ConexãoIn

Escola Ambiental completa 24 anos de fundação com várias ações educativas e musicais

No próximo dia 5, Dia Mundial do Meio Ambiente, a Escola Ambiental, representada institucionalmente pela Fundação Eco-Educativa Fred Dantas e localizada na Estrada da Tiririca, Barra do Pojuca, Orla de Camaçari, completa 24 anos de funcionamento sem interrupção. Desde o final do seu primeiro ano é celebrada uma Missa em Ação de Graças, seguida de apresentações artísticas e culturais. Este ano, por conta da emergência viral, não haverá a celebração, mas apenas agradecimentos virtuais.

O apoio da Associação Conexão Vida e da Secretaria de Educação do Município de Camaçari torna possível que na Escola Ambiental se possa unir educação formal, iniciação artística e preservação cultural e ambiental em um só projeto. O trabalho, desde 1996, já beneficiou cerca de cinco mil crianças e suas famílias, pois além das atividades educativas, na Escola Ambiental se cuida da segurança alimentar e eventualmente se intervêm na melhoria das residências em situação de risco ou insalubridade.

As publicações e gravações da Escola Ambiental têm servido para enriquecer o que se sabe sobre a cultura popular e meio ambiente do Litoral Norte da Bahia. O CD Missa Ambiental, além de uma composição inédita para a missa em si, apresentou uma pequena amostra de cantos populares da região, com destaque para o Reisado do Guará. O livro Bichos e Plantas na Escola Ambiental é o mais abrangente levantamento já realizado sobre a fauna e flora locais. A cartilha A sementinha musical propõe um método de iniciação à leitura musical com base em experiências com ilustrações de frutas.

Filarmônica

A Filarmônica Ambiental é a melhor representante em termos de visibilidade. Criada em 1997, um ano depois da escola, com instrumentos doados pela Coordenadoria Ecumênica de Serviço, o CESE, a filarmônica iniciou musicalmente

várias gerações de crianças e jovens. Alguns deles se tornaram músicos profissionais, outros certamente – ainda que atuando profissionalmente em outras áreas – se tornaram seres humanos com melhor sensibilidade artística e social.

Ao longo da sua história a Filarmônica Ambiental tem participado de eventos didáticos e cívicos junto à rede pública do município, atos e manifestações de moradores, shows em palcos na capital, como o encontro de Filarmônicas no 2 de Julho, mas sobretudo oferecendo aulas de iniciação musical aos próprios alunos matriculados na escola formal do município, enquanto oferece aos seus participantes uma oportunidade de criar emprego e renda através da música.

Preservação de nascentes

Faz parte do território da Escola Ambiental um certo trecho de margem do Rio Pojuca, que divide os limites com a Reserva Sapiranga, criando um importante corredor biológico com aquela significativa área de proteção ambiental. Neste trecho estão sendo preservadas nascentes sob a responsabilidade da Escola Ambiental. Existe também uma área de brejo onde deságua a água do Riacho Piarussú. Mas, sobretudo, estas três nascentes de águas límpidas que têm origem no térreo da Escola Ambiental têm sido zeladas : a Lagoa Grande (de um conjunto de pequenas lagoas até chegar ao Rio Pojuca), a Nascente Água de Deus (onde reina um soberbo pé de Camaçari, a árvore que dá nome ao município), e a nascente Água da Vovó onde os moradores da vizinhança se servem de água potável, que preserva uma espécie de pequeno siri negro nunca observado antes em nenhuma publicação. Todos esses lugares têm sido disponibilizados à visitação de escolas, pesquisadores e moradores.

Neste momento em que a humanidade atravessa a maior crise talvez já testemunhada, o maestro Fred Dantas agradece a Deus pela vida e por todos que têm possibilitado a existência da Escola Ambiental.

POR: Rita Moraes
Publicado em 29/05/2020