênio verde (H₂V), além de impulsionar pesquisas científico-tecnológicas sobre o tema.
 
O hidrogênio verde é um combustível com alto potencial energético, obtido a partir de fontes renováveis, como eólica e solar, em um processo no qual não há emissão de carbono e pode ser largamente utilizado em vários setores da atividade econômica, incluindo mineração e transportes. O H₂V é considerado o combustível e o insumo químico do futuro por não ser um agente poluente.
 
A Bahia tem enorme potencial para se firmar como uma economia baseada no H₂V. Atualmente, o estado é líder na geração de energia renovável e possui alta capacidade de produção e mercado favorável na indústria química, na siderurgia e no agronegócio.
 
O secretário em exercício da Casa Civil, Carlos Mello, destacou a importância da instituição do Plano. “Estamos nos estruturando para firmar o H₂V como elemento essencial para a modernização e aumento da competitividade da nossa economia. É objetivo do Governo do Estado fomentar o crescimento de uma economia sustentável e contribuir com a mitigação dos efeitos da mudança do clima”, afirmou Mello.

O decreto também cria a Comissão Especial que acompanhará as ações necessárias à implementação da política estadual. Ela será composta por representantes das secretarias de Desenvolvimento Econômico (SDE); do Meio Ambiente (Sema); e da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti); além do  Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema).

Como é obtido o hidrogênio?

O hidrogênio é o elemento químico mais abundante na natureza, mas é também um dos mais reativos. Isso significa que é difícil encontrá-lo sozinho, e o mais comum é que ele componha outras substâncias, como uma série de gases e a água, a forma mais encontrada.

Segundo Claudio Ruggieri, professor da Poli-USP, isso obriga a realização de processos químicos para obter o hidrogênio e usá-lo.

Ele afirma que, em geral, são três os principais tipos de hidrogênio usados hoje, variando pela fonte de geração de energia envolvida no processo.

“O primeiro é o hidrogênio marrom, gerado usando carvão. Há o hidrogênio cinza, gerado usando gás natural ou metano, e por último há o verde, obtido via fontes renováveis, como uma plana eólica ou solar”, afirma.

No caso do hidrogênio verde, as moléculas de água são separadas, a partir de um processo chamado eletrólise. Nela, uma corrente elétrica passa pela água e separa os átomos de hidrogênio e oxigênio, resultando na formação dos dois gases.

#Conexaoin 

#conectadocomanoticia

POR: Rita Moraes
Publicado em 03/03/2022