ConexãoIn


Escolas de Campo Alegre de Lourdes voltam a receber ações do ‘Armarinho, Cantinho da Imaginação’

Em novembro do ano passado, o projeto “Armarinho, Cantinho da Imaginação” entregou as primeiras estruturas cenográficas no município de Campo Alegre de Lourdes, na Bahia. Na época, por conta das restrições impostas pela pandemia, a presença de público foi reduzida para evitar riscos de contágio e transmissão, fazendo com que parte das ações fossem reprogramadas para o futuro. Agora, diante de um cenário mais normalizado, cerca de 200 crianças irão experimentar as oficinas de teatro e contação de histórias) de forma gratuita.

Na quarta-feira, 11, o projeto volta à Escola Estadual de 1º Grau do Peixe; na quinta-feira, é a vez dos alunos da Escola Municipal Ismerindo Francisco da Silva participarem das oficinas, que têm como objetivo, além de disseminar a cultura brasileira, o incentivo e fomento às atividades de artes cênicas. 

As oficinas ilustram e exemplificam o uso dos armarinhos, que proporcionam aos espectadores a experiência de estarem em cena, em uma imersão lúdica e participativa de exploração dos elementos do teatro por meio do improviso, da expressão corporal, da oralidade e da criatividade.

“Para seguir garantindo acesso irrestrito à cultura, optamos por distribuir as estruturas físicas ainda no ano passado, para que as crianças já pudessem contar com o acervo no período em que estivessem em sala. Agora que as restrições estão mais brandas, voltamos com as oficinas para encerrar o projeto com chave de ouro. O objetivo dessas ações está principalmente centrado no estímulo à imaginação e criatividade dos pequenos, possibilitando que o dia a dia da sala de aula seja mais lúdico e estimulante para todos”, pontua Ewerton Silvino, supervisor de eventos da Incentivar – proponente do projeto.

Viabilizado pela Lei de Incentivo à Cultura, o “Armarinho, Cantinho da Imaginação” é uma realização do Ministério do Turismo (via Secretaria Especial de Cultura) com produção da Incentivar e patrocínio da Galvani – empresa 100% brasileira que atua no setor de fertilizantes desde a década de 1960 oferecendo produtos e serviços inovadores e competitivos.

SERVIÇO: Oficinas do “Armarinho, Cantinho da Imaginação” em Campo Alegre de Lourdes/BA

Instituição Beneficiada: Escola Estadual de 1º Grau do Peixe 

Endereço: Vl. Peixe, s/n.º, Casa, Zona Rural – Campo Alegre de Lourdes/BA

Data e Hora das Oficinas: Quarta-feira, 11 de maio de 2022, às 09h e 14h

Instituição Beneficiada: Escola Municipal Ismerindo Francisco da Silva 

Endereço: Pov. Angico dos Dias, s/n.º, Zona Rural – Campo Alegre de Lourdes/BA 

Data e Hora das Oficinas: Quinta-feira, 12 de maio de 2022, às 09h e 14h

Sobre a Galvani: Empresa 100% brasileira que atua no setor de fertilizantes desde a década de 1960, oferecendo. Oferece produtos e serviços inovadores e competitivos. Procura fazer o melhor, dentro de seus padrões de conduta ética. Age com simplicidade, foco do cliente, transparência, cabeça de dono e inovação como valores. O propósito da Galvani é Transformar Terra em Vida – materializado com atividades de mineração, beneficiamento, industrialização e distribuição de fertilizantes para que a agropecuária brasileira possa produzir cada vez mais. É líder em produção e distribuição no Matopiba, região agrícola que compreende os estados de Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. Possui unidades de mineração e beneficiamento em Angico dos Dias e Irecê, um complexo industrial em Luís Eduardo Magalhães, todos na Bahia, e escritórios corporativos em Campinas (SP) e na capital paulista. Sistematicamente, reinveste os resultados obtidos em expansão da produção, na melhoria contínua dos seus produtos e serviços e em novas tecnologias. Esta estratégia tem possibilitado à empresa ganhos contínuos de competitividade dentro de um ambiente de inovação.

 

Sobre o Ministério: Principal ferramenta de fomento à Cultura do Brasil, a Lei de Incentivo à Cultura contribui para que milhares de projetos culturais aconteçam, todos os anos, em todas as regiões do país. Por meio dela, empresas e pessoas físicas podem patrocinar espetáculos – exposições, shows, livros, museus, galerias e várias outras formas de expressão cultural – e abater o valor total ou parcial do apoio do Imposto de Renda. A Lei também contribui para ampliar o acesso dos cidadãos à Cultura, já que os projetos patrocinados são obrigados a oferecer uma contrapartida social, ou seja, eles têm que distribuir parte dos ingressos gratuitamente e promover ações de formação e capacitação junto às comunidades. Criado em 1991 pela Lei 8.313, o mecanismo do incentivo à cultura é um dos pilares do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), que também conta com o Fundo Nacional de Cultura (FNC) e os Fundos de Investimento Cultural e Artístico (Ficarts). 

 
POR: Rita Moraes
Publicado em 06/05/2022