ConexãoIn

Idosos digitais: uso excessivo de tecnologias também pode desencadear problemas oculares, sobretudo em tempos de pandemia

Ler notícias virtualmente, acessar redes sociais e aplicativos diversos, mexer no Pacote Office e fazer compras online são algumas atividades comuns no dia a dia de muitos jovens e adolescentes. Mas, a verdade é que grande parte da terceira idade também está ativa nesta parcela da população considerada conectada. E com a pandemia do novo coronavírus, esses hábitos se tornaram exacerbados, principalmente por conta do isolamento social. Tal mudança de comportamento, no entanto, pode desencadear problemas diversos, inclusive os oculares, e no caso dos idosos, os cuidados devem ser redobrados.

De acordo com o médico oftalmologista do DayHORC – empresa do Grupo Opty, Dr. Marcos Vale, a população idosa, naturalmente, já é mais afetada por problemas visuais, pois suas estruturas oculares sofrem numerosos danos com o passar do tempo, sobretudo a partir dos 40 anos. Então, é muito comum surgirem sinais de que a visão já não está mais como antes. Ou seja, a pessoa passa a se esforçar mais para ler, a visão começa a ficar embaçada e cansada, dentre tantos outros desconfortos.

“Então, se você une esse desgaste natural com o fato de ficarmos muito tempo conectados e paralisados em telas como computador, celular, tablet e televisão, ocorre uma sobrecarga ocular. As queixas mais comuns em todas as faixas etárias são vermelhidão, coceira, lacrimejamento e ardência, que se relacionam com o olho seco, devido à redução do piscar associada a ambientes mais ressecados por ar-condicionado ou ventiladores. Além disso, o uso excessivo de tecnologias pode ter relação com o aumento dos casos de miopia (dificuldade de enxergar de longe)”, detalha o médico, enfatizando que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), até 2050, mais da metade da população mundial deve desenvolver o problema.

Recomendações

A principal dica do especialista é que o indivíduo faça descansos visuais, fazendo pausas de cinco a dez minutos a cada uma hora. Outra sugestão é a regra 20/20/20, ou seja, a cada 20 minutos, fazer uma pausa de 20 segundos e olhar para objetos que estão a 20 metros de distância. Outras alternativas são tentar estabelecer um distanciamento de 30 centímetros da tela, adaptar o contraste dos equipamentos eletrônicos, ter cuidado com a luminosidade do ambiente sem forçar os olhos no escuro e ingerir líquidos com frequência.

“Ter uma noite de sono de, pelo menos, oito horas é fundamental para haver a lubrificação ocular. Além disso, não podemos esquecer que o uso de colírios só deve ocorrer sob prescrição médica e que, para cada idade, existe uma recomendação específica. Havendo qualquer sintoma persistente, o ideal é procurar um oftalmologista de imediato. No caso dos idosos, a ida ao oftalmologista deve acontecer com mais frequência”, conclui Dr. Marcos Vale.

Sobre o Opty

O Grupo Opty nasceu em abril de 2016, a partir da união de médicos oftalmologistas apoiados pelo Pátria Investimentos, que deu origem a um negócio pioneiro no setor oftalmológico do Brasil. O grupo aplica um novo modelo de gestão associativa que permite ampliar o poder de negociação, o ganho em escala e o acesso às tecnologias de alto custo, preservando a prática da oftalmologia humanizada e oferecendo tratamentos e serviços de última geração em diferentes regiões do País. Nesse formato, o médico mantém sua participação nas decisões estratégicas, mantendo o foco no exercício da medicina.

Atualmente, é o maior grupo de oftalmologia da América Latina, agregando 21 empresas oftalmológicas, e mais de 2100 colaboradores e 750 médicos oftalmologistas. Além das marcas próprias HOBrasil (BA, DF, RJ e SP) e Centro Oftalmológico Dr. Vis (DF, RJ e SC), fazem parte dos associados: Instituto de Olhos Freitas (BA), o DayHORC (BA), Instituto de Olhos Villas (BA), Oftalmoclin (BA), Hospital Oftalmológico de Brasília (DF), Hospital de Olhos INOB (DF), Hospital de Olhos do Gama (DF), Hospital de Olhos Santa Luzia (AL), Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem (SC), Centro Oftalmológico Jaraguá do Sul (SC), Sadalla.Smart (SC), HCLOE (SP), Visclin Oftalmologia (SP), EyeCenter Oftalmologia (RJ), COSC (RJ), Oftalmax Hospital de Olhos (PE), UPO Oftalmologia – Unidade Paulista de Oftalmologia (SP) e HMO – Hospital Medicina dos Olhos (SP), resultando em 55 unidades de atendimento. Visite www.opty.com.br.

#conexaoin

#conectadocomanoticia

POR: Rita Moraes
Publicado em 26/07/2021