ConexãoIn

Filhos fora do casamento rondam o herdeiro do principado de Mônaco, Albert

O Príncipe Albert II de Mônaco já foi alvo de várias ações de paternidade e, nos últimos anos, reconheceu duas crianças, Jazmin e Alexandre, como filhos.  Os herdeiros fora do casamento não tem direito ao título de nobreza e apenas tem acesso à herança do pai, atualmente avaliada em R$5 bilhões.

Além dos dois filhos com a princesa Charlene, Jacques e Gabriella, Albert tem um filho,  Alexandre Coste, que nasceu antes do casamento do príncipe, de 14 anos, fruto do relacionamento com a ex-modelo Nicole Coste. O rapaz não é o único filho fora do casamento de Alberto e só teve a paternidade reconhecida quando já tinha 1 ano. O príncipe também é pai de Jazmin Grace, 26 anos, com quem foi visto numa partida de ténis em abril. Jazmin é fruto da relação om a norte-americana Tamara Rotolo. 

A princesa Charlene de Mônaco não participou do Dia Nacional Monegasco na última sexta-feira, 19) devido a um “estado de fadiga generalizada” após seu retorno da África do Sul, onde passou por várias cirurgias, informou o palácio em um comunicado nesta terça-feira, 16. 

Charlene deveria comparecer nesta terça-feira com seu marido, o príncipe Albert, a um evento da Cruz Vermelha e a noticia preocupou país, um  dos pouco que vive uma Monarquia. 

Ainda de acordo o comunicado, o casal real “concordou que um período de calma e descanso era necessário para a restauração da saúde da princesa”, e que ela se recupera “de um profundo estado de fadiga generalizada” após os “extenuantes tratamentos médicos nos últimos meses”. A partir daí, os dois se envolveram e passaram 30 dias viajando por lugares. 

Em meio a doença da esposa, o Príncipe Albert está envolvido em um possível reconhecimento de paternidade, por parte da brasileira, que conheceu em uma boite no Rio de Janeiro. 

Possível filha com brasileira

A mulher entrou na Justiça para o reconhecimento de paternidade da filha de 15 anos e espera pelo resultado do exame de DNA: “[Tudo tramita em] sigilo que eles pediram. Vai ter audiência agora e espero que o juiz peça o exame de DNA”. A entrevistada conta que o primeiro contato com o Príncipe foi no Brasil, em 2004, quando ela trabalhava em uma famosa boate no Rio de Janeiro.

A partir daí, os dois se envolveram e passaram 30 dias viajando por lugares luxuosos como Portugal, Itália, Rússia e Mônaco. Na ocasião, ela diz que não percebeu que Albert seria da realeza, já que era tratado normalmente por todos.  Na ocasião, ela diz que não percebeu que Albert seria da realeza, já que era tratado normalmente por todos.

Na volta ao Brasil, quando soube que estava grávida, a relação com Albert mudou: “Quando descobri que estava grávida, falei ‘estou grávida’ e ele pegou e sumiu, desapareceu. Ele não queria ter filho e pediu para fazer o aborto… Foi difícil. Eu trabalhei durante os nove meses de gestação”. Ela revela que o príncipe a procurou após o nascimento da filha: “Eu tava muito triste, muito chateada com toda a situação que aconteceu e tava [tentando] reconstruir a minha vida. Eu pedi para ele sumir e desaparecer”.

Descobriu que tinha filha do príncipe através de um amigo

A mulher, por volta dos 40 anos de idade, descobriu a identidade do pai de sua filha graças à um amigo em 2019: “Eu tava com um amigo meu que estava com uma pessoa que era de Mônaco. Falei: ‘ah, poxa, legal’ e contei: ‘a primeira vez que fui a Mônaco foi com o pai da minha filha. Só que depois que engravidei ele sumiu e desapareceu’. Esse meu amigo brincando comigo, disse ‘não é que o pai da sua filha é o príncipe Albert de Mônaco’. Aí, entrei no Google, vi a foto dele e reconheci imediatamente”.

De acordo com a mulher, o seu desejo é apenas que o monarca faça reconhecimento da filha e procure conhecê-la: “Eu quero que ela tenha o pai dela que sempre quis. Até conversei com o advogado e falei: ‘olhe, eu poderia até pegar e renunciar a qualquer coisa, não quero nada. O que passou, passou’”.

Doença da esposa

Charlene de Mônaco, 43 anos, voltou ao principado em 8 de novembro, depois de vários meses na África do Sul, onde passou por várias cirurgias para tratar uma infecção grave de ouvido, nariz e garganta. A ex-nadadora olímpica batizada pelo nome de Charlene Lynette Wittstock, nasceu em 1978 na Rodésia (atual Zimbábue) e se casou com o Príncipe Albert II de Mônaco em 2011.

Albert é filho do Príncipe Rainier III e Grace Kelly, estrela de cinema americana que morreu em um acidente de carro em 1982.

 

POR: Rita Moraes
Publicado em 20/11/2021