ConexãoIn

Consumo de produtos de origem caprina avança entre as classes A e B

 

 

Alto valor nutricional, boa digestibilidade e sabor característico: esses são alguns dos diferenciais dos produtos de origem caprina e que fazem com que seu consumo ganhe cada vez mais adeptos entre as classes A e B. Os produtos incluem queijos, doces e muitas outras iguarias.

De acordo com Javier Maciel, fundador da Capriana, primeira granja leiteira de cabras do Brasil, a procura vem aumentando por diversos motivos. Um deles é que os derivados de origem caprina são ricos em proteínas de alta qualidade, vitaminas, minerais e ácidos graxos saudáveis, tornando-se uma opção nutritiva para pessoas que buscam uma dieta equilibrada.

“Além disso, o leite de cabra contém uma estrutura de gordura e proteínas que são mais facilmente digeridas pelo organismo humano em comparação com o leite de vaca. Isso faz dele uma alternativa para pessoas com intolerância à lactose ou alergia à proteína de leite de vaca”, revela Maciel. Segundo ele, muitas pessoas apreciam o sabor único dos produtos obtidos a partir do leite de cabra, que é considerado mais suave e mais doce – o que o torna uma opção atraente para uso em diferentes receitas culinárias.

Segundo o fundador da Capriana, o carro-chefe da marca é o doce de leite. Em seu processo de produção, a empresa utiliza apenas leite fresco das cabras para preparar uma receita tradicional Argentina que garante sabor, brilho e textura únicos. “Além de paciência e carinho utilizamos essência natural de baunilha para um toque especial”, revela Maciel, que é argentino. O produto corresponde a 30% do total de vendas da Capriana.

Além do doce de leite, a empresa oferece o tipo Boursin, queijo francês acompanhado de temperos finos e marinada; o tipo Feta, queijo grego típico muito utilizado como ingrediente de saladas; o tipo Moleson, queijo de casca lavada desenvolvido no Brasil, maturado com sabor e salgadinho; a empresa é também a única a fabricar o tipo Raclette de leite de cabra, queijo de origem suíço maturado que derrete deliciosamente, além do Frescal, tipo de queijo fresco. Todos os queijos são preparados sem adição de conservantes.

“Ser uma granja leiteira nos permite garantir ao consumidor a utilização apenas de leite fresco, oriundo de nossas cabras. Isso faz com que todos os queijos tenham um sabor suave, sem nenhum resquício do aroma ‘a bode’, que as pessoas podem ter achado em alguns derivados de leite de cabra, destaca o fundador. Os queijos correspondem a 70% do total de vendas da Capriana.

Maciel conta ainda que a Capriana é um projeto inovador e responsável, cujo propósito é ampliar o acesso a produtos derivados de leite de cabra. “Queremos revelar uma nova experiência de sabores, democratizando o queijo caprino”, afirma.

“Nós nos definimos como uma agro-caprinocultura leiteira industrial turística &gastronômica que possui um processo produtivo em perfeito equilíbrio com a natureza. As práticas ambientais, sociais e de governança (ESG) fazem parte do nosso DNA e todas as nossas ações são baseadas em um acordo positivo com o meio ambiente”, reforça o fundador da Capriana.

POR: Rita Moraes
Publicado em 28/08/2023