ConexãoIn


Governador Ibaneis, apoiador de Bolsonaro é afastado do cargo por 90 dias

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou na noite deste domingo (8) o afastamento do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), pelo prazo de 90 dias.

Para ele, houve falha da segurança pública do DF, além de “descaso, conivência e omissão” por parte de quem deveria comandar essas forças, como Ibaneis e seu agora ex-secretário de Segurança Pública, Anderson Torres.   

A determinação se deu após os atos de vandalismo ocorridos em Brasília em que os prédios sedes dos Três Poderes foram destruídos, e atende a um pedido da Advocacia-Geral da União (AGU) e do líder do governo no Congresso, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Alexandre de Moraes foi veemente ao afirmar que agentes públicos, que estão ou não ocupando cargos atualmente, serão responsabilizados caso “continuem pactuando com a quebra da democracia”:

“Os agentes públicos (atuais e anteriores) que continuarem a se portar dolosamente dessa maneira, pactuando covardemente com a quebra da Democracia e a instalação de um estado de exceção, serão responsabilizados”.

Fim dos acampamentos 

Além do afastamento de Ibaneis, a decisão de Moraes intima os governadores de todos os estados a dissolverem os acampamentos de apoiadores de Jair Bolsonaro que ainda estão nas portas de quartéis-generais, e mobilizarem todas as forças de segurança (estaduais e federais) desobstruírem as vias públicas em um prazo de 24 horas.

O ministro pede ainda a identificação e punição de todos os envolvidos nos atos em um prazo de 48 horas, para isso pede que a Polícia Federal e estabelecimentos privados, como hoteis da região disponibilizem imagens de câmeras de segurança para que seja feito reconhecimento facial de participantes dos atos.

Motoristas dos ônibus serão interrogados 

A decisão do ministro também estipula que motoristas dos ônibus que trouxeram os participantes dos atos sejm ouvidos no prazo de 48 horas e apresentem nomes dos passageiros e formas de pagamento das viagens.

Manifestantes proibidos de entrar no DF

O ministro proíbe o ingresso de manifestantes no Distrito Federal até o dia 31 de janeiro e determina que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) envie o registro de todos os veículos que entraram no DF desde o último dia 5 de janeiro.

POR: Rita Moraes
Publicado em 09/01/2023