ConexãoIn

Edusp lança Coleção Prismas, que analisa obras de arte em acervo nacional

 

 

 

 

A Editora da Universidade de São Paulo (Edusp) lança nesta sexta-feira (22), a partir das 19 horas, a Coleção Prismas, que traz edições voltadas a apresentar um estudo aprofundado de uma obra de arte nacional ou estrangeira e que pertença ao acervo de instituições e museus brasileiros. Cada livro trará uma análise de um artefato artístico feito por um especialista, mas não apenas voltada a conhecedores e, sim, para os que desejam se aprofundar na história da arte para além de etiquetas de movimentos e escolas. O evento será na Livraria da Travessa de Pinheiros (Rua dos Pinheiros, 513, São Paulo – SP).

Além do lançamento, participam de um bate-papo o coordenador da coleção, Jorge Coli, os autores Sonia Gomes Pereira e Flávio Moura, além do diretor-presidente da Edusp, Sergio Miceli. Coli é professor de história da arte na Universidade de Campinas (Unicamp) e colunista da “Folha de S.Paulo”.

A proposta é que os livros sejam relativamente curtos, com cerca de 150 páginas, em edição com capa dura e escritos por especialistas reconhecidos. O lançamento contará com as três primeiras edições, que são, respectivamente, “Más Notícias, de Rodolfo Amoedo”, de Sonia Gomes Pereira; “O Escolar, de Van Gogh”, de Felipe Sevilhano Martinez; e “Sem Título, de Amilcar de Castro”, de Flávio Moura. Contudo, já está à disposição do público, no site da Edusp, o livro que inaugura a coleção, sobre a pintura de Amoedo.

Além das três primeiras obras, a editora definiu outras sete que serão publicadas ainda neste ano:

 

Prismas 4 – “A Pequena Bailarina de 14 Anos, de Edgar Degas”, de Ana Magalhães;

Prismas 5 – “Manifestações Ambientais, de Helio Oiticica”, de Celso Favaretto;

Prismas 6 – “Pintura Branca e Preta, de Helio Cabral”, de Leon Kossovitch;

Prismas 7 – “Moema, de Victor Meirelles”, de Alexander Gaiotto Myioshi;

Prismas 8 – “Tiradentes Esquartejado, de Pedro Américo”, de Maraliz Christo;

Prismas 9 – “O Senhor Eugene Pertuiset, Caçador de Leões, de Manet”, de Martinho Alves Junior;

Prismas 10 – “Retrato de Arthur Timótheo da Costa, de Carlos Chambelland”, de Renata Bittencourt.

O coordenador

Jorge Coli tem graduação em história da arte e arqueologia e mestrado em história da arte, ambos na Universidade de Provence, na França, e doutorado em filosofia pela USP. É livre-docente e professor de titulação em história da arte e da cultura pela Unicamp e tem pós-doutorado na Universidade de Nova York, nos Estados Unidos. Ainda, é integrante da Associação Internacional de Críticos de Arte.

Coli recebeu vários prêmios acadêmicos e foi professor convidado em universidades internacionais como Princeton e Panthéon-Sorbonne. entre outras. Ele é diretor do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp.

POR: Rita Moraes
Publicado em 25/09/2023