ConexãoIn

“Sabores e Saberes” mostra a gastronomia de Santo Amaro, terra de Caetano Veloso

Toda a riqueza das manifestações culturais e da gastronomia de três comunidades quilombolas do município de Santo Amaro – Alto do Cruzeiro/Acupe, São Brás e Cambuta – está representada no documentário “Sabores e Saberes”, que será lançado no dia 14 de maio, às 19h, no  instagram #saberesquilombolas e no YouTube da ONG Roda Baiana, que realiza o projeto Saberes Quilombolas : vou aprender a ler pra ensinar meus camaradas”.

Capitaneado pela cantora, compositora e chef de cozinha Stella Maris, que é também curadora do projeto e lidera a ONG Roda Baiana, “Sabores e Saberes” foi realizado pela Canto do Galo Filmes e tem produção executiva de Plínio Gomes, que também assina com Bruno Saphira pesquisa, roteiro e direção; Bruno Saphira atua ainda como cinegrafista. A curadoria é também assinada pelo cantor, compositor e pesquisador Roberto Mendes.

“O que eu quis quando lancei este projeto e chamei Roberto Mendes para a  curadoria e o pessoal da Canto do Galo para produzir o documentário, foi revelar o que os meus olhos viram e veem desde a minha infância. Minha vida foi dentro desses locais, dessas comunidades ribeirinhas, à beira mar, onde eu me encantei com as manifestações culturais, com as comidas, com o povo. Por isso que quis trazer este olhar para os fazeres e saberes ancestrais, que são da cultura dessas pessoas e são  peça fundamental na identidade da Bahia” – Stella Maris, coordenadora geral do projeto.

No Alto do Cruzeiro, em Acupe, a equipe registrou o Nego Fugido, a Burrinha de Acupe, a Capoeira Mestre Galo, a confecção do secador (roda de cipó) e o preparo do dendê de pilão. No quilombo São Brás as gravações giraram em torno do Samba Chula, do mestre de samba João Saturno (João do Boi) do trabalho de defumação dos camarões e das marisqueiras. No Cambuta, que é um quilombo urbano, virou bairro no meio da cidade, foram colhidos depoimentos sobre o processo de reconhecimento do quilombo, a luta da comunidade com a poluição, samba de roda e pertencimento.

O documentário “Sabores e Saberes” busca dar voz a essas pessoas e colocar o seu saber sob holofotes. Mostrar  as comunidades do labor à festa,  da oralidade à parte escrita. Mostrar sua vivência de uma forma audiovisual para que se  possa conhecer quem são essas pessoas, suas comunidades e saberes.  Estes personagens, seres humanos extraordinários que fazem seu labor diariamente.”  Plínio Gomes  – produção executiva, pesquisa, roteiro e direção.

O lançamento no dia 14 de maio é emblemático e para marcar o dia seguinte ao da abolição da escravatura no Brasil, 13 de maio de 1888, quando os negros então escravizados, foram libertos sem direito a absolutamente nada. Os negros libertos se reuniram, juntaram forças e estruturaram suas vidas em quilombos como os de Acupe, São Brás e Cambuta e de lá exercem seus sabores e saberes, através de uma culinária riquíssima e das manifestações culturais, criando assim algumas das bases fundamentais da cultura baiana banhada pelo mar e pelo azeite de dendê, e que representa muitas vezes a Bahia no mundo.

“Falar dos saberes, da fé, da festa, da dança, da música, do que se come do que se fala, das heranças de costumes que geraram o comportamento daquele lugar é o que a gente quer. Falar sobre essas coisas que acontecem lá no quilombo e que são saberes importantes para a formação cultural do povo baiano. É  impressionante como a partir deles sai essa beleza de comportamento, gerando o sotaque baiano (sem dúvida o sotaque baiano é herança dos saberes quilombolas) e o que se come, como se dança na prática da fé”. Roberto Mendes – curador  

Para produzir o documentário “Sabores e Saberes” a equipe realizou diversos encontros com pessoas das comunidades, bate-papos e reuniões, além de visitas técnicas e muita pesquisa.

“A linguagem do documentário foi pautada no valor da vivência das pessoas destas comunidades. Por isso a importância da pesquisa, do conhecimento prévio destes personagens. Buscamos o tempo todo uma relação de respeito com os personagens, em relação ao que se ia abordar, como eles iam ser abordados. Pautamos nosso documentário  na vivência extraordinária de cada comunidade, buscando dar valor à expressão cotidiana, à  integridade dos fazeres, deixando que eles se expressassem da forma deles. Foram as falas deles que nos orientaram nas gravações e a estruturar a montagem”. Bruno Saphira – pesquisa, roteiro,  direção e cinegrafia.

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e do Centro de Culturas Populares e Identitárias-CCPI (Programa Aldir Blanc Bahia), via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Programa Aldir Blanc Bahia – Criado para a efetivação das ações emergenciais de apoio ao setor cultural, o Programa Aldir Blanc Bahia (PABB) visa cumprir os incisos I e III da Lei Aldir Blanc (Lei Federal nº 14.017, de 29 de junho de 2020) e suas regulamentações federal e estadual. As ações são: a transferência da renda emergencial para os trabalhadores e trabalhadoras da cultura, e a realização de chamadas públicas e concessão de prêmios. O PABB tem execução pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, geridas por meio da Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura e do Centro de Culturas Populares e Identitárias; e as suas unidades vinculadas: Fundação Cultural do Estado da Bahia, Fundação Pedro Calmon, Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural.   

“Saberes Quilombolas : vou aprender a ler pra ensinar meus camaradas” 

ONG RODA BAIANA – Projeto Saberes Quilombolas 

Ficha Técnica:

Stella Maris – Coordenação Geral do Projeto

Roberto Mendes – Curador do Projeto

Maria Aparecida Souza – Assistente de Coordenação

Ana Cristina Pinto Ribeiro – Apoio local

Priscila Ferreira Gomes – Assistente de Produção

Doris Pinheiro – Assessoria de Comunicação

Documentário:

Produção Executiva: Plínio Gomes

Realização: Canto do Galo Filmes

Pesquisa, Roteiro e Direção: Plínio Gomes e Bruno Saphira

Direção de Fotografia, Cinegrafista e Drone: Gabriel Teixeira

Cinegrafista: Bruno Saphira

Som Direto: Guto Peixinho

Still: Madson Silva

Montagem, Edição e finalização: Priscila Rodrigues

Mixagem de Som e Imagem: Priscila Rodrigues

Motorista e Apoio Local: Djalma Santana Junior (Junior Bahia)

Comunidade Quilombola de Acupe de Santo Amaro

 

Nego Fugido:

Alexandre Souza, Edilson Santos do Nascimento, Edna Correia Bulcão – Dona Santinha, Evilázio Cruz de Souza, Gilvandro Regis Ribeiro, Luiz Carlos Sobral da Silva e Monilson dos Santos Pinto .

Burrinha de Acupe e Capoeira Mestre Galo:

Perivaldo dos Santos Ramos – Mestre Galo, Pedro José Queiroz Lima Ramos, Ícaro Cauan Ramos Dias, Ivo da Conceição Souza Neto, Thiago Vilarinho Ramos, Alexandre Souza, Pepe dos Santos Ramos, Rafael Santana Ramos, Rayane Santana Ramos, Rosa Maria da Cruz Ferreira dos Santos, Tatiana Ferreira dos Santos, Jeanderson Conceição de Almeida e Raiany Lima Ferreira da Conceição.

Dendê de Pilão

Ademário dos Santos Correia e Agostina de Jesus das Neves.

Secador (Roda de Cipó)

José dos Santos das Neves

Comunidade Quilombola do Cambuta

Luiza dos Santos Reis, Lourival Ferreira, Luiz Carlos Pereira dos Santos, José Feliciano Ramos dos Santos, Luis Brito, Flávio Brito de Oliveira e Edson Brito Pereira.

Comunidade Quilombola de São Brás

Samba Chula de São Brás

Fernando de Santana, Djalma Santana Junior, Zélia Maria Paiva Souza, Neiveson Pereira de Jesus, Denilson Pereira Santana, Francisco de Assis Barreto da Conceição, Marcos Vinicius Conceição Santos, Agnaldo Antônio de Oliveira Nascimento e Raimunda Nonata de Souza.

Marisqueiras:

Flordenice de Oliveira – Muri e Anísia Santana

Mestre de Samba:

João Saturno – João do Boi

Camarão Defumado de São Brás:

Maria José Gonçalves, Carlos Henrique Ferreira e Dirlene Gonçalves Ferreira dos Santos.

Serviço :

Lançamento do documentário “Sabores e Saberes”

Quando: Dia 14 de maio, às 19h

Canal de Transmissão: Instagram saberesquilombolas (https://www.instagram.com/saberesquilombolas/) e no YouTube da ONG Roda Baiana (https://www.youtube.com/channel/UC8boeO1rNlEUEuYNW7QusYg).

#conexaoin99

#conectadocomanoticia 

 
 
POR: Rita Moraes
Publicado em 12/05/2021