ConexãoIn

Fundação Gates seleciona quase 50 projetos em saúde global e desenvolvimento que contribuirão para moldar o acesso equitativo à IA

 

Após o grande interesse na última chamada do Grand Challenges, a Fundação Bill & Melinda Gates anuncia hoje um grupo de quase 50 projetos selecionados que estão desenvolvendo soluções na área de saúde global e desenvolvimento para suas comunidades usando modelos de linguagem de grande escala (LLM) habilitados para IA (LLMs em inglês). Guiada pelo objetivo de reduzir a desigualdade global, a chamada de propostas buscou especificamente pesquisadores e empreendedores baseados em países de baixa e média renda.

O uso responsável e seguro da tecnologia LLM orientada por IA tem o potencial de ajudar a resolver alguns dos mais difíceis desafios de saúde e desenvolvimento do mundo. No entanto, para que esses modelos sejam úteis em países de baixa e média renda, os pesquisadores destes países precisam participar do design, aplicação e teste dessa tecnologia à medida que ela evolui rapidamente. Uma base sólida de evidências preencherá as lacunas no acesso e em nosso conhecimento sobre a aplicação de tais ferramentas para lidar com problemas nos países de baixa e média renda de maneira equitativa.
“Muitas vezes, os avanços na tecnologia oferecem benefícios de forma desigual nas diversas partes do mundo devido a padrões existentes de discriminação, desigualdade e vieses”, disse Juliana Rotich, cofundadora da iHub, uma incubadora para jovens empreendedores de tecnologia de Nairóbi que concordou em participar do novo comitê consultivo de ética e segurança de IA da Fundação. “A IA não é diferente. A maioria das ferramentas que estão sendo desenvolvidas no Norte Global usam dados de regiões com poucos recursos que geralmente são incompletos ou imprecisos. Para atingir todo o potencial da IA, ela deve ser desenvolvida de forma responsável e ética, tendo em mente as necessidades do usuário final. As soluções podem ser transformadoras quando são inspiradas localmente”.
O anúncio de hoje faz parte do programa Grand Challenges da Fundação Bill e Melinda Gates, um conjunto de iniciativas que promovem a inovação para resolver problemas globais de saúde e desenvolvimento. A organização recebeu mais de 1.300 propostas duas semanas após a publicação de sua solicitação de propostas, mais de 80% das quais de países de baixa e média renda,. Dos quase 50 projetos selecionados, 17 de países de baixa e média renda estão alinhados com o objetivo da Fundação de promover um ecossistema global de inovação em locais onde terá maior impacto. Cada beneficiário receberá até 100 mil dólares para avançar em seu projeto de pesquisa, totalizando 5 milhões de dólares de financiamento. As descobertas desses projetos serão compartilhadas na Reunião Anual do Grand Challenges em Dakar, Senegal, em outubro.
“A energia vibrante, a criatividade sem limites e o compromisso inabalável dos inovadores para enfrentar os desafios mais difíceis despertou uma onda de interesse e empolgação com o impacto positivo que a IA pode ter na vida de pessoas vulneráveis”, disse Zameer Brey, vice-diretor interino de Difusão de Tecnologia na Fundação Gates. “Esses inovadores locais estão aproveitando o poder da IA e dos LLMs de maneiras que podem mudar o paradigma de suas comunidades locais e além. Acreditamos que os avanços tecnológicos mais impactantes incluem aqueles que começam e terminam com as pessoas que são mais afetadas”.
Incentivados pelo Grand Challenges a aproveitar as tecnologias existentes, os pesquisadores trabalharão para abordar uma ampla gama de desafios de saúde e desenvolvimento em todos os países de baixa e média renda. Os exemplos incluem como os LLMs podem ajudar os profissionais de saúde da linha de frente na Índia, onde uma mulher morre a cada 20 minutos no parto, a melhorarem o gerenciamento de gestações de alto risco; adaptar o aconselhamento agrícola a pequenos agricultores em Uganda, que estão expostos aos efeitos devastadores de doenças e pragas nas plantações; fornecer treinamento a professores para melhorar os resultados educacionais no Mali; e dar conselhos financeiros por meio de uma interface de voz para texto para mulheres agricultoras rurais e donas de negócios na Nigéria. A lista completa dos projetos selecionados pode ser encontrada aqui, incluindo seis liderados por pesquisadores brasileiros.
“Por 20 anos, a fundação buscou e semeou inovação para resolver os problemas mais difíceis do mundo. Acreditamos que acelerar o progresso em saúde e desenvolvimento requer colaboração entre inovadores de tantos temas e tantos países quanto possível”, disse Kedest Tesfagiorgis, vice-diretora de Parcerias Globais e do Grand Challenges da Fundação Gates. “Maximizar o potencial da IA requer uma comunidade global de pensadores criativos trazendo perspectivas únicas e aprendendo uns com os outros.” No Brasil, o Ministério da Saúde e o CNPq são parceiros do Programa Grand Challenges.À medida que esses projetos avançam, a fundação está ansiosa para continuar trabalhando e aprendendo com parceiros em todo o mundo para garantir que os benefícios da IA sejam relevantes e acessíveis para todos, com ênfase nas comunidades de países de baixa e média renda, de maneira a manter a segurança, ética e equidade.
Sobre o Grand Challenges

A família de programas Grand Challenges decorre de uma ideia centenária de que soluções de crowdsourcing para um conjunto definido de problemas não resolvidos podem estimular a inovação e acelerar o progresso. A Fundação Bill & Melinda Gates e seus parceiros financiadores do Grand Challenges usaram pela primeira vez o Challenges – chamadas abertas para propostas – em 2003 para concentrar atenção e esforço em problemas globais urgentes de saúde e desenvolvimento para os mais necessitados. Juntos, os parceiros do Grand Challenges concederam mais de 3.600 financiamentos a um grupo diversificado de solucionadores de problemas em mais de 100 países, ao mesmo tempo em que promovem um ecossistema global de inovação em locais onde terá maior impacto. A fundação e seus parceiros do Grand Challenges – incluindo o Ministério da Saúde do Brasil, continuarão a lançar chamadas para propostas para apoiar inovadores de todo o mundo a enfrentar os mais difíceis e urgentes desafios. Para saber mais, visite Grand Challenges website.
Sobre a Fundação Bill e Melinda Gates

Guiada pela crença de que toda vida tem o mesmo valor, a Fundação Bill & Melinda Gates trabalha para ajudar todas as pessoas a levarem vidas saudáveis e produtivas. Nos países em desenvolvimento, concentra-se em melhorar a saúde das pessoas e dar oportunidades para sair da fome e da pobreza extrema. Nos Estados Unidos, procura garantir que todas as pessoas – especialmente aquelas com menos recursos – tenham acesso às oportunidades de que precisam para ter sucesso na escola e na vida. Com sede em Seattle, Washington, a fundação é liderada pelo CEO Mark Suzman, sob a direção dos co-presidentes Bill Gates e Melinda French Gates e do conselho de administração.

POR: Rita Moraes
Publicado em 10/08/2023